Vir ao Resgate por meio das Professoras Visitantes

Contribuição de Sarah Jane Weaver da junta geral da Sociedade de Socorro

  • 22 Outubro 2013

Destaques de Artigos

  • Durante anos, Lorraine Barlow foi à casa de Melissa Campagnoni mensalmente, entregando notas, lembranças e solidariedade que muitas vezes nem eram reconhecidas.
  • O amor sincero e inabalável da Irmã Barlow finalmente aqueceu o coração da Irmã Campagnoni, e ela aceitou o convite para ir à igreja.
  • A Irmã Campagnoni ainda se lembra com carinho do amor incondicional da irmã Barlow e espera ter esse tipo de influência sobre outras pessoas.

“Sabemos que nosso papel é zelar, cuidar, dar apoio a nossas irmãs. Muitas vezes, é fácil deixar por sua conta as irmãs [que] estão menos ativas; no entanto, elas são as irmãs que muitas vezes precisam mais de nós.” — Lorraine Barlow, professora visitante

Melissa Campagnoni e sua professora visitante, Lorraine Barlow, são as melhores amigas, mas isso não foi sempre assim. Edificar esse relacionamento exigiu tempo e sacrifício por parte de ambas, e comprometimento e carinho da dedicada professora visitante.

A Irmã Barlow conhecera a Irmã Campagnoni há muitos anos. Durante a maior parte desse tempo, a Irmã Campagnoni frequentou regularmente a Igreja, e seus dois filhos mais velhos foram batizados. Então, ela se mudou da ala. Vários anos mais tarde, a família Barlow mudou-se, e eles passaram novamente a ser da mesma ala. Nessa época, a Irmã Campagnoni tornou-se menos ativa. Foram designadas professoras visitantes, que não estavam conseguindo sucesso, e a Irmã Barlow, então, foi chamada para ser sua professora visitante. Acreditando que era seu chamado ser uma amiga, a Irmã Barlow determinou demonstrar à Irmã Campagnoni que não fora esquecida, e que era amada por seu Pai Celestial. Ela ministraria à Irmã Campagnoni e sua família.

Ao longo de um período de vários anos, a Irmã Barlow foi fielmente à casa dela, todos os meses. Geralmente, alguém vinha à porta, mas, na maioria das vezes, era dado um gentil recado de que a Irmã Campagnoni não estava em casa. Os membros da família gradualmente aceitaram a irmã Barlow, quando ela vinha a cada mês, mas as conversas com a Irmã Campagnoni eram raras.

Então, há dois anos as coisas mudaram. A Irmã Campagnoni aceitou o convite para ir à igreja. Ela vinha com pouca freqüência no início e sentava-se com a família Barlow. Nessa ocasião, eles souberam mais sobre a situação dela.

“Eu era uma dessas irmãs, que cresceu SUD, mas menos ativa por muitos e muitos anos”, explicou a Irmã Campagnoni. “Casei-me durante minha inatividade (estamos juntos há 23 anos). Voltei para a igreja quando meus três filhos eram pequenos, pois queria que tivessem uma educação religiosa. Isso, com o tempo, criou uma certa tensão. (…)

“Cerca de um ano mais tarde, minha professora visitante, Lorraine, veio ver-me. [Ela] era inabalável. Nunca desistiu de mim, mesmo quando me recusei a atender à porta [ou] telefonemas ou [a] agradecer-lhe pelas lembranças. Ela nunca faltou nem um mês, deixando notas, lembrancinhas e, às vezes, falando com minha família, quando eles abriam a porta. (...) Lorraine importava-se sinceramente comigo e com minha família. Ela não era falsa, de modo algum, e sempre demonstrava interesse por minha família e lembrava-se de tudo sobre eles.

“Até hoje, nunca me esqueci de sua natureza gentil e amorosa. Sento-me com sua família e [fazemos] juntos o estudo das escrituras. Ela me trata como sua própria filha e por isso lhe sou eternamente grata. Eu a amo com carinho. (...) Espiritual e emocionalmente, ela está sempre pronta a atender-me, de modo incondicional.

Depois de anos de inatividade, Melissa Campagnoni, à esquerda, voltou para a igreja com a ajuda de sua professora visitante, Lorraine Barlow.

“Foi devido ao amor que recebi dela que cheguei ao lugar em que estou hoje em dia. Ela terá sempre um lugar especial em meu coração. (...) Nunca pensei que minha professora visitante desempenharia um papel tão importante em meu retorno à igreja e meu progresso espiritual. Só espero que eu possa exercer esse impacto sobre alguém um dia”.

“O papel de uma professora visitante é mais importante do que às vezes pensamos”, a Irmã Campagnoni compartilhou. “Sabemos que nosso papel é zelar, cuidar e fornecer apoio às nossas irmãs. Muitas vezes, é fácil deixar sozinhas as irmãs [que] estão menos ativas; no entanto, elas são as irmãs que muitas vezes mais precisam de nós”.

A Irmã Barlow expressou sua gratidão pelas bênçãos que recebeu. “Melissa adquiriu uma compreensão maior do divino plano de felicidade. Seu testemunho e conversão foram fortalecidos. Ela é um membro ativo e já foi ao templo. (...) Sua meta é ser um bom exemplo para sua família [e] cumprir seus convênios [para que] um dia eles se unam a ela na igreja. O Pai Celestial e Seu Filho, Jesus Cristo, amam a todos, e como membros da Igreja podemos ajudar um pouco, sendo fiéis professoras visitantes, para compartilhar esse amor e a mensagem do evangelho de Jesus Cristo”.