Treinamento das Auxiliares 2011 - Escola Dominical


Para ensinar e para ajudar as pessoas a aprenderem a ensinar na Igreja, três elementos são essenciais: ensinar a doutrina, incentivar a ação e citar as bênçãos prometidas, dizem os membros da presidência geral da Escola Dominical da Igreja.

Essa mensagem foi transmitida para líderes da Escola Dominical, em uma das sessões de treinamento para as auxiliares realizadas, pouco antes da última conferência geral da Igreja.

David M. McConkie

O primeiro conselheiro, David M. McConkie, fala sobre ensinar doutrinas-chave como elemento do ensino na Igreja. (Foto de R. Scott Lloyd)

“Se prestarmos atenção em algumas das aulas a que assistimos, há momentos em que não conseguimos identificar a doutrina que está sendo ensinada”, observou Russell T. Osguthorpe, presidente geral da Escola Dominical, na sessão de 30 de março, no teatro do Centro de Conferências de Salt Lake City. “Aprender e ensinar o evangelho significa ensinar as doutrinas do reino. Toda vez que ensinamos uma doutrina-chave, convidamos as pessoas à ação e prometemos bênçãos.”

O irmão Osguthorpe e seus conselheiros na presidência destacaram cada um desses elementos. Eis um resumo do que disseram:

Ensinar Doutrinas-Chave

Matthew O. Richardson, segundo conselheiro na presidência, citou Doutrina e Convênios 88, dizendo que a seção visava promover a paz entre os primeiros membros da Igreja.

“De fato, o Profeta Joseph chamou a seção 88 de ‘a folha da oliveira’”, observou o irmão Richardson. “Convido vocês a lerem a seção 88 por uma nova perspectiva, leiam pela perspectiva de quem vai ensinar e procurem descobrir maneiras pelas quais o Senhor Jesus Cristo nos convida a usar o ato de ensinar para encontrar paz em nossa vida.”

Ele chamou a atenção para o versículo 77 daquela seção, que contém o mandamento de “[ensinar] a doutrina do reino uns aos outros”.

“Não [basta] simplesmente pregar nem simplesmente ensinar, nem se reunir e trocar experiências”, comentou ele a respeito do versículo, “mas esse aspecto de melhorar o aprendizado e o ensino proporcionará paz a nossa alma. E especialmente nos tempos conturbados, recebemos o mandamento de ensinar as doutrinas do reino.”

Matthew O. Richardson

O segundo conselheiro na Presidência Geral da Escola Dominical, Matthew O. Richardson, fala sobre ensinar doutrinas-chave como elemento do ensino na Igreja. (Foto de R. Scott Lloyd)

Para uma explicação do que é a doutrina, o irmão Richardson referiu-se a uma declaração do Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze, de que a doutrina se refere “às eternas, imutáveis e simples verdades do evangelho de Jesus Cristo”.

O irmão Richardson expressou a desejo de que o ensino da doutrina jamais seja “tão carregado a ponto de se tornar irrealista e demasiadamente pesado para as pessoas”, mas que em vez disso seja fundamentado nas verdades que são os elementos simples do evangelho de Cristo.

Essas verdades respondem os porquês da vida, disse ele, citando o Élder Bednar.

“Sempre serei grato”, disse o irmão Richardson, “às pessoas que, por meio de sua liderança e ensino, permanecerem fiéis às doutrinas do evangelho de Jesus Cristo”.

Como exemplo, ele falou do pai, um converso da Igreja que serviu por mais de dez anos como chefe de um grupo de escoteiros, antes de ser batizado. “Ele passou por 23 duplas de missionários naqueles dez anos, mas o que realmente o influenciou e ajudou não foi simplesmente o convívio, mas as doutrinas que aprendeu com os líderes que se ativeram às verdades simples que o ajudaram a responder os porquês de sua vida.”

Matthew O. Richardson

A Presidência Geral da Escola Dominical apresenta treinamento auxiliar para os líderes visitantes paralelamente à conferência geral. O treinamento aconteceu no Teatro do Centro de Conferências no dia 30 de março de 2011. (Foto de R. Scott Lloyd)

Mostrando uma ilustração animada de uma chave que entra em uma fechadura e se encaixa em seus elementos sequenciais, o irmão Richardson disse: “Nossa tarefa é girar a chave, e embora pareça que todos têm a mesma fechadura no coração, na vida, etc., não é esse o caso. Precisamos encontrar o recurso, a chave, as doutrinas que vão permitir que a chave seja girada”.

Ele incentivou os líderes da Escola Dominical a convidarem as pessoas a se prepararem cedo. “Quando nos preparamos cedo, o Espírito Santo pode levar-nos não só a compreender o quanto as doutrinas são abrangentes e profundas, Ele pode agir sobre nós para que sejamos capazes de discernir que doutrinas são essenciais ou quais são as doutrinas chave.”

Como exemplo, ele disse que uma aula de doutrina do evangelho poderia abordar a parábola do bom samaritano e a parábola do servo incompassivo. Em determinada classe, “a santidade do relacionamento conjugal pode sobressair-se ao meditarmos nos elementos de nossa preparação”, disse ele, “e então podemos decidir contar a parábola do servo incompassivo, que ensina que precisamos perdoar as coisas pequenas e as grandes, e que talvez seja mais relevante para minha classe de doutrina do evangelho, em que eu lido com pessoas casadas que precisam vencer desafios e aprender.”

Convidar à Ação

David M. McConkie, primeiro conselheiro na presidência, contou a parábola de um renomado chefe de cozinha que convidou pessoas a sua casa para uma noite especial. Ele preparou uma refeição muito elaborada para a ocasião. Na noite marcada, ele convidou as pessoas a passarem pela cozinha, onde poderiam desfrutar dos maravilhosos aromas da refeição que ele havia preparado. Ele também falou-lhes do processo de preparação. Quando a visita à cozinha terminou, ele agradeceu aos convidados por terem ido a sua casa e os acompanhou até a porta de saída.

“Como professores do evangelho de Jesus Cristo em nossas classes, muitas vezes agimos como esse chefe de cozinha”, disse o irmão McConkie. “Preparamos uma lição até os mínimos detalhes. (…) Mas às vezes esquecemos de convidá-los a participar das coisas que ensinamos e a incorporá-las.”

Ocasionalmente, depois de uma aula bem preparada, o aluno fica imaginando: “O que isso tem a ver comigo?” disse o irmão McConkie.

“Quando estava na Terra, o Salvador convidou todos a achegarem-se a Ele. Como professores do evangelho de Jesus Cristo, somos agentes do Senhor. Representamos o Senhor Jesus Cristo, estamos a serviço Dele e nossa principal responsabilidade como professores do evangelho é convidar nossos alunos a achegarem-se a Cristo, a serem como Ele, a viverem como Ele viveu e a agirem como Ele agia. Fazemos isso todas as semanas ao ensinarmos as doutrinas-chave.”

Depois disso, o professor deve convidar os alunos a agir, a fazer algo com o que lhes foi ensinado, disse ele. “Então, eles podem sair da sala de aula com algumas metas em mente. Na semana seguinte, na aula, você pode até recapitular o que eles foram convidados a fazer e talvez até pedir a alguns de seus alunos que contem as experiências que tiveram na semana anterior por terem aceitado o convite que você lhes fez como professor.”

Ele perguntou: “Podem imaginar o Salvador ensinar algo e não convidar quem o ouvia a fazer algo novo com a mensagem que Ele transmitiu?”

Ele acrescentou: “Ensinamos e aprendemos linha sobre linha, preceito sobre preceito, um pouco aqui e um pouco ali. Se fizermos isso, nossos alunos e nós próprios vamos aumentar e desenvolver nossa força e testemunho. Vamos achegar-nos mais ao Salvador, a nosso Senhor Jesus Cristo”.

Russell T. Osguthorpe

A Presidência Geral da Escola Dominical apresenta treinamento auxiliar para os líderes visitantes paralelamente à conferência geral. O treinamento aconteceu no Teatro do Centro de Conferências no dia 30 de março de 2011. (Foto de R. Scott Lloyd)

Prometer Bênçãos

O irmão Osguthorpe disse que ouviu professores dizerem que se sentiam pouco à vontade para convidar os alunos à ação ou prometer bênçãos, achando que pareceria presunção deles, já que não são Autoridades Gerais.

“Minha resposta é que se olharmos para as doutrinas conforme explicadas nas escrituras, o convite à ação e as bênçãos prometidas sempre estarão ali com a doutrina, porque quando o Senhor ensina uma doutrina, Ele sempre convida, e Ele sempre promete bênçãos.”

Russell T. Osguthorpe

O presidente geral da Escola Dominical, Russell T. Osguthorpe, fala sobre as bênçãos prometidas como elemento do ensino na Igreja. (Foto de R. Scott Lloyd)

Ele citou como exemplo os ensinamentos sobre o dízimo e sobre a Palavra de Sabedoria. Nas escrituras, essas doutrinas levam consigo promessas, no caso do dízimo, as janelas do céu serão abertas e serão derramadas bênçãos, e nos caso da Palavra de Sabedoria, os obedientes correrão e não se cansarão, caminharão e não desfalecerão, e receberão tesouros ocultos e proteção contra o anjo destruidor.

“Portanto, o Senhor promete bênçãos”, disse o irmão Osguthorpe. “Nós, como professores, ajudamos as pessoas a reconhecerem essas bênçãos.”

Ele contou que, quando era presidente de missão, disse aos missionários sob sua responsabilidade que eles deveriam reconhecer todos os dias a mão do Senhor em sua vida. As pessoas que fazem isso receberão as bênçãos do Senhor, disse ele.

Reconhecer as bênçãos prometidas é aprender o evangelho, e esse é um tipo de aprendizado com o qual o mundo, de modo geral, não está acostumado, disse o irmão Osguthorpe. “A promessa de bênçãos é algo exclusivo do ensino do evangelho, e é isso que fazemos na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias: ajudar as pessoas a aceitar o convite, colocar em prática esse convite, mudar algo em sua vida e depois receber a bênção prometida que está associada àquela doutrina.” rscott@desnews.com