Emma Hale Smith

Primeira Presidente Geral
da Sociedade de Socorro

1842–1844


 

Emma Hale Smith

Emma Hale Smith, primeira presidente geral da Sociedade de Socorro, teve uma visão do grande trabalho da Sociedade de Socorro Feminina de Nauvoo quando foi formada em 17 de março de 1842. O Profeta Joseph Smith tinha prometido organizar as mulheres “segundo o padrão do sacerdócio”.1 Naquela primeira reunião, Emma disse às mulheres: “Faremos algo extraordinário — quando um barco ficar preso na correnteza de um rio, com muitos mórmons a bordo, consideraremos isso um grito de socorro — esperamos ocasiões extraordinárias e chamados urgentes”.2 Naquela época, as irmãs realmente vivenciaram ocasiões extraordinárias e receberam chamados urgentes, como ainda ocorre hoje.

Quase doze anos antes da organização da Sociedade de Socorro, o Profeta Joseph Smith recebeu uma revelação na qual o Senhor referiu-se a Emma como “uma mulher eleita, a quem chamei”. Depois, ela soube que seria “ordenada (…) para explicar as escrituras e exortar a igreja, conforme [fosse] revelado [a ela] pelo (…) Espírito” (D&C 25:3, 7). Joseph disse que seu chamado como presidente da recém-formada organização da Sociedade de Socorro foi cumprimento dessa profecia.

Infância e Casamento

Emma nasceu em 10 de julho de 1804, em Harmony Township, Pensilvânia, a sétima criança a nascer na família de Elizabeth Lewis e Isaac Hale. Emma conheceu Joseph Smith Jr. em 1825, quando ele morou temporariamente com a família dela. Emma e Joseph casaram-se em 18 de janeiro de 1827 contra a vontade de Isaac Hale, pai de Emma. Em dezembro de 1827, Joseph começou a trabalhar na tradução do Livro de Mórmon. Emma e Joseph tiveram onze filhos, mas somente cinco viveram até a idade adulta. Emma faleceu em 30 de abril de 1879 em Nauvoo, Illinois.

Talvez o maior exemplo e legado que Emma tenha deixado seja a forma como cumpriu o chamado que recebeu em Doutrina e Convênios 25:5, quando o Senhor instruiu-lhe a confortar o marido “em suas aflições, com palavras consoladoras, com espírito de mansidão”. As palavras do próprio Joseph descrevem melhor o consolo que ela lhe deu: “Com que inexprimível deleite e efusão de alegria no peito tomei pela mão, naquela noite, a minha amada Emma — ela que era minha esposa, sim, a esposa de minha juventude e a escolhida de meu coração. Ela estava ali, até nos momentos mais terríveis — impassível, firme e inabalável — imutável e afetuosa Emma!”3

Serviços Mais Significativos

Emma propôs o nome Sociedade de Socorro Feminina de Nauvoo. Embora tenha servido de escrevente para Joseph durante certo tempo enquanto ele traduzia o Livro de Mórmon, Emma nunca viu as placas de ouro. Ela serviu de instrumento para que fosse revelada a Palavra de Sabedoria, pois foi quem demonstrou preocupação ao Profeta sobre o tabagismo de muitos homens. Em 1843, Emma organizou um comitê de visitas, o começo das professoras visitantes, e compilou o primeiro hinário da Igreja.

Seu Coração

Emma revelou seus maiores anseios numa carta a Joseph: “Desejo o Espírito de Deus para conhecer-me e compreender-me, de modo a ser capaz de superar qualquer tradição ou natureza que não contribua para a minha exaltação nos mundos eternos. Desejo uma mente fértil e ativa, para ser capaz de compreender os desígnios de Deus, quando revelados por intermédio de seus servos, sem duvidar”.4


Notas

  1. Sarah M. Kimball, “Autobiography”, Woman’s Exponent, 1º de setembro de 1883, p. 51.
  2. Emma Smith, Relief Society Minute Book, Nauvoo, Illinois, 17 de março de 1842, Biblioteca de História da Igreja, Salt Lake City, p. 12.
  3. Joseph Smith, History of the Church, 5:107.
  4. Emma Smith a Joseph Smith, 1844, Biblioteca de História da Igreja, Salt Lake City.

Voltar Voltar à página inicial das Presidentes Gerais da Sociedade de Socorro.