O Livro de Mórmon: Coligar Israel, Preparar para a Segunda Vinda

  R. Scott Lloyd, redator do Jornal Church News

  • 28 January 2013

O Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala na sessão de encerramento do seminário para novos presidentes de Centros de Treinamento Missionário e diretores de Centros de Visitantes no dia 17 de janeiro. Foto de R. Scott Lloyd

Destaques do Artigo

  • Élder Russell M. Nelson fala aos casais no Seminário de 2013 para novos presidentes de Centros de Treinamento Missionário e diretores de Centros de Visitantes no dia 17 de janeiro.
  • O Livro de Mórmon ajuda a cumprir os objetivos divinos do Senhor de coligar a Israel dispersa e preparar o mundo para a Sua segunda vinda.
  • O trabalho de história da família é uma meio de coligar Israel do outro lado do véu.

“Ajudamos a reunir os eleitos do Senhor em ambos os lados do véu.” — Élder Russell M. Nelson do Quórum dos Doze Apóstolos

Provo, Utah

O Livro de Mórmon “destina-se especificamente aos remanescentes da casa de Israel” e é um sinal para o mundo de que o Senhor começou a coligar a Israel dispersa, disse o Élder Russell M. Nelson do Quórum dos Doze Apóstolos no dia 17 de janeiro.

O discurso do Élder Nelson no Edifício Memorial Joseph Smith em Salt Lake City, encerrou os três dias do Seminário de 2013 para Novos Presidentes de Centros de Treinamento Missionário e Diretores de Centros de Visitantes. Ele falou aos 18 casais que se preparavam para partir e que estavam no Centro de Treinamento Missionário de Provo nos dois primeiros dias do seminário e receberam instruções e treinamentos finais em Salt Lake City.

Referindo-se ao capítulo 5 do guia missionário Pregar Meu Evangelho,, o Élder Nelson salientou que ele ensina cinco coisas a respeito do Livro de Mórmon: que é a pedra angular da religião SUD, que testifica de Cristo, que ele e a Bíblia apoiam um ao outro, que ele responde às perguntas da alma e que aproxima as pessoas de Deus.

“Essas são declarações boas e verdadeiras, mas qual seria a perspectiva de nosso Pai Celestial e Seu Filho Amado, Jesus Cristo, se vocês Lhes perguntassem cinco coisas a respeito do Livro de Mórmon?” perguntou. “Não acho que seriam essas cinco”.

Ele disse que a perspectiva do Pai e do Filho, conforme apareceram ao Profeta Joseph Smith no bosque sagrado “certamente seria moldada por duas promessas de longa data que fizeram a toda a humanidade”.

O Élder Nelson identificou essas promessas como a coligação da Israel dispersa e a volta do Senhor.

“Essas duas promessas teriam sido primordiais ao introduzir a última dispensação, esta dispensação da plenitude dos tempos”, disse ele.

O Élder Nelson salientou que todas as dispensações do evangelho anteriores foram limitadas em tempo e local, mas não é assim com esta, a dispensação final.

Na dispensação de Abraão, disse o Élder Nelson, Deus fez convênios que, por meio da linhagem de Abraão, as pessoas de todas as nações seriam abençoadas. Outros componentes do convênio foram: posteridade inumerável, certas terras seriam herdadas, o Salvador do mundo viria por meio da sua linhagem e a semente de Abraão seria a portadora oficial do sacerdócio a todas as Nações, explicou.

Élder David F. Evans dos Setenta, à esquerda, Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze, irmã Wendy Nelson e Élder Russell M. Nelson cumprimentam os casais ao saírem da sala, após a mensagem do Élder Nelson.

O Élder Nelson contou que Israel foi desobediente e foi dispersa por esse motivo, mas Deus prometeu que, no devido tempo, a Israel dispersa seria coligada novamente ao rebanho do Senhor.

“A página de rosto do Livro de Mórmon faz referência à casa de Israel e os três discursos de despedida de Mórmon e Morôni encerram o Livro de Mórmon fazendo referência sobre a coligação de Israel”, explicou o Élder Nelson. “Assim, todo o Livro de Mórmon está delimitado por essa doutrina. É um dos ensinamentos importantes da Igreja”.

Ele citou estas palavras de Cristo: “Quando, de sua longa dispersão, reunirei meu povo, ó casa de Israel, e estabelecerei novamente no meio deles minha Sião” (3 Néfi 21:1).

“Assim, o surgimento do Livro de Mórmon existe como um sinal para todo o mundo de que o Senhor começou a coligar Israel e cumprir os convênios que fez com Abraão, Isaque e Jacó há 4.000 anos”, comentou o Élder Nelson.

“Não apenas ensinamos esse conceito, mas participamos dele”, salientou aos casais missionários. “Nós o fazemos ao ajudar a reunir os eleitos do Senhor em ambos os lados do véu. Maravilhosa e misericordiosamente, o convite de vir a Cristo também pode ser estendido aos que morreram sem o conhecimento do evangelho. Parte de sua preparação exige um trabalho terreno de outras pessoas”.

Ele disse que a esposa, Wendy, que ele apresentou ao grupo no início da sessão, “está preparada para receber um chamado para agir à noite”. Ele explicou que ela sente o chamado de seus antepassados falecidos e trabalha até tarde da noite fazendo pesquisas para identificá-los. “Ela mantém nossa família suprida com nomes das pessoas que não a deixam dormir à noite”.

Ele acrescentou, em relação àqueles que estão empenhados na coligação da Israel dispersa: “então reunimos os gráficos de linhagem e criamos folhas de grupo familiar e fazemos o trabalho do templo vicariamente para reunir as pessoas ao Senhor e a suas famílias, suas famílias eternas”.

A promessa da coligação é importante, disse o Élder Nelson, porque é “um prelúdio prometido para preparar o mundo para a Segunda Vinda do Senhor. Assim, do ponto de vista da Deidade, o Livro de Mórmon e o estabelecimento da Igreja apenas abriram a porta para o cumprimento dessas duas grandes promessas que estão pendentes.

“O Livro de Mórmon é o instrumento de Deus trazido à luz para realizar ambos os objetivos divinos”.