O Sacerdócio e a Sociedade de Socorro Trabalhando Juntos


 


“Os líderes e professores do sacerdócio e das auxiliares se esforçam para ensinar as pessoas a tornarem-se verdadeiras seguidoras de Jesus Cristo (ver Mosias 18:18–30). Para ajudar as pessoas e as famílias nesse trabalho, eles:

  1. Ensinam as puras doutrinas do evangelho de Jesus Cristo e prestam testemunho delas.
  2. Fortalecem as pessoas e famílias em seu empenho de guardar seus convênios sagrados.
  3. Aconselham, apoiam e proporcionam oportunidades de serviço” (Manual 2, 1.2.2).

“A Sociedade de Socorro prepara as mulheres para as bênçãos da vida eterna, ajudando-as a aumentar sua fé e retidão pessoal, fortalecer a família e o lar, e auxiliar os necessitados. A Sociedade de Socorro cumpre esses propósitos por meio das aulas do evangelho aos domingos e de outras reuniões, do trabalho de professoras visitantes e do serviço de bem-estar, e do serviço de solidariedade” (Manual 2, 9.1.1).

 

“O Presidente Lorenzo Snow, quinto Presidente da Igreja, disse: ‘Vocês sempre estiveram ao lado do Sacerdócio, prontas para fortalecer-lhes a mão e fazer sua parte, ajudando a levar adiante os interesses do reino de Deus; e, ao compartilharem esses trabalhos, vocês sem dúvida compartilharão o triunfo da obra e a exaltação e a glória que o Senhor dará a Seus filhos fiéis.’ Ao participarem da Sociedade de Socorro, as mulheres servem como valorosas discípulas de Cristo no trabalho de salvação. Elas, assim como as mulheres da Igreja original, trabalham ao lado dos homens que possuem o sacerdócio para aumentar a fé e a retidão pessoal, fortalecerem a família e o lar, e buscar e ajudar os necessitados” (Filhas em Meu Reino, p. 7).


A Autoridade do Sacerdócio

“Todas as organizações auxiliares de ala e de estaca funcionam respectivamente sob a direção do bispo ou do presidente da estaca, que possuem as chaves para presidir” ( Manual 2, 2.1.1).

“Como profeta do Senhor, Joseph Smith possuía todas as chaves da autoridade do sacerdócio na Terra. Portanto, quando organizou a Sociedade de Socorro para atuar sob sua direção geral, ele tornou possível às mulheres da Igreja desempenhar um papel vital na obra do reino do Senhor” (Filhas em Meu Reino, p. 15).


Desenvolver União e Harmonia


“O Senhor disse: ‘Sede um; e se não sois um, não sois meus’ (D&C 38:27). Os líderes presidentes incentivam a união procurando aconselhar-se com os homens e as mulheres que servem ao seu lado. Os membros das presidências e dos conselhos ajudam a desenvolver união expressando suas ideias e sentimentos sinceros, comunicando-se claramente e ouvindo uns aos outros.

Quando os líderes das organizações da Igreja seguem seus líderes do sacerdócio e quando os membros das presidências e dos conselhos estão unidos, eles podem receber a orientação do Espírito Santo e liderar de acordo com a vontade do Senhor” (Manual 2, 3.3.2).

“O Profeta Joseph Smith ensinou: ‘Todos precisamos agir de comum acordo, ou nada poderá ser feito’. E ele deu o exemplo trabalhando de comum acordo com os outros. A irmã Eliza R. Snow lembrou e entesourou esse exemplo por toda a vida. Ela o compartilhou com os líderes locais da Igreja, quando a Sociedade de Socorro foi restabelecida em Utah. Ela ensinou que os bispos deviam ‘ter o mesmo relacionamento’ com a Sociedade de Socorro das alas, tal como Joseph Smith tinha com a Sociedade de Socorro em Nauvoo. Também ensinou que ‘cada sociedade (…) não pode existir sem o conselho [do bispo]’” (Filhas em Meu Reino, pp. 152–153).


Reuniões do Conselho da Ala

“Os membros do conselho são incentivados a expressar-se com sinceridade, com base tanto em sua experiência pessoal quanto em seu cargo como líder de uma organização. Tanto homens quanto mulheres devem sentir que seus comentários são valorizados como participantes plenos. O bispo incentiva as líderes da Sociedade de Socorro, Moças e Primária a darem sua opinião em todos os assuntos abordados pelo conselho da ala. O ponto de vista das mulheres às vezes é diferente do ponto de vista dos homens e acrescenta uma perspectiva essencial para a compreensão das necessidades dos membros e de como agir em relação a essas necessidades” (Manual 2, 4.6.1).

“O Élder M. Russell Ballard, do Quórum dos Doze Apóstolos disse: ‘Acreditamos em vocês e contamos com sua bondade e sua força, sua propensão para a virtude e a bravura, sua bondade e coragem, sua força e perseverança. Cremos em sua missão como mulheres de Deus. (…) Cremos que a Igreja simplesmente não realizará o que precisa realizar sem sua fé e fidelidade, sem sua tendência inata de pôr o bem-estar alheio antes de seu próprio bem-estar e sem sua força e persistência espirituais’” (Filhas em Meu Reino, p. 186).


O Trabalho de Salvação


“Os membros da Igreja de Jesus Cristo foram enviados ‘a fim de trabalharem em sua vinha para a salvação da alma dos homens’ (D&C 138:56). Esse trabalho de salvação inclui o trabalho missionário dos membros, a retenção de conversos, a ativação de membros menos ativos, o trabalho do templo e de história da família e o ensino do evangelho” (Manual 2, 5).

“O Presidente Joseph F. Smith, sexto Presidente da Igreja, disse: ‘Esta organização foi criada por Deus, autorizada por Deus, instituída por Deus e ordenada por Deus a ministrar em favor da salvação da alma das mulheres e dos homens’” (Filhas em Meu Reino, p. 7).


O Trabalho Missionário dos Membros

“O trabalho missionário dos membros é mais eficaz quando os membros do conselho da ala estão plenamente engajados na obra missionária. Nos quóruns e nas auxiliares, eles incentivam os membros a participar do trabalho missionário da seguinte maneira:

  1. Encontrando e preparando pessoas para serem ensinadas.
  2. Auxiliando os missionários quando eles ensinarem (na casa dos membros, se possível).
  3. Integrando os pesquisadores.
  4. Preparando-se e preparando os filhos para servir como missionários de tempo integral” (Manual 2, 5.1.2).

“O Presidente Spencer W. Kimball, décimo segundo Presidente da Igreja, [disse]: ‘Grande parte do crescimento da Igreja nos últimos dias acontecerá porque muitas das boas mulheres do mundo (em que frequentemente há um senso inato de espiritualidade) serão atraídas para a Igreja em grande número. Isso acontecerá na medida em que as mulheres da Igreja demonstrarem retidão e expressividade em sua vida, e na medida em que as mulheres da Igreja forem vistas — de modo positivo — como diferentes e distintas das mulheres do mundo’” (Filhas em Meu Reino, p. 104).


Retenção de Conversos

“Os membros novos da Igreja precisam do apoio e da amizade dos líderes, dos mestres familiares, das professoras visitantes e de outros membros. Esse apoio ajuda os membros novos a se tornarem firmemente ‘convertidos ao Senhor’ (Alma 23:6)” (Manual 2, 5.2).

“‘Vocês vão salvar almas, e quem pode dizer quantas pessoas que estão ativas na Igreja hoje devem isso ao fato de vocês terem entrado na casa delas. (…) Vocês não estão apenas salvando essas irmãs, mas talvez também o marido e o lar delas’” (Spencer W. Kimball, Filhas em Meu Reino, pp. 129–130).


Ativação

“Os líderes do sacerdócio e das auxiliares da ala se esforçam continuamente para ajudar os membros menos ativos a voltar à atividade na Igreja. Salvador disse: ‘A esses deveis continuar a ministrar; porque não sabeis se eles irão voltar e arrepender-se e vir a mim com toda a sinceridade de coração e eu irei curá-los; e sereis vós o meio de levar-lhes salvação’ (3 Néfi 18:32)” (Manual 2, 5.3).

“‘O Presidente Joseph Smith disse que esta sociedade foi organizada para salvar almas. O que as irmãs fizeram para trazer de volta aqueles que se perderam? — Para aquecer o coração daqueles que esfriaram no evangelho? — Outro livro registra sua fé, sua bondade, suas boas obras e palavras. Outro registro é mantido. Nada foi esquecido’” (Filhas em Meu Reino, pp. 91–92).


Templo e História da Família


“Os líderes do sacerdócio e das auxiliares ensinam aos membros da ala quais são suas responsabilidades básicas quanto ao trabalho do templo e de história da família. (…)

Incentivam os membros a receberem suas próprias ordenanças do templo e a ajudarem os familiares imediatos a receberem as deles. Os líderes ensinam aos membros que o propósito da investidura é preparar as pessoas para a exaltação, e não apenas para o casamento ou uma missão.

Os líderes incentivam todos os membros que receberam a investidura a terem uma recomendação para o templo válida e irem ao templo tão frequentemente quanto as circunstâncias ou as necessidades de sua família permitirem. Os líderes também incentivam os adultos sem investidura e os jovens com 12 anos ou mais, inclusive os membros novos, a terem uma recomendação de uso limitado para o templo e a irem ao templo frequentemente para ser batizados e confirmados em favor dos mortos. (…)

Os líderes do sacerdócio e das auxiliares ensinam os membros a participar do trabalho de história da família, identificando seus antepassados, pedindo que as ordenanças do templo sejam realizadas por eles, se necessário, e realizando pessoalmente essas ordenanças no templo, se possível” (Manual 2, 5.4).

“Sarah M. Kimball e Margaret Cook (…) queriam ajudar a preparar um templo para as pessoas. Sob a inspiração e a orientação de um profeta e de outros líderes do sacerdócio, ela e as irmãs acabaram ajudando a preparar um povo para o templo. Esse trabalho continua hoje em dia. Guiadas pelos princípios ensinados por Joseph Smith, as irmãs da Sociedade de Socorro trabalham juntas, a fim de preparar as mulheres e suas famílias para as maiores bênçãos de Deus” (Filhas em Meu Reino, p. 26).


Ensinar o Evangelho

“Os líderes do sacerdócio e das auxiliares empenham-se para ensinar o evangelho de modo eficaz. Também são responsáveis pela tarefa de melhorar o aprendizado e o ensino em suas respectivas organizações” (Manual 2, 5.5.3).

“O Presidente Boyd K. Packer do Quórum dos Doze Apóstolos declarou:

‘A Sociedade de Socorro trabalha sob a direção do Sacerdócio de Melquisedeque, pois ‘todos os outros ofícios ou autoridades da igreja são apêndices desse sacerdócio’. Ela foi organizada ‘segundo o padrão do sacerdócio’. (…)

‘Os irmãos sabem que pertencem a um quórum do sacerdócio. Muitas irmãs, no entanto, pensam que a Sociedade de Socorro é só uma aula a que elas assistem. O mesmo sentimento de pertencer à Sociedade de Socorro em vez de apenas assistir a uma aula deve ser colocado no coração de cada mulher’.

Os quóruns do sacerdócio organizam os homens em uma irmandade para prestar serviço, para aprender e desempenhar seus deveres, e para estudar as doutrinas do evangelho. A Sociedade de Socorro cumpre esses mesmos propósitos para as mulheres da Igreja. Todas as mulheres da Igreja pertencem à Sociedade de Socorro, mesmo que tenham outras responsabilidades que dificultem sua presença às reuniões da Sociedade de Socorro. Elas estão continuamente sendo cuidadas e ensinadas por meio da irmandade da Sociedade de Socorro” (Filhas em Meu Reino, pp. 151–152).

“A irmã Snow esperava que as irmãs ‘percebessem uma diferença na casa delas’ depois de uma visita.  Ela aconselhou as professoras visitantes a preparar-se espiritualmente antes de visitar os lares para que pudessem conhecer e atender às necessidades espirituais e temporais: ‘A professora (…) deve estar em sintonia com o Espírito do Senhor de tal maneira que, ao entrar em uma casa, reconheça o espírito presente ali. (…) Roguem perante Deus e o Espírito Santo para que tenham [o Espírito] de modo que possam atender ao espírito predominante naquela casa (…) e sentirão se devem falar palavras de paz e consolo, e caso encontrem a irmã passando frio, tomem-na em seu coração, como tomariam a uma criança no colo para aquecê-la’” (Filhas em Meu Reinop. 118).


Princípios e Liderança de Bem-Estar


“O bem-estar é um ponto central do trabalho do grupo de sumos sacerdotes, do quórum de élderes e da Sociedade de Socorro. Nas reuniões de liderança do grupo de sumos sacerdotes, da presidência do quórum de élderes e da presidência da Sociedade de Socorro, os líderes planejam meios de ensinar princípios de autossuficiência e serviço ao próximo e de atender às necessidades de bem-estar. Sob a direção do bispo, esses líderes ajudam os membros a se tornarem autossuficientes e a encontrarem soluções para problemas de bem-estar de curto e de longo prazo” (Manual 2, 6.2.4).

“O Presidente Young, segundo Presidente da Igreja, expressou o desejo de restabelecer a Sociedade de Socorro em toda a Igreja. No ano seguinte, o Presidente Young sentiu maior urgência em ajudar os bispos na responsabilidade de buscar e ajudar os necessitados. Iniciando a tarefa de restabelecer a Sociedade de Socorro em todas as alas, ele deu o seguinte conselho aos bispos: ‘Deixem-nas [as irmãs] organizar a Sociedade de Socorro Feminina nas diversas alas. Temos muitas mulheres talentosas entre nós e desejamos que nos ajudem nesse assunto. Algumas pessoas podem pensar que isso é uma coisa sem importância, mas não é. Irão perceber que as irmãs serão a mola mestra do movimento. Compartilhem sua sabedoria, experiência e influência com elas, liderem-nas de maneira sábia e correta, e elas encontrarão abrigo para os pobres e conseguirão os meios necessários para ampará-los dez vezes mais rápido do que o próprio bispo conseguiria fazer’” (Filhas em Meu Reino, p. 45).


 

“O Presidente Spencer W. Kimball, décimo segundo Presidente da Igreja, disse: ‘Há um grande poder nessa organização [da Sociedade de Socorro] que ainda não foi plenamente exercido para fortalecer os lares de Sião e edificar o Reino de Deus — nem será até que tanto as irmãs quanto o sacerdócio compreendam o valor da Sociedade de Socorro’” (Filhas em Meu Reino, p. 155).