A Igreja na África está “Vibrante e Progredindo”, disse o Élder Bednar

  Sarah Jane Weaver, Editora Assistente do Church News, e James Dalrymple, colaborador do Church News

  • 14 November 2013

O Élder Bednar e sua mulher, a irmã Susan R. Bednar, posam com membros na República do Gabão, um país soberano na costa oeste da África Central.

“Toda vez que tenho a oportunidade de vir e testemunhar o que o Senhor está realizando entre as pessoas aqui, fico emocionado. A África me transforma.” — Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos

“A Igreja está vibrante e progredindo na África”, disse o Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos, durante sua recente visita à Área África Sudeste.

Há uma ansiedade e brilho nos olhos dos santos dos últimos dias africanos, disse ele. Este é um lugar onde muitas pessoas vivem de modo difícil e desafiador. Eles não têm muitos dos confortos materiais e bênçãos que as pessoas no mundo ocidental possuem. Muitos desses santos são gratos por terem uma refeição essencial por dia. Mas devido ao evangelho de Jesus Cristo, eles têm grande luz e esperança. Aprendo muito com as pessoas, toda vez que visito o continente africano”.

O Élder Bednar e sua mulher, a irmã Susan R. Bednar, viajaram para a África de 23 de outubro a 6 de novembro. Reuniram-se com os membros e missionários, quando ele realizou uma análise da Área África Sudeste da Igreja e visitou o Gabão, um país soberano na costa oeste da África Central.

O Élder Bednar estava acompanhadom, na designação, pelo Élder Craig C. Christensen da Presidência dos Setenta, e sua mulher, a irmã Debbie Christensen; Bispo Gérald Caussé, Primeiro Conselheiro no Bispado Presidente, e sua mulher, irmã Valérie Caussé; e membros da Presidência da Área África Sudeste e suas respectivas esposas.

Os líderes, membros e missionários em Johannesburgo e Durban, África do Sul; Lubumbashi e Kinshasa, República Democrática do Congo; e Libreville, Gabão, receberam instruções edificantes das Autoridades Gerais e respectivas esposas.

“A África é um lugar encantador e inspirado”, disse o Élder Bednar. “A África é diversa e complexa. Há comunidades altamente industrializadas e sofisticadas e aldeias rurais e simples. O evangelho de Jesus Cristo reúne todos os tipos de pessoas na rede do evangelho. Ainda que haja uma fé forte comum entre os santos dos últimos dias, há também uma notável diversidade”.

A África é uma das áreas de mais rápido crescimento da Igreja. Referindo-se a esse crescimento, o Élder Bednar mencionou que um presidente de estaca na República Democrática do Congo tem um desafio semanal incomum na reunião sacramental — encontrar tempo suficiente para as confirmações. Durante uma recente reunião, 18 membros novos foram confirmados.

“Isso é um problema maravilhoso de se ter”, disse o Élder Bednar. Há lugares na África, onde os missionários de tempo integral não servem atualmente, mas continuam a ser criadas estacas e a se desenvolverem, devido ao trabalho missionário dos membros. “Encontrar pessoas para ensinar não é um problema fundamental na África. O desafio é certificar-se de que haja líderes do sacerdócio e das auxiliares suficientes para sustentar o crescimento, a fim de que a Igreja possa ser unida e forte”.

O Bispo Caussé, visitando a África pela primeira vez, indicou que o Bispado Presidente está realmente a par do crescimento na área. Seu trabalho concentra-se em assegurar-se de que os membros tenham capelas suficientes e a ajuda material de que necessitam para levar a obra adiante.

O Élder David A. Bednar fala aos membros durante uma visita à África do Sul. Foto de James Dalrymple.

Alguns talvez calculem a maturidade da Igreja em uma área pelo número de capelas, pelo tamanho das congregações ou pelas ferramentas disponíveis. “A maturidade da Igreja é encontrada no coração das pessoas. Na África, encontro uma Igreja muito madura”, disse ele. “A família é o centro do evangelho, evidenciado pela maneira que essas pessoas vivem o evangelho no lar”.

O Élder Bednar contou que os membros faziam perguntas “espiritualmente significativas”, especialmente os jovens, que fizeram perguntas profundas e penetrantes centralizadas no templo. O Élder Bednar descobriu que, onde os membros locais da Igreja estão preparando-se diligentemente para um templo, como na RD do Congo, há bastante fé.

“Essa é uma terra, um povo e um lugar de grande fé no Senhor Jesus Cristo”, disse ele. “Tanto se pode sentir como ouvir isso, quando esses santos oram e quando cantam.

“Esses membros possuem uma fé simples que é imaculada. Ela centraliza-se em Cristo. E isso traz muitas bênçãos e dons espirituais à sua vida”.

Ao terminar, o Élder Bednar afirmou: “Toda vez que tenho a oportunidade de vir e testemunhar o que o Senhor está realizando entre as pessoas aqui, fico emocionado. A África me transforma”.