Fortalecer os Quóruns e os Membros

Élder Neil L. Andersen


Élder Ballard: Obrigado, Élder Oaks. Sentimo-nos gratos por participar desta transmissão de liderança e apreciamos muito as instruções que recebemos dos membros do Quórum dos Doze. Como o Élder Oaks disse, nosso grupo vai debater algumas maneiras de seguir os princípios de liderança explicados no capítulo 3 do Manual 2 e também no capítulo 4, que aborda os conselhos. O Senhor deu-nos um padrão em Doutrina e Convênios. Deixem-me ler para vocês:

“E agora, eis que vos dou o mandamento de que, quando estiverdes congregados, deveis instruir-vos e edificar-vos uns aos outros, para que saibais como agir e como dirigir minha igreja, como proceder com respeito aos pontos de minha lei e dos mandamentos que dei” (D&C 43:8).

Nossa designação é discutir como implementar as instruções que recebemos nesta reunião. Especificamente: como ministramos às famílias, como fortalecemos os portadores do Sacerdócio de Melquisedeque e como ajudamos os jovens a reativar e fortalecer uns aos outros?

Sabemos que os membros da Igreja enfrentam verdadeiros desafios nestes dias difíceis. E o crescimento da Igreja acontece quando a conversão pessoal por toda a vida ao evangelho resulta em maior fidelidade de cada indivíduo e família. Esse é um esforço constante e uma bênção que advém quando somos capazes de salvar e ajudar uns aos outros, particularmente um por um.

Há um exemplo maravilhoso, que você citou, irmã Wixom, de líderes da Primária que visitaram uma família que realmente precisava de ajuda. Poderia compartilhar conosco?

Irmã Wixom: Sim, Élder Ballard, e está acontecendo — está acontecendo no mundo inteiro, quando as presidências da Primária aproveitam a oportunidade de ir à casa das crianças para conversar com as famílias. Vamos ver o que aconteceu na Guatemala.

Segmento de Vídeo 1: Ministrar às Crianças

Narrador: O trabalho de ministrar às famílias começa quando amamos e nos preocupamos com cada membro da família e procuramos compreender suas necessidades.

Mulher: Stephanie, qual é a situação dos filhos da família Vasquez?

Mulher: As crianças realmente querem vir à Primária, mas não vêm por causa dos pais.

Narrador: Estas líderes sabiam que as crianças e os jovens podem exercer uma vigorosa influência sobre a família. Elas buscaram a orientação do Espírito, aconselharam-se e decidiram visitar a família Vasquez naquela semana.

As líderes reconheceram que nas vezes em que as crianças puderam ir à Igreja, elas tiveram experiências espirituais.

Mulher: Cindy, sua mãe me disse que você acorda cedo para ir à Igreja. Por que você gosta de ir à Igreja?

Mulher: Porque gosto de aprender mais a respeito da palavra de Deus e de passar um tempo com as outras crianças.

Mulher: E você, Danilo?

Homem: Gosto de ler as escrituras, e às vezes me pedem que eu faça a oração. Oro por minha família e por todo mundo.

Mulher: Irmã Vasquez, como você se sente, sabendo que seus filhos estão indo à Igreja?

Mulher: Sinto-me feliz quando eles levantam da cama e dizem: “Mamãe, vamos à Igreja!” Gostaria de poder ir com eles, mas meu marido precisa de mim porque está doente.

Mulher: Se fizer o esforço e orar por seu marido, ele poderá ir à Igreja. Nosso Pai vai abençoá-los e dar a vocês dois a força de que precisam.

Narrador: Trabalhando com o bispado, aquelas líderes da ala planejaram meios de continuar a abençoar os filhos e fortalecer a família. Uma atividade inspirada da Primária ajudou as crianças a sentirem o amor e a amizade de outros membros da ala.

Mulher: Hoje as crianças estão interagindo com outras crianças, que era o que queríamos, pois assim podem fazer amigos na Igreja.

Narrador: À medida que o Espírito tocou o coração das crianças, elas se voltaram aos pais para pedir orientação, e os pais foram fortalecidos de modo a voltarem para a Igreja.

No Manual, aprendemos: “A família foi ordenada por Deus. É a mais importante unidade nesta vida e na eternidade”.

Élder Ballard: Esse foi um exemplo maravilhoso, irmã Wixom. Vamos falar agora sobre o que aprendemos apenas com esse pequeno exemplo?

Irmã Wixom: Sentiram o espírito naquela casa? Tal como o Élder Nelson nos ensinou hoje, era um santuário de fé. No coração dos membros daquela família, eles sabiam que o evangelho era verdadeiro. Simplesmente precisavam daquela visita da presidência da Primária para conectar os filhos aos pais e fortalecer aquela família.

Élder Ballard: E também a força daquelas criancinhas e a interação das crianças na organização da Primária. Assim, até as criancinhas podem fazer parte desta grande causa de sermos unidos para podermos ajudar a reativar uns aos outros na Igreja.

Qualquer coisa em particular, Élder Rasband, o que você notou e que gostaria de comentar?

Élder Rasband: Fiquei tocado com o espírito das crianças. Ao ver esse vídeo, percebi que foram as crianças que ajudaram a trazer os pais de volta para a Igreja, pelo fato de gostarem de ir para as atividades da Primária e de ir para a Igreja aos domingos, mesmo que a mãe e o pai não pudessem ir. Acho que esse foi um grande exemplo de como as crianças podem ajudar a trazer os pais com elas.

Élder Ballard: No exemplo que vimos no vídeo, irmã Wixon, as crianças estavam aprendendo. O que elas estavam aprendendo? Quero dizer, achei suas respostas excelentes.

Irmã Wixom: Notei isso também. Elas haviam participado o suficiente na Primária para ter e sentir um testemunho do Livro de Mórmon e do poder da oração. E levaram isso para casa, para sua família.

Irmã Dalton: Tudo tem a ver com a conversão, e elas disseram que gostavam de ler o Livro de Mórmon e de orar. Quando estamos convertidos, o resultado natural é fortalecermos nossos irmãos.

Élder Ballard: Portanto, irmã Dalton, como isso se aplica a todos os que estão vendo esta transmissão no mundo inteiro?

Irmã Dalton: Sempre penso, Élder Rasband, na escritura que diz “e um menino pequeno os guiará” (Isaías 11:6), e às vezes é isso que acontece. Mas essas são coisas comuns que produzem os resultados extraordinários que os líderes estão realizando no mundo inteiro.

Sei que algumas líderes das Moças que conheço no Brasil planejaram uma Excelência das Moças tendo em mente uma mãe em especial que não era membro da Igreja. Quando a filha prestou testemunho naquela reunião, o coração da mãe foi tocado. E aquele relacionamento entre mãe e filha foi fortalecido.

Élder Ballard: Sem dúvida.

Irmã Dalton: E quando isso acontece, as famílias são fortalecidas, e isso está acontecendo em toda parte.

Élder Ballard: Élder Andersen.

Élder Andersen: Eu acrescentaria que, muitas vezes, nós, como líderes, na ansiedade de ajudar as crianças, tentamos passar por cima dos pais. Nesse caso, elas não fizeram isso. Então nos lembramos daquela bela frase que vem sendo usada na Igreja há 50 anos. Está no Manual, onde diz que o lar é a base de uma vida justa e que nada pode tomar seu lugar ou cumprir suas funções essenciais. E aquelas sábias líderes da Primária entenderam que apenas pegar as crianças não era a resposta. Elas tinham que ir até a família, porque esse é o lugar em que a retidão e a bondade vão perdurar.

Irmã Dalton: E aquelas líderes da Moças sabiam disso também. Se elas pudessem fortalecer aquele vínculo, aquele elo eterno entre mãe e filha, a família seria fortalecida.

Élder Ballard: Uma coisa que também vimos, que é muito importante, aconteceu no conselho da ala: elas voltaram e falaram da situação. Pensem só no poder que temos quando uma presidência de Primária fala especificamente a respeito de uma família. Decidiram que queriam fazer a visita e tentar tocar a vida da família Vasquez. Pensem no que pode acontecer com os quóruns de élderes, com os grupos de sumos sacerdotes ou qualquer membro menos ativo, ou com dificuldades, quando nos reunimos e conversamos sobre suas necessidades, sobre o que podemos fazer.

Élder Rasband, creio que você teve uma experiência que gostaria de compartilhar conosco sobre o Sacerdócio de Melquisedeque.

Élder Rasband: Obrigado, Élder Ballard. Estou animado com esse próximo vídeo, por causa do que ouvimos hoje. Lembrando as orientações e os conselhos que recebemos, gostei particularmente do Élder Perry e do Élder Christofferson que falaram sobre a importância do sacerdócio e do quórum. Depois, é claro, o Presidente Packer, cujos temas conhecidos do lar e da família e do poder do sacerdócio estão todos incluídos nessa história que vamos ver das ilhas britânicas. Vamos vê-lo agora.

Segmento de Vídeo 2: Ativação

Ben: O irmão Grant tem estado inativo desde quando me lembro, uns vinte anos.

Keith: Tornei-me inativo por todos os motivos errados e fiquei inativo por muito tempo.

Ben: Comecei a trabalhar com o Keith e a visitá-lo, para ajudar a ele e a família a voltarem. Naquela época, Keith era sacerdote, por isso começamos a trabalhar para que recebesse o Sacerdócio de Melquisedeque. Depois que ele o recebeu, foi chamado como segundo conselheiro na presidência do quórum de élderes. Tive realmente a oportunidade de trabalhar com ele e de encorajá-lo.

Ben: Há algo que John e eu possamos fazer por você?

Tracy: Gostaria que me dessem uma bênção.

Ben: Dizemos o nome completo dela, pela autoridade do Sacerdócio de Melquisedeque, e selamos a unção que foi feita. Depois você lhe dá uma bênção, conforme ditado pelo Espírito.

Keith: Poder dar uma bênção é um privilégio de agir em nome de Jesus Cristo, de realizar Sua obra.

Ben: Depois que ele recebeu o Sacerdócio de Melquisedeque, traçamos a meta de ele receber sua investidura e ser selado. Ele frequentou o curso de preparação para o templo. Quando ele recebeu uma recomendação, fomos ao templo e fizemos batismos.

Keith: Ele me ajudou a preparar-me. Ligou para o templo e marcou um horário para nós.

Ben: Pude ajudá-lo a preparar-se e dei apoio e orientação quando ele fez a investidura, e depois fui testemunha quando ele e a esposa foram selados como família.

Keith: É tão sereno e tranquilo. Não se parece com nenhum outro lugar na Terra. É como se fosse metade do caminho entre o céu e a Terra, imagino eu.

Nossa família ficou bem mais unida desde que voltamos para a Igreja. Nunca mais vou deixar de ir à Igreja. Enquanto eu estiver respirando, estarei lá.

Ben: Sinto-me orgulhoso, mas não de modo exibido. Sinto orgulho de que o Pai Celestial tenha ficado contente com o trabalho que fiz com eles, incentivando-os e dando-lhes apoio.

Élder Ballard: O que aprendemos com o que aconteceu com essa presidência de quórum de élderes?

Élder Rasband: Bem, em primeiro lugar, Élder Ballard, essa é uma história verídica. Esse é Ben Blackburn, o presidente do quórum de élderes, que estendeu a mão e ministrou a um membro do quórum, e que, junto com outros do quórum e da ala, levou uma família ao templo e a suas ordenanças e convênios. Qual é força que isso tem?

Élder Ballard: E temos que nos perguntar, quando vemos um exemplo assim, quantos outros filhos de nosso Pai, homens e mulheres, e até crianças, estão lá fora simplesmente aguardando esse tipo de atenção que pode dar esse tipo de resultado.

Élder Andersen: Sabe, ouvi o Presidente Monson ensinar muitas vezes que um dos melhores sentimentos da vida é saber que o Senhor nos enviou como resposta à oração de outra pessoa. E vocês sabem quantas pessoas, no mundo em que vivemos hoje, oram pedindo soluções, pedindo esperança, e talvez nem saibam que estão procurando a Igreja ou tentando voltar. Mas, vemos nesse presidente de quórum de élderes um desejo de estender a mão e de ajudar uma família. E esse é um papel que o Presidente Monson ensinou muitas e muitas vezes.

Élder Ballard: E isso foi enfatizado pelos irmãos numa parte anterior deste programa. Eles deixaram algumas sugestões muito boas sobre como ter esse tipo de resultado na vida de mais filhos de nosso Pai Celestial.

Irmã Wixom.

Irmã Wixom: Minha parte favorita desse vídeo é quando o mestre familiar ensinou o marido a dar uma bênção na mulher. Aqueles dois mestres familiares poderiam ter-lhe dado a bênção, mas a esposa aprecia muito quando o marido impõe as mãos sobre a cabeça dela. E ele o instruiu passo a passo e deu-lhe a oportunidade de fazê-lo.

Élder Ballard: Obrigado. Élder Rasband, você sabe que o Presidente Packer sempre fala da experiência que teve com um élder. Poderia compartilhar com as pessoas do mundo inteiro a ocasião em que lhe pediram que desse uma bênção e ele decidiu não fazê-lo? Explique como foi.

Élder Rasband: Bem, foi bem parecido com o que acabamos de ver. O Presidente Packer estava trabalhando com um pai que estivera menos ativo e lhe pediram uma bênção. Convidaram o Presidente Packer a fazê-lo, mas ele virou-se para o pai e disse: “Você sabe fazer isso, e no que não souber, vou ajudá-lo”. E o Presidente Packer o ajudou, assim como vimos este presidente de quórum de élderes fazer com aquele irmão: “É assim que se dá uma bênção”. E ele fez isso, e o Presidente Packer sempre diz: “Fico muito grato por não ter impedido aquele pai e marido digno de dar aquela bênção”.

Élder Ballard: E o que acontece, Élder Andersen, com o membro inativo ou talvez um pai ou líder do Sacerdócio de Melquisedeque que vai dar sua primeira bênção depois de muito tempo, ou a primeira que já fez na vida?

Élder Andersen: Tive a experiência de ajudar um homem que era membro havia dez anos e nunca tinha dado uma bênção. No versículo seguinte da citação do Presidente Packer, onde ele diz que todo homem pode falar em nome de Deus, lemos: “Para que a fé também aumente na Terra” (D&C 1:21), e o que acontece é que uma abundância de fé entra no coração da pessoa que dá a bênção.

Élder Ballard: E assim, todos nós que participamos desta reunião no mundo inteiro poderíamos pensar sobre quem são aqueles homens maravilhosos que não dão uma bênção há muito tempo, para que possamos estender a mão e ensinar, usando os princípios que aprendemos hoje com os membros dos Doze, numa parte anterior deste programa.

Élder Andersen: Posso acrescentar outra coisa que acho ser muito importante, e que o Élder Perry enfatizou? Ele disse: se possível, precisamos elevar o papel do presidente do quórum de élderes, do líder do grupo de sumos sacerdotes, para que o bispo e o bispado possam cuidar das coisas que eles têm de cuidar. E acho que ele disse, se for possível, que eles devem ser mantidos no chamado por mais do que apenas alguns meses ou mesmo um ano ou dois. O presidente do quórum de élderes e o líder do grupo de sumos sacerdotes devem ter um papel mais elevado na ala.

Élder Ballard: Qual é o propósito principal da Igreja, irmã Dalton? Qual é o trabalho que estamos tentando fazer?

Irmã Dalton: É trazer famílias, é selar as famílias para que possam ser eternas no reino de nosso Pai Celestial.

Élder Ballard: Certíssimo. E poderíamos usar as palavras Dele: “Esta é minha obra”.

Irmã Dalton: “E minha glória.”

Élder Ballard: O quê? “Levar a efeito a imortalidade e a vida eterna do homem” (Moisés 1:39). E assim em grande parte do trabalho que fazemos na Igreja, temos que ter em mente também que estamos ajudando uns aos outros a estabelecer a maravilhosa meta de poder voltar à presença do Pai Celestial quando a vida terminar.

Élder Ballard: Élder Andersen e Élder Rasband, falem um pouco sobre o trabalho de levar aquele bom irmão ao templo, por que isso é importante. Quais são seus pontos de vista, dos dois?

Élder Andersen: Bem, o Élder Perry e o Élder Christofferson falaram de como tudo isso nos conduz ao templo. E aquele bom presidente de quórum de élderes da Inglaterra, ele não estava apenas tentando levar o homem de volta para a Igreja. Visava os convênios e levá-lo a Cristo por meio das ordenanças do templo. Não foi bonito de ver aquelas fotos do lado de fora do templo? O presidente do quórum de élderes, radiante como um pai orgulhoso, assim como as pessoas com quem ele havia trabalhado, sem dúvida por muito tempo, porque ele disse que o levara primeiro para fazer batismos pelos mortos. Pensava em mais do que levá-lo para a Igreja. Estava ajudando-o a conectar-se com o Pai Celestial.

Irmã Dalton: Adoro essa ideia porque é realmente isso que acontece. Temos que manter os olhos fitos no templo em todo trabalho que fazemos quando procuramos ministrar.

Élder Rasband: Ao ver esse vídeo, lembrei de 3 Néfi 18:32, e pensei no presidente do quórum de élderes e na família e no papel que o Senhor desempenhou nisso também:

“Não obstante, não o expulsareis de vossas sinagogas nem de vossos lugares de adoração, pois junto a esses deveis continuar a ministrar; porque não sabeis se eles irão voltar e arrepender-se e vir a mim com toda a sinceridade de coração e eu irei curá-los; e sereis vós o meio de levar-lhes salvação”.

Trata-se do papel que o Senhor tem de curá-los, e todo presidente de quórum de élderes ou membro é capaz de conduzi-los por esse processo.

Élder Andersen: Aquele presidente de quórum de élderes estava conduzindo aquele bom homem para Deus e para a oração, deixando que ele se desenvolvesse, nível por nível, passo a passo.

Élder Rasband: Tenho certeza de que ele recebeu rapidamente um chamado.

Élder Andersen: Sim, recebeu.

Élder Rasband: Ele voltou à atividade e foi chamado como conselheiro na presidência do quórum.

Élder Ballard: Bem, tudo isso faz parte do programa. Quero dizer, é uma boa ideia fazê-lo progredir, dar-lhe algo para fazer.

Élder Andersen: Certo.

Élder Ballard: Algo mais que deixamos passar?

Irmã Wixom: Gostaria de comentar que, quando você leu 3 Néfi 18, dizia ali: “Não obstante, continue a ministrar”. Percebem que por duas vezes nos versículos, aparece a mesma frase: “Não obstante, continue a ministrar” (ver 3 Néfi 18:30, 32)? Acho que esse é o modo de o Senhor dizer: “Nunca desista”. E quando houver rejeição, continuem a amar e a ministrar. Apesar de tudo.

Élder Ballard: Bem, esse foi um grande exemplo. Obrigado, Élder Rasband, por compartilhar isso. Vamos mudar de assunto agora e falar sobre o futuro da Igreja, que são os rapazes e as moças, os jovens da Igreja. Recebemos instruções maravilhosas sobre o serviço e sobre como o vigoroso serviço afeta a pessoa que serve e também a pessoa que recebe o serviço.

Élder Andersen, você teve uma experiência que poderia compartilhar conosco e que demonstra isso de modo extraordinário.

Élder Andersen: Bem, tanto o Élder Perry quanto o Élder Christofferson falaram do poder santificador do serviço e que o Salvador ensinou isso de modo importante, sendo que ele, que é o maior de todos, é o servo, e não o mestre. Este exemplo é o de um presidente de quórum de diáconos chamado Spencer, do Estado do Arizona, nos Estados Unidos, que ajudou um rapaz chamado Dayton, que estava em seu quórum. É algo bem dramático e talvez não represente o que todo presidente de quórum de diáconos faria, mas vai mostrar o que queremos ensinar. Vamos ver.

Segmento de Vídeo 3: As Pernas de Dayton

Spencer: Quando fui chamado como presidente do quórum de diáconos, senti uma grande responsabilidade nos ombros de que devia cuidar de todos no quórum. Conheci o Dayton em nosso quórum de diáconos, na Igreja. O Dayton tem paralisia cerebral e não consegue conversar nem comunicar-se bem, mas dá para sentir seu espírito. Ele precisa ter a oportunidade de fazer o que todo mundo faz.

Pai de Dayton: Sempre procuramos incluí-lo em tudo o que fazemos. Com o tempo, descobrimos que ele adora o vento no rosto.

Pai de Spencer: O Spencer ajoelhou-se na frente do Dayton, agarrou os joelhos dele e disse: “Dayton, quer correr um triatlo comigo?”

O Dayton não consegue se comunicar a não ser piscando para dizer sim e não piscando para dizer não. E ele começou a piscar, então o Spencer disse: “Pai, ele disse que sim!”

Spencer: Foi diferente dos outros triatlos em que competi porque quando subi na bicicleta vi que era bem mais difícil puxar alguém comigo o tempo todo. Eu sabia que o Dayton estava a um metro e meio atrás de mim o tempo todo, e foi incrível saber que havia mais alguém ali {em} um dos meus bons amigos que podia estar ali comigo.

Pai de Spencer: Aprendi grandes lições de amor com um menino que faz o que Cristo faria se estivesse aqui ao cumprir suas responsabilidades como presidente de quórum de diáconos e como amigo.

Spencer: Quase na linha de chegada foi muito espiritual para o Dayton e para mim, porque ele me mostrou que a gente pode fazer coisas difíceis, sejam quais forem os desafios ou as condições. Senti que estava sem fôlego. Estava sem forças, mas nem sei de onde vieram. O Dayton começou a sorrir, e eu comecei a acelerar, e tive forças para correr as últimas centenas de metros até a linha de chegada, e me senti muito bem na chegada. Não me senti esgotado. Senti que o Espírito estava ali ajudando o Dayton e a mim a terminar aquela corrida.

Mãe de Spencer: Ele não quer de modo algum parecer o herói. Ele quer que o Dayton seja o herói, e ele é apenas as pernas do Dayton.

Spencer: Sinto-me abençoado por poder ter o sacerdócio. Sinto que o Pai Celestial e o meu bispo — eles confiam muito em mim, que eu posso servir aos outros e atuar nas coisas que sinto que precisam ser feitas.

Élder Ballard: Já vi esse vídeo duas ou três vezes, mas todas as vezes tenho que lutar para conter as lágrimas. Bem, o que foi que aprendemos? Vamos falar disso. Quais são os princípios que todo presidente de quórum de diáconos pode aplicar? Ele não precisa ser assim como o Spencer, mas vamos falar de como esses líderes de quóruns do Sacerdócio Aarônico podem tocar a vida dos membros de seu quórum.

Élder Andersen. Bem, Élder Ballard, primeiro ouvimos o Spencer dizer: “Quando me tornei presidente do quórum de diáconos, senti que tinha a grande responsabilidade de cuidar dos outros membros de meu quórum”. E isso é algo que vamos ver cada vez mais nos anos futuros: os jovens presidentes de quóruns e as moças assumindo a responsabilidade pelos de sua própria idade. Ouçam este conselho de Doutrina e Convênios para o presidente do quórum de diáconos. Diz assim:

“E também, em verdade vos digo: O dever de um presidente do ofício de diácono é presidir doze diáconos, sentar-se em conselho com eles e ensinar-lhes seus deveres, edificando-se uns aos outros conforme indicado nos convênios” (D&C 107:85).

Essa é uma grande responsabilidade, mas é a responsabilidade deles.

Élder Ballard: Irmã Dalton? Como isso funciona no tocante às moças?

Irmã Dalton: Sabe, isso me emociona porque vejo as moças fazendo as mesmas coisas, fazendo o Progresso Pessoal para moças que não podem fazê-lo sozinhas. E lembrei-me, tal como você, Élder Andersen, de uma escritura de Doutrina e Convênios, está em 84:106, que diz:

“E se houver algum homem entre vós de Espírito forte, que tome consigo aquele que for fraco, para que seja edificado em toda mansidão a fim de também se tornar forte”.

E os jovens de nossa Igreja são incríveis, e eles podem fazer pelos outros o que estes não podem fazer por si mesmos — e eles querem fazer isso. Eles são fantásticos.

Élder Ballard: Muito obrigado. Élder Rasband, onde estão os futuros presidentes de quórum de élderes e sumos conselheiros e bispados e presidências de estaca? Onde eles estão hoje?

Élder Rasband: Bem, eles estão em todos os quóruns de diáconos, mestres e sacerdotes espalhados por toda a Igreja. E juntamente com eles estão as maravilhosas moças, nas Abelhinhas e em toda a organização das Moças. Essa é a força do futuro da Igreja. O jovem Spencer ali, aquele presidente de quórum de diáconos, ele me inspira. Aquilo saiu do coração dele e foi tão genuíno.

Irmã Dalton: Gostaria que todo diácono da Igreja visse esse vídeo.

Élder Ballard: Não sei por que não poderiam fazê-lo. Estará na Internet.

Élder Andersen: Isso mesmo. Estará em nossos Recursos de Treinamento de Liderança. E, sem dúvida, todo presidente de quórum de diáconos, com a ajuda do bispo, poderá ver esse vídeo.

Irmã Wixom: Alguns desses futuros líderes estão na Primária. Quando o Spencer disse: “Descobri que podia fazer uma coisa difícil”, eu pensei: é exatamente isso que nossos jovens de hoje precisam saber e sentir dentro deles, em seu coração, que eles podem fazer coisas difíceis e ficar sozinhos, se necessário, como o Presidente Monson disse na conferência.

Élder Ballard: E acho que todos os que ouviram o discurso do Élder Nelson sobre a importância do casamento veriam essa pequena demonstração ou teriam seu próprio exemplo em sua própria ala ou ramo. Quão preciosos são os filhos! Quão precioso é o casamento! Quão precioso é ter um filho como o Dayton e um presidente de quórum de diáconos como o Spencer que estão na mesma jornada! Eles têm um pai e uma mãe, mas sem o casamento, esses filhos espirituais de nosso Pai Celestial não poderiam ter um lar assim.

Irmã Dalton: Viram como o pai e a mãe ficaram tocados ao ver que alguém se importava o bastante? É algo que fortalece a fé ver um rapaz ministrando como o Salvador ministraria. Isso fortalece minha fé.

Élder Andersen: O Élder Perry e eu, há apenas algumas semanas, estivemos numa ala local, e ele ia ensinar alguns dos princípios do Sacerdócio de Melquisedeque. Tínhamos todo o sacerdócio reunido ali, mas na hora que comecei a falar, dois dos rapazes, de repente, saíram da sala. Pensei: “Bem, não sei o que sinto a respeito disso”. Então, uns 15 minutos depois — sabem? A ala era em Utah, onde as pessoas moram perto da capela — eles voltaram trazendo outro rapaz carregado nos braços. Depois da reunião, ficamos sabendo o que eles tinham feito. Eles queriam fazê-lo progredir. Ele não estava ali, então saíram para ir buscá-lo. E no espírito dos ensinamentos do Presidente Monson, eles saíram ao resgate naquela manhã.

Élder Ballard: Se o Presidente Monson estivesse aqui, ele diria: “E estender a mão para a viúva e para o que está solitário e o que está deixando de receber as bênçãos da Igreja”. Acho que essa foi uma grande oportunidade que tivemos de ser instruídos juntos para que pudéssemos aprender como agir e como efetuar o cumprimento dos convênios reservados para os filhos de nosso Pai Celestial ao colocar em prática alguns desses princípios que foram ensinados aqui.

Vamos fechar o círculo e encerrar nossa parte deste pequeno debate. Élder Andersen e irmã Dalton, algo mais com que gostariam de encerrar?

Élder Andersen: Bem, acho que o que me veio à mente foi a santidade do casamento, o poder da família. Lembro que o Presidente Packer disse: “Somos uma organização de famílias, e não uma organização apenas de alas e ramos”. Precisamos levar essas famílias a Cristo, de modo que um portador do sacerdócio, se possível, aja em nome do Senhor para ajudar toda a família a achegar-se a Cristo. E quero testificar a vocês e aos que nos ouvem que sei que esse é o poder de Cristo: ao procurarmos levar outros a Cristo, Ele nos abençoará para que saibamos a quem estender a mão e quem ajudar.

Élder Ballard: Irmã Dalton?

Irmã Dalton: Sinto-me tocada em pensar que este é o trabalho do Senhor, e que ele é feito um a um. É realizado um por um, e temos um grande exemplo disso em nosso profeta. Ele lidera o caminho e realmente ministra um a um. E assim, não acho que os líderes devam ficar sobrecarregados. Há tantos que precisam de ajuda, mas o que senti e vi hoje foi que devemos nos concentrar. Os líderes que vimos se concentraram em uma pessoa que eles podiam ajudar. E se todos fizerem simplesmente isso, tudo vai mudar. As famílias serão diferentes, as pessoas serão diferentes. Quero ser como nosso profeta, porque ele é como o Salvador.

Élder Ballard: Muito obrigado. Irmã Wixom?

Irmã Wixom: Obrigada, Élder Ballard. Em Alma capítulo 24, os anti-néfi-leítas relatam o que os ajudou a mudar de atitude, da iniquidade para a retidão, de modo que voltassem ao rebanho, e o líder deles disse: “Agradeço a meu grande Deus por ter-nos dado uma porção de seu Espírito, a fim de abrandar-nos o coração; assim, estabelecemos relações com estes irmãos, os nefitas” (Alma 24:8). Esse estabelecimento de relações com os membros de sua ala ou de seu ramo fez toda a diferença do mundo. E o coração dos lamanitas foi abrandado, e eles voltaram.

Élder Ballard: Estabelecer relações significa comunicar-se.

Irmã Wixom: Sim, ministrar e conversar, visitar as casas, compreender as necessidades das pessoas e amá-las como irmãos e irmãs, como filhos e filhas do Pai Celestial.

Élder Ballard: Muito obrigado. Élder Rasband?

Élder Rasband: Dentre tudo o que foi dito, gostei muito do espírito de conselho que vi demonstrado em todos esses breves vídeos: presidências de Primária aconselhando-se com bispados, presidências de quórum aconselhando-se sobre como ministrar a seus membros, até uma presidência de quórum de diáconos, tenho certeza, conversou a respeito do Dayton. E essa é uma ajuda maravilhosa para os pais e mães: os conselhos nos quais podemos nos envolver na Igreja do Senhor.

Élder Ballard: Obrigado. Bem, irmãos e irmãs, foi um prazer e uma honra podermos participar. Esperamos que todos os que assistiram a esta transmissão de liderança a vejam cuidadosamente, mais de uma vez, pensando em sua própria situação, suas próprias circunstâncias, e determinem o que mais podem fazer em suas várias designações para elevar, inspirar e abençoar os filhos de nosso Pai Celestial.

Pedimos a nosso Pai Celestial que os abençoe e guarde, e que os abençoe em suas designações, e que os inspire e oriente por meio de sussurros e impressões sobre o que podem fazer à sua própria e serena maneira, ao trabalhar juntos em sua ala ou estaca ou conselho de família para abençoar mais os filhos de nosso Pai Celestial.

Pensem só no que aconteceria se todo quórum de élderes pudesse trazer de volta apenas um ou dois por ano. Refiro-me a cada presidência trabalhando em conjunto para que isso aconteça. Não será difícil, se nos concentrarmos em pessoas, no empenho de estender a mão para os filhos de nosso Pai Celestial, que Ele ama e por quem somos responsáveis, pois temos a plenitude do evangelho eterno de Jesus Cristo.

Agradecemos a nosso Pai Celestial pela Restauração do evangelho por intermédio do Profeta Joseph, e testificamos que esta é a verdadeira Igreja de Jesus Cristo aqui na Terra, e que nosso Pai Celestial e o Senhor vão abençoar-nos à medida que agirmos. Que assim aconteça, na vida de todos vocês, é nossa humilde oração, em nome de Jesus Cristo. Amém.