Aplicar o evangelho de Jesus Cristo no nosso dia-a-dia, o tema da 65ª conferência da estaca de Lisboa

  Joana Alcobia Paulo, responsável das Páginas Locais na estaca de Lisboa

  • 30 Setembro 2013

Os líderes da estaca de Lisboa acompanhados pelo presidente do templo de Madrid. De esquerda para direita: Luís Filipe Ferreira, secretário da estaca de Lisboa; Aníbal Gago, segundo conselheiro da estaca de Lisboa; presidente e irmã Tenney, presidentes do templo de Madrid; Gustavo Silva, presidente da estaca de Lisboa; Mário Rodrigues, primeiro conselheiro da estaca de Lisboa; José Carlos Ferreira, patriarca da estaca de Lisboa.

O programa da conferência, que decorreu nos dias 21 e 22 de Setembro, contou com vários discursos e testemunhos que, apesar dos seus variados temas se centralizaram na forma como no nosso dia-a-dia podemos aplicar o evangelho de Jesus Cristo.

Desta vez tivemos a presença de dois convidados muito especiais. Na realidade estamos habituados a vê-los vestidos de branco, pois são o Presidente Tenney, presidente do templo de Madrid e a sua esposa, diretora do mesmo templo. Com a sua imensa sabedoria e bom humor, falaram-nos da importância das famílias no plano de Deus e de como a nossa ida ao templo fortalece os nossos laços familiares. O trabalho realizado no templo é muitas vezes o resultado do trabalho nas nossas próprias unidades, como quando por exemplo ajudamos os membros menos ativos na Igreja a se tornarem mais dedicados, ou quando estabelecemos laços de amizade com os nossos visitantes. A presença e as palavras inspiradas deste casal trouxeram mais santidade à nossa conferência e fizeram-nos reviver o doce Espírito que sentimos no templo.

O presidente da estaca, Gustavo Silva, encerrou a última sessão da conferência, que decorreu no domingo de manhã, no Teatro Tivoli. Lembrou-nos da necessidade de cumprirmos a medida da nossa criação. Mesmo sem estarmos constantemente a ser perseguidos pelos “ paparazzi”, somos todos príncipes, pois como diz o hino, somos filhos de um Rei. Deixou-nos assim o desafio pessoal de descobrirmos e entendermos a nossa missão terrena e de sermos fiéis a ela, mesmo nos momentos mais difíceis, de nos sacrificarmos para podermos atingir o nosso potencial.

A sessão geral de domingo terminou com a apresentação do coro da Estaca que mais uma vez, com a sua bela música, tocou os corações dos santos ali reunidos.