Jovens de Nobre Estirpe: O Que Vocês Escolherão?

Élder Russell M. Nelson

do Quórum dos Doze Apóstolos

Serão do SEI para Jovens Adultos • 6 de setembro de 2013 • Universidade Brigham Young

 
Russell M. Nelson

Minha mulher, Wendy, e eu estamos muito gratos por estar com vocês aqui. Do Centro de Atividades Cannon, no campus da BYU–Havaí, estamos transmitindo para congregações de jovens adultos espalhadas pelo mundo inteiro. Estendemos boas vindas especiais aos que participam pela primeira vez de um devocional do SEI. Ao matricularem-se em instituições de ensino superior, vocês vão querer participar de classes do instituto e destes devocionais para manter um equilíbrio espiritual em seu aprendizado secular. E se estiverem indo em breve para uma missão, ficamos muito gratos. Vocês estarão a serviço do Senhor em tempo integral.

Trago os cumprimentos e o amor do Presidente Thomas S. Monson, do Presidente Henry B. Eyring, do Presidente Dieter F. Uchtdorf e de meus amados irmãos do Quórum dos Doze Apóstolos. Também trago saudações da Junta de Diretores do Sistema Educacional da Igreja e do Élder Paul V. Johnson, Comissário de Educação do Sistema Educacional da Igreja.

Tivemos três oradores que nos antecederam em nossos devocionais do SEI deste ano. Vocês se lembram deles? O discurso do Presidente Dieter F. Uchtdorf se intitulava “O Que É a Verdade?” Ele nos ensinou como encontrar a verdade real numa era em que temos acesso a muitas informações, muitas das quais são inverídicas. O título do discurso do Élder David A. Bednar foi “Para Que ‘Não (…) [Recuemos]” (D&C 19:18. Ele fortaleceu nosso espírito ao ensinar-nos como aumentar nossa fé, usando uma pergunta que ajudou um casal enquanto o marido lutava contra o câncer. A pergunta feita pelo Élder Bednar foi: “Você tem fé para não ser curado?” O Élder William R. Walker fortaleceu nosso testemunho do ministério e do exemplo incomparável de nosso amado Presidente Thomas S. Monson.

Hoje, o título de minha mensagem é “Jovens de Nobre Estirpe:1 O Que Vocês Escolherão?”

Vocês, como jovens de nobre estirpe, são literalmente filhos e filhas de Deus, nascidos nesta época específica da história do mundo para um propósito extremamente sagrado. Embora os valores morais e religiosos da sociedade estejam enfraquecendo no mundo inteiro, os jovens desta Igreja devem erguer o estandarte do Senhor e fachos de luz para atrair outros a Ele. Sua identidade e propósito são ímpares.

Qual é sua identidade? Vocês são filhos do convênio. Que convênio? Aquele que Deus fez com o Pai Abraão, quando prometeu a ele que “na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra”.2 Vocês são os filhos do dia prometido,3 este período da história do mundo em que o evangelho será amplamente proclamado por todo o planeta.

Agora, qual é seu propósito? Vocês, irmãos, foram preordenados numa esfera pré-mortal a serem portadores do sacerdócio.4 Pensem nisso! E vocês, queridas irmãs, vocês foram escolhidas antes da fundação do mundo para gerar filhos de Deus e cuidar deles, e fazendo isso, vocês glorificam a Deus.5 Vocês, irmãs, já pensaram que isso realmente significa que vocês são cocriadoras com Deus?

Cada um de vocês, rapazes e moças, foi encarregado por nosso Pai Celestial de edificar o reino de Deus na Terra agora mesmo e de preparar um povo para receber o Salvador quando Ele governar e reinar como o Messias milenar. Seu nobre legado, identidade, propósito e encargo divino os separam de todos os outros.

Mas nem seu legado nem suas ordenações e encargos pré-mortais podem salvá-los e exaltá-los. Isso vocês farão com suas decisões pessoais e ao fazerem a escolha de acessar o poder da Expiação do Senhor em sua vida. Vocês sabem que “a alma é livre para agir e seu destino decidir”.6 Esse grande princípio eterno do arbítrio é vital para o plano de nosso Pai. Assim sendo, o que vocês, jovens de nobre estirpe, vão escolher?

Será que vão escolher obter mais conhecimento?

A instrução formal está a seu alcance. Ninguém mais pode obtê-la por vocês. Onde quer que estejam, desenvolvam um profundo desejo de aprender. Para nós, santos dos últimos dias, obter instrução formal não é apenas um privilégio, é uma responsabilidade religiosa. A glória de Deus é inteligência.7 De fato, nossa instrução formal é para as eternidades.

“Qualquer princípio de inteligência que alcançarmos nesta vida, surgirá conosco na ressurreição.

E se nesta vida uma pessoa, por sua diligência e obediência, adquirir mais conhecimento e inteligência (…) , ela terá tanto mais vantagem no mundo futuro.”8

Essa perspectiva de longo prazo vai ajudá-los a fazer boas escolhas em relação ao aprendizado. Lembro-me de uma conversa que tive há muitos anos com um aluno de 16 anos muito brilhante do ensino médio. Ele não tinha muita certeza de seu comprometimento religioso e estava indeciso em relação a sua carreira profissional. Ele estava pensando na possibilidade de tornar-se médico. Fez-me, certa vez, uma pergunta bem simples: “Quantos anos levou para você se tornar cirurgião cardíaco?”

Rapidamente fiz os cálculos: “Da época que me formei no ensino médio até meu primeiro salário como cirurgião, passaram-se 14 anos!”

“Uau!” exclamou. “É tempo demais para mim!”

Então perguntei: “Quantos anos você terá daqui a 14 anos se não se tornar cirurgião cardíaco?”

“A mesma idade”, respondeu ele. “A mesma idade!”

Tive interesse no futuro daquele rapaz. Em certa ocasião, levei-o em meu carro em sua rotina diária matutina de entregar jornais. Ao longo dos anos, sua fé se tornou forte. Ele foi um excelente missionário. Decidiu ir atrás de seus objetivos educacionais. Em primeiro lugar, casou-se com sua amada no templo. Depois, enquanto ele estudava medicina e cirurgia, tiveram quatro filhos maravilhosos. Hoje ele é um cirurgião cardíaco plenamente licenciado — após um período de estudos e treinamento que levou 14 anos.

Irmãos e irmãs, não tenham medo de ir atrás de suas metas — ou mesmo de seus sonhos! Não há atalho para a excelência e a competência. A instrução formal é a diferença entre querer ajudar outras pessoas e ser capaz de ajudá-las.

Aqui vai outra pergunta: Que tipo de vida vocês vão escolher?

Espera-se de vocês, como jovens de nobre estirpe, que vivam de modo diferente dos outros. Vocês sabem o que Paulo disse ao jovem Timóteo: “Sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza”.9 Decidam pensar e agir de modo diferente do que fazem as pessoas do mundo. Decidam parecer diferentes, e vejam que grande influência para o bem vocês vão se tornar. Como disse a irmã Ardeth G. Kapp, certa vez: “Você não pode ser um salva-vidas se tiver a mesma aparência que todos os outros que nadam na praia!”10

Como jovens de nobre estirpe, vocês têm uma grande vantagem na vida. Mas também têm uma responsabilidade a mais. “Porque a quem muito é dado, muito é exigido.”11 Parte dessa exigência é a de ser um recruta. Já se imaginaram como um recruta do exército? Quando vocês foram batizados, na verdade se realistaram no exército do Senhor.12 Na vida pré-mortal, vocês estiveram do lado do Jesus Cristo durante a Guerra no Céu. E agora o conflito entre as forças do bem e do mal continua aqui na Terra. Ele é real! Esse conflito do qual participamos ainda é entre as forças do bem e as forças do mal.13 Do lado de Deus está Jesus Cristo, que foi preordenado para ser o Salvador do mundo.14 Do outro lado está Satanás — um rebelde — um destruidor do arbítrio.15

O plano de Deus permite que o adversário os tente para que vocês, agora neste mundo mortal, exerçam o arbítrio para escolher o bem em vez do mal, para escolher se arrepender, para escolher achegar-se a Jesus Cristo e acreditar em Seus ensinamentos e seguir Seu exemplo. Que imensa responsabilidade e que imensa confiança!

Sua liberdade de escolha está claramente explicada nesta citação do Livro de Mórmon: “Os homens são livres segundo a carne. (…) E são livres para escolher a liberdade e a vida eterna por meio do grande Mediador de todos os homens, (…) ou para escolherem o cativeiro e a morte, de acordo com o cativeiro e o poder do diabo; pois ele procura tornar todos os homens tão miseráveis como ele próprio”.16 O que vocês vão escolher?

Outro versículo revela que “iniquidade nunca foi felicidade”.17 Muitos jovens tentaram desafiar essa verdade e fracassaram todas as vezes.

Sua liberdade de agir por si mesmos é tão essencial para seu progresso e felicidade eternos que o adversário se empenha extraordinariamente para enfraquecê-la.18 Satanás é realmente um insone incorrigível, o que significa que ele nunca dorme. Muitos de vocês já vivenciaram isso!

Aqui vai outra pergunta: Será que vocês vão estabelecer prioridades para ajudá-los a fazer suas escolhas na vida?

Suas escolhas nem sempre serão entre o bem e o mal. Muitas delas serão escolhas entre duas opções boas. Nem todas as verdades foram criadas iguais, por isso vocês terão que estabelecer prioridades. Em sua busca por conhecimento, saibam que a verdade mais importante que vocês podem aprender vem do Senhor. Em Sua Oração Intercessória a Seu Pai, o próprio Salvador confirmou isso. Ele disse: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.19 Acima de todas as outras coisas que vocês procuram aprender, procurem conhecer Deus, seu Pai Eterno, e Seu Filho Jesus Cristo. Procurem conhecê-Los e amá-Los como eu os conheço e amo.

Outra prioridade das escrituras que me ajudou ao longo da vida é esta: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.20

Mais do que tudo no mundo, vocês querem fazer escolhas que os conduzam para o destino glorioso e final da vida eterna. Essa é a grande glória de Deus para vocês.21 Escolham a vida eterna como sua mais alta prioridade! Estudem as escrituras, como as seções 76 e 88 de Doutrina e Convênios, para compreenderem mais sobre as diferentes bênçãos reservadas para os que escolhem a vida eterna e para os que não o fazem. Escolham a vida eterna como sua maior prioridade e observem como as outras escolhas se encaixam no lugar certo.

Outra pergunta: Com quem vocês vão escolher se associar?

Como jovens de nobre estirpe, vocês vão conviver com muitas pessoas boas que também acreditam em Deus. Sejam judeus, católicos, protestantes ou muçulmanos, os crentes sabem que há realmente uma verdade absoluta. Na mensagem anterior do Presidente Uchtdorf, ele ressaltou que há realmente o certo e o errado, e que a violação deliberada de um dos mandamentos de Deus é realmente pecado. Os crentes em Deus também têm uma consciência. Os crentes obedecem à lei civil e à lei divina voluntariamente, até as leis que não lhes podem ser impostas.

Com seu compromisso de obedecer à lei civil e à lei divina, vocês param no sinal vermelho, mesmo que não haja tráfego à vista. Vocês, como filhos de Deus, sabem que mesmo que a polícia não os peguem, se vocês roubarem, assassinarem ou cometerem adultério, esses atos são errados, e Deus, no final, os fará prestar contas deles. Vocês sabem que as consequências de não jogar segundo as regras não são apenas temporais, mas eternas.

Ao seguirem pela jornada da vida, vocês conhecerão pessoas que não acreditam em Deus. Muitas deles ainda não encontraram a verdade divina e não sabem onde procurá-la. Mas vocês, jovens de nobre estirpe, estão indo resgatá-las. Em grande número, vocês estão atendendo à conclamação do profeta de Deus por mais missionários. Somos profundamente gratos a cada um! Muitos de vocês já serviram. Outros estão se preparando para servir.

Ao conviverem com descrentes, estejam cientes de que pode haver algumas pessoas que não tenham no coração a melhor das intenções para com vocês.22 Assim que compreenderem e perceberem isso, fujam delas rápida e permanentemente.23

Infelizmente, vocês conhecerão pessoas cuja busca desesperada por algo que lhes pareça semelhante à felicidade os conduz para as escorregadias ladeiras do pecado. Estejam atentos a esse declive lamacento! Todo prazer que existe no pecado é apenas fugaz, e a lembrança dele será maculada pelo remorso e por um doloroso sentimento de culpa. A distorção pecaminosa do vínculo divino constituído para unir marido e mulher não passa de um embuste vazio. Toda vivência ilegítima é desprovida de significado profundo e doces lembranças.

Mais uma pergunta: Será que vocês vão escolher a liberdade ou o cativeiro?

As forças ímpias estão em toda parte. Vocês estão literalmente vivendo em território ocupado pelo inimigo.24 A nefasta praga da pornografia impera em toda parte. Ela aprisiona em sua armadilha todos os que cedem a sua sedução insidiosa.

Isso foi previsto pelo Senhor, que disse: “E agora eu vos revelo um mistério, uma coisa que se acha em câmaras secretas para, com o passar do tempo, causar vossa destruição; e não o sabíeis”.25 Depois ele acrescentou uma segunda advertência: “E outra vez vos digo que o inimigo nas câmaras secretas procura tirar-vos a vida”.26

Pensem em quantas pessoas, em quantas câmaras secretas, estão procurando destruir sua vida e sua felicidade! Vocês, irmãos e irmãs, que estão vendo pornografia, parem de fazê-lo imediatamente! Abstenham-se totalmente disso! Ela é tão destrutiva quanto a lepra, tão viciante quanto a metanfetamina e tão corrosiva quanto a soda cáustica.

A tentação carnal não é uma coisa nova. O Apóstolo Pedro advertiu a respeito dessa mesma armadilha ao escrever:

“Engodam com as concupiscências da carne (…) aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro (…)

Prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo”.27

Fujam dessa escravidão, meus amados irmãos e irmãs. Se estiverem atualmente vendo pornografia, parem com isso! Parem agora! Procurem a ajuda de seu bispo. Ninguém é esperto o bastante para vencer o adversário sozinho depois de ter sido intoxicado pela pornografia.

Vou passar para outra pergunta séria: Será que vocês vão escolher seguir o Senhor ou as filosofias dos homens?

Por exemplo, em toda parte há alegações de que a Terra está perigosamente superpovoada e que os casais devem limitar o número de filhos. Você já ouviu isso? Contudo, no quinto Congresso Mundial das Famílias, em 2009, a irmã Nelson e eu ouvimos um estudioso apresentar um estudo no qual ele fez uma declaração surpreendente. Ele disse que se cada homem, mulher e criança que hoje vivem na Terra pudessem ter mil metros quadrados de terra, todos os 6,8 bilhões de habitantes da Terra caberiam no Brasil, deixando 20 por cento do país ainda desocupado”.28 Será que isso faz parecer que o planeta está superpovoado?

Verifiquei esse cálculo. Está correto. Suplico-lhes que creiam no Senhor, que disse que “a Terra está repleta e há bastante e de sobra”.29

Outra realidade é que vocês vivem numa época em que o desemprego é elevado e os mercados financeiros do mundo estão nervosos. Novamente, uma solução do mundo é procurar alternativas para o plano de Deus. Mas sabemos que um casamento e uma família fortes na verdade ajudam a economia a prosperar. E não estamos sozinhos em pensar assim.

Um estudioso, o Dr. Patrick F. Fagan30 escreveu: “O indispensável tijolo do qual depende as fortunas da economia [é] a família cujos pais são casados — especialmente a família cheia de filhos que adora ao Senhor todas as semanas. (…)

Todo casamento cria uma nova família, uma unidade econômica independente que gera renda, gasta, economiza e investe”.31

O Dr. Fagan acrescentou que “a mãe casada que fica no lar exerce uma influência de maior repercussão na economia do que o pai casado no local de trabalho.(…)  O marido contribui para a economia presente, ao passo que a mãe contribui tanto para a economia presente quanto para a futura”.32

O relatório do Dr. Fagan confirma conceitos expressos há vários anos pela Primeira Presidência e os Doze Apóstolos em “A Família: Proclamação ao Mundo”. Espero que cada um de vocês tenha uma cópia dela. Estudem-na cuidadosamente. Uma vez que a família está sob ataque no mundo inteiro, as verdades da proclamação da família vão fortalecê-los.

Vocês, maravilhosos jovens de nobre estirpe, vocês precisam compreender as consequências de grande repercussão que tem a batalha hoje travada em relação à própria definição do casamento. O debate atual envolve a questão de saber se pessoas do mesmo sexo podem se casar. Se vocês tiverem dúvidas em relação à postura da Igreja em relação a essa e a outras questões importantes, ponderem em espírito de oração e depois deem ouvidos às mensagens proféticas desta próxima conferência geral de outubro da Igreja. Aqueles discursos inspirados, aliados à inspiração do Espírito Santo, vão lhes proporcionar maior compreensão à mente.

O debate sobre o casamento é apenas uma das muitas controvérsias que vão desafiá-los no futuro. Contra as vozes estridentes do adversário, vocês, como jovens de nobre estirpe, vão decidir defender o Senhor e Sua verdade. Lembrem-se da letra do hino a seguir. Repitam as palavras. Decorem-nas. Este hino tem tudo a ver com vocês:

Deve Sião fugir à luta?
Deve agora desistir?
Se espreita o inimigo
Que espera nos ferir? Não!
Sempre fiéis nossa fé guardaremos.
Sempre valentes com ardor lutaremos.
A nossa mão
e o coração
A teu serviço, Senhor, estão.33

O Apóstolo Paulo profetizou sobre as aflições de nossos dias. Sua descrição soa como o noticiário das dez da noite. Ouçam!

“Nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.

Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos.

Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons.

Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.

Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.”34

É assim que termina a advertência dele.

A visão precisa que Paulo teve da devastação espiritual de nossos dias foi seguida de sua conclusão reconfortante, dizendo-nos como permanecer seguros: “Desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus”.35

A esse conselho, acrescento agora o meu. Continuem estudando as escrituras. Continuem fazendo as coisas que edificam sua fé em Jesus Cristo. E depois, observem as sábias escolhas que vocês naturalmente tenderão a fazer.

Sua fé em Jesus Cristo e em Seu evangelho lhes dará coragem para casar-se e para trazer filhos para sua família enquanto são jovens e capazes de tê-los. Quando tiverem a minha idade, darão muito valor a seus filhos, netos e os filhos deles, acima de toda fama ou fortuna que poderia ter vindo.

Agora uma pergunta que oro que ponderem diariamente: Como vão preparar-se para sua entrevista pessoal com o Salvador?

Vocês, jovens de nobre estirpe, não são perfeitos ainda. Nenhum de nós é. Então, vocês, como todos nós, são extremamente gratos pela Expiação do Salvador, que proporciona o pleno perdão, se vocês se arrependerem verdadeiramente. Vocês também sabem que sua estada aqui na mortalidade é relativamente breve. (Quanto mais velhos ficamos, mais evidente isso se torna.) No devido tempo, cada um de vocês vai se formar desta frágil existência e passar para o mundo vindouro.

O dia do juízo aguarda cada um de nós. Não sei se o portão é feito de pérola ou não, mas sei, como todos os que estudam o Livro de Mórmon sabem, que “o guardião da porta é o Santo de Israel; e ele ali não usa servo algum, (…) pois Senhor Deus é o seu nome”.36 Sim, cada um de nós terá uma entrevista pessoal com Jesus Cristo.

Cada dia na Terra lhes proporciona tempo e oportunidade para prepararem-se para essa entrevista. Saibam disto: Ao escolherem viver do lado do Senhor, nunca estarão sozinhos. Deus lhes deu acesso à Sua ajuda enquanto se movem pelo perigoso caminho da mortalidade. Se vocês abrirem o coração a Ele, de modo diligente e sincero, em oração diária, Ele lhes enviará Seus anjos para ajudá-los.37 Ele lhes deu o Espírito Santo para estar ao seu lado enquanto viverem dignamente. Ele lhes deu as escrituras para que possam banquetear-se plenamente nas palavras de Jesus Cristo.38 Ele lhes deu as palavras dos profetas vivos para darem ouvidos a elas.

Ele lhes deu uma oportunidade de receber uma bênção patriarcal. Isso lhes dará uma visão de sua ligação com Abraão, Isaque e Jacó, e o convênio que foi feito com eles para sua posteridade. Sua bênção patriarcal também lhes dará uma visão de seu potencial nesta vida e na vida futura. Cada um desses auxílios e muitos outros vão ajudá-los a escolher bem para que anseiem em encontrar-se com o nosso Senhor e Salvador face a face.

Minha última pergunta: Em quem depositarão sua confiança?

Vocês, jovens de nobre estirpe, sabem que Deus é nosso Pai. Ele os ama. Ele quer que sejam felizes. Depositem sua confiança Nele.39 Mantenham o foco em Seu templo sagrado. Sejam dignos de receber a investidura e as ordenanças de selamento. Permaneçam fiéis a esses convênios e voltem ao templo com frequência. Lembrem-se de que sua meta mais sublime é alcançar a maior de todas as bênçãos de Deus, que é a vida eterna.40 As ordenanças do templo são essenciais para essa bênção.41

Convido-os a estudar fervorosamente a declaração das escrituras a respeito de sua identidade, propósito e bênção, que está registrada na seção 86 de Doutrina e Convênios. Tem tudo a ver com vocês! Ouçam!

“Portanto assim diz o Senhor a vós, com quem o sacerdócio continuou através da linhagem de vossos pais—

Porque sois herdeiros legais, segundo a carne e fostes escondidos do mundo com Cristo, em Deus—

Portanto vossa vida e o sacerdócio permaneceram; e é necessário que permaneçam por meio de vós e de vossa linhagem, até a restauração de todas as coisas proferidas pela boca de todos os santos profetas desde o princípio do mundo.

Portanto bem-aventurados sois se continuais em minha bondade, uma luz para os gentios; e por meio deste sacerdócio, um salvador para meu povo, Israel.”42

Sim, vocês são realmente jovens de nobre estirpe, criados à imagem de Deus. Vocês são os herdeiros legítimos, que estão aqui para ser provados e testados. Vocês podem optar por ser uma luz para o mundo, por ajudar a salvar os filhos de Deus, por ter alegria e, no final, alcançar a bênção da vida eterna.

Para ajudá-los nessas escolhas de importância vital que estão diante de vocês, gostaria de deixar uma bênção sobre vocês. Invocando as chaves do santo apostolado a mim investidas, abençoo-os para que se banqueteiem nas palavras de Jesus Cristo e apliquem Seus ensinamentos em sua vida. Abençoo-os com o poder de viver como Ele gostaria que vocês vivessem, e que por meio de seu exemplo de retidão, vocês se tornem dignos de ser imitados, como membros da Igreja que leva o santo nome Dele. Abençoo-os com sucesso em seus objetivos educacionais e vocacionais, para que possam prestar serviço de valor a seus semelhantes. Abençoo-os com a saúde e a força necessárias para cumprir o destino divino que Deus reservou para cada um de vocês, para que a vontade Dele seja cumprida por vocês e por seu intermédio.

Abençoo-os assim e presto meu testemunho de que Deus vive! Jesus é o Cristo. Esta é Sua Igreja que Ele dirige por meio de Seus profetas e apóstolos. Amamos e apoiamos Thomas S. Monson como Presidente da Igreja do Senhor em nossos dias. Esse testemunho e essa bênção deixo com vocês, meus amados irmãos e irmãs, com minha sincera manifestação de amor a cada um de vocês, no sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.

© 2013 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados. Aprovação do inglês: 1/13. Aprovação da tradução: 1/13. Translation of Youth of the Noble Birthright: What Will You Choose? Portuguese. PD50048932 059

Exibir Referências

    Notas

  1.  

    1. Ver “Constantes Qual Firmes Montanhas”, Hinos, nº 184.

  2.  

    2.  Atos 3:25; ver também 1 Néfi 15:18; 3 Néfi 20:25.

  3.  

    3. Ver “Juventude da Promessa”, Hinos, nº 182.

  4.  

    4. Ver Alma 13:2–3.

  5.  

    5. Ver Doutrina e Convênios 132:63.

  6.  

    6. “A Alma É Livre”, Hinos, nº 149.

  7.  

    7. Ver Doutrina e Convênios 93:36.

  8.  

    8.  Doutrina e Convênios 130:18–19.

  9.  

    9.  I Timóteo 4:12; ver também Hebreus 13:7. A palavra grega anástrofe que foi traduzida como trato significa um estilo de vida elevado.

  10.  

    10. Ardeth Greene Kapp, I Walk by Faith, 1987, p. 97.

  11.  

    11.  Doutrina e Convênios 82:3; ver também Lucas 12:48.

  12.  

    12. Ver “Somos os Soldados”, Hinos, nº 160.

  13.  

    13. Ver Apocalipse 12:7–9; Doutrina e Convênios 29:40–41.

  14.  

    14. Ver 1 Néfi 10:4.

  15.  

    15. Ver Moisés 4:3. Algumas pessoas chamam o arbítrio de “livre arbítrio”. Mas esse termo não se encontra nas escrituras. As escrituras falam apenas de arbítrio moral (ver Doutrina e Convênios 101:78).

  16.  

    16.  2 Néfi 2:27.

  17.  

    17.  Alma 41:10.

  18.  

    18. Ver 2 Néfi 10:23.

  19.  

    19.  João 17:3.

  20.  

    20. Tradução de Joseph Smith, Mateus 6:38 .

  21.  

    21. Ver Doutrina e Convênios 14:7; Moisés 1:39.

  22.  

    22. Ver Doutrina e Convênios 1:16; 89:4.

  23.  

    23. Ver I Timóteo 6: 5–6, 11.

  24.  

    24. Ver Boyd K. Packer, “Conselho para os Jovens”,A Liahona, novembro de 2011, p. 18.

  25.  

    25.  Doutrina e Convênios 38:13.

  26.  

    26.  Doutrina e Convênios 38:28.

  27.  

    27.  II Pedro 2:18–19.

  28.  

    28. Ver Don Feder, “The Perpetual-Crisis Machine of the Apocalyptic Left,” donfeder.com/articles/1002chickenLittle.htm.

  29.  

    29.  Doutrina e Convênios 104:17.

  30.  

    30. O Dr. Patrick F. Fagan é membro sênior do Conselho de Pesquisa da Família e dirige o Instituto de Pesquisas sobre o Casamento e Religião, em Washington, DC

  31.  

    31. Patrick F. Fagan, “The Family GDP: How Marriage and Fertility Drive the Economy,” The Family in America, vol. 24, nº 2, primavera de 2010, p. 136.

  32.  

    32. Patrick F. Fagan, “The Family GDP”, p. 142.

  33.  

    33. “Deve Sião Fugir à Luta?”, Hinos, nº 183.

  34.  

    34.  II Timóteo 3:1–5.

  35.  

    35.  II Timóteo 3:15.

  36.  

    36.  2 Néfi 9:41.

  37.  

    37. Ver Doutrina e Convênios 84:88.

  38.  

    38. Ver 2 Néfi 9:51; 2 Néfi 32:3.

  39.  

    39. Ver 2 Néfi 4:34; 28:31.

  40.  

    40. Ver Doutrina e Convênios 14:7.

  41.  

    41. Ver Doutrina e Convênios 131:1–3.

  42.  

    42.  Doutrina e Convênios 86:8–11; (grifo do autor).