300 Jovens em Portugal “Erguem-se e Brilham” no EFY 2012

  Dinis Adriano, Director de Sessão EFY 2012

  • 2 Setembro 2012

Afirma Nuno Santos, um jovem da ala da Maia, “Aprendi muito neste EFY e decidi que vou fazer uma missão. Para o próximo ano, trato dos papéis e vou pregar o evangelho durante dois anos”.

“Estamos muito agradecidos por fazerem com que o nosso trabalho de pais seja mais fácil. Os jovens têm agora metas e objetivos mais elevados e mais nobres”. As palavras desta mãe comprovam que o objetivo do EFY, que decorreu de 6 a 11 de Agosto de 2011, na Universidade do Minho, em Guimarães foi cumprido. O desafio é o de fazer com que os jovens se acheguem a Cristo e sintam que podem ser ajudados por Deus a fazer as escolhas certas, em cada momento das suas vidas, no mundo complicado e inseguro em que hoje vivem.

Mais de 300 jovens, dos 14 aos 18 anos de idade, vindos de todo o país e também de alguns países do continente europeu e americano, responderam ao convite de participar numa conferência especialmente preparada para eles e que segue o modelo implementado pela Universidade Brigham Young (BYU). Desde 1975, mais de 500 mil jovens já passaram pelo programa, em mais de 30 países do mundo.

Em Portugal esta foi a segunda edição, após a primeira conferência que decorreu em Agosto de 2010, em Braga e que foi um sucesso estrondoso. Cada sessão do EFY é preparada meticulosamente por uma equipa multidisciplinar com muitos meses de antecedência, de modo a se garantirem todas as condições para que o evento decorra sem problemas e seja um sucesso a todos os níveis.

Um das particularidades das conferências EFY passa pelo facto de os líderes (no programa são chamados de conselheiros) que estão sempre ao lado dos jovens, serem eles também jovens dos 18 aos 30 anos de idade, não casados, que dedicam voluntariamente o seu tempo para apoiar, ensinar e liderar os jovens neste programa intensivo, ao longo de uma semana. Neste ano, alguns dos quarenta conselheiros e conselheiras eram jovens que tinham participado na primeira edição realizada em Portugal e que agora, tendo atingido o limite dos 19 anos de idade, não quiserem perder a oportunidade de voltar a participar de novo. Este facto demonstra o quanto este programa é entusiasmante e irresistível. “Nunca esquecerei a semana que passei com os jovens. Adorei estar no EFY e sei que este programa muda vidas. Eu própria sou um dos resultados das mudanças que ele provoca na vida das pessoas”, afirmou Jéssica Marinho, conselheira na edição deste ano.

Ao longo da semana os jovens tem os dias completamente preenchidos com aulas, atividades recreativas, estudo das escrituras e estudo do evangelho, bailes, jogos e devocionais - sessões com a duração de uma hora, em que são apresentados princípios doutrinários do evangelho de Jesus Cristo, recorrendo-se a uma forte componente audiovisual e multimédia. A intensidade e a diversidade do programa é de tal ordem que os jovens são convidados a deixarem os seus telemóveis nos quartos durante o dia, para não serem distraídos.

Em cada EFY, os participantes são também são desafiados a participarem numa apresentação musical e numa apresentação de talentos. O programa musical, que inclui textos narrados ao vivo, é entrecortado por músicas inspiradoras, cantadas e interpretadas pelos jovens. É sempre um momento muito espiritual e emocional. Nesta conferência, quase 100 jovens, um terço do total de participantes, colaborou no programa musical, algo inédito a nível mundial. No show de talentos, sujeito a um rigoroso casting, foram realizadas 14 apresentações, que incluíam danças, músicas, canções, teatro, sketches humorísticos, entre outros.

Com o decorrer da semana, os jovens foram ganhando novos hábitos e perceberam que podiam ser ainda mais felizes e fortes, vivendo os princípios do evangelho de Jesus Cristo. Não sendo algo surpreendente para alguns, não deixa de ser uma marca que ficará para o resto das suas vidas - afinal pode-se viver uma vida cheia e abundante, seguindo o exemplo do Salvador. As palavras de Filipa Silva, uma jovem da estaca de Setúbal, dão conta desta realidade, “esta foi uma das melhores semanas da minha vida, pude realmente sentir o Espírito tão forte… Pude pensar mais aprofundadamente sobre o sacrífico expiatório de Jesus Cristo e ver que só um verdadeiro Pai que nos ama daria o Seu filho por nós. O EFY ajudou-me a melhorar muitos aspectos na minha vida, ajudou-me a perceber que por mais que as coisas do mundo sejam mais fáceis e tentadoras eu devo seguir sempre o caminho certo. Sou uma filha de Deus e apesar de ter falhas sei que Ele me ama”. A Filipa conclui, dizendo que “esta semana deu-me forças para continuar a ser um exemplo na vida dos meus amigos, mostrar-lhes que não é preciso fumar, beber ou dizer palavrões nem ligar a coisas banais para ser feliz. Sei que sou diferente, eles também o sabem e agradeço ao evangelho por isso.”

O ponto alto da semana, segundo os jovens que participaram, foi a reunião de testemunhos, que decorreu no final da 5ª feira. Muitos dos participantes têm nesta reunião a sua primeira oportunidade de falar, durante uns curtos minutos, para uma audiência de quase 400 pessoas, declarando as suas crenças e contando como vivem no seu dia-a-dia os valores do evangelho de Jesus Cristo, muitas vezes em condições adversas. “No início da semana, não ia com o Espírito certo, ia só pra fazer amizades”, afirma Nuno Santos, um jovem da ala da Maia, “mas passados dois dias, quando me ajoelhei para orar e dormir, perguntei se estaria a fazer as coisas certas e por que razão não estava a sentir a companhia do Espírito. Na reunião de testemunhos, no final da 5ª feira, o Espírito tocou-me de tal forma que eu soube que afinal havia estado sempre comigo. Aprendi muito neste EFY e decidi que vou fazer uma missão. Para o próximo ano, trato dos papéis e vou pregar o evangelho durante dois anos”.

Lágrimas de alegria foram derramadas, almas renovadas e compromissos mais elevados de sacrifício, fé e obediência foram estabelecidos. O tema do EFY deste ano, “Erguei-vos e brilhai, para que a vossa luz seja um estandarte para as nações”, foi plenamente cumprido, com os jovens a saírem mais preparados e fortalecidos nos seus valores e crenças, de modo a serem melhores representantes e seguidores de Jesus Cristo junto das suas famílias, amigos e comunidades.