Élder Oaks Está Otimista em relação ao Crescimento da Igreja na Oceania

  Gerry Avant, editor do Chuirch News

  • 14 Maio 2013

O Élder e a irmã Oaks falam a um grupo de missionários na Missão Samoa Apia, em abril de 2013.  Fotografias: James Dalrymple.

Destaques do Artigo

  • O Élder H. Dallin. Oaks, do Quórum dos Doze Apóstolos viajou para a Oceania em abril de 2013.
  • Ele e outras Autoridades Gerais visitaram os membros em Samoa; Wellington e Auckland, Nova Zelândia; Adelaide, Brisbane, Perth e Sydney, Austrália; e Papua Nova Guiné.
  • A fidelidade dos membros e a qualidade da liderança da Igreja deixaram o Élder Oaks otimista em relação ao futuro da Igreja na Oceania.

“Minha atitude é profundamente otimista em relação ao futuro da Igreja e sua capacidade de abençoar os Santos na Oceania.” — Élder Dallin H. Oaks do Quórum dos Doze Apóstolos

Quando o Élder Dallin H. Oaks viajou para a Oceania entre 16–29 de abril, ele não apenas esteve envolvido em um ministério apostólico, mas também examinou parte de sua história da família.

A primeira parada no itinerário do Élder Oaks foi Samoa, que era Samoa Ocidental, quando um de seus bisavós, Abinádi Olsen de Castle Dale, Utah, serviu como missionário entre cerca de 1895 a 1898. O Élder Oaks sem dúvida reuniu-se e falou com alguns descendentes das pessoas que seu avô ensinou e batizou.

“Sua filha mais velha foi minha avó materna”, disse o Élder Oaks durante uma entrevista feita por James Dalrymple para um segmento de uma série de vídeos produzidos pela Igreja sobre o ministério do Quórum dos Doze Apóstolos.

“Ela contou aos netos muitas histórias do serviço missionário do vovô Olsen, em Samoa. Quando tive o privilégio de vir aqui pela primeira vez em fevereiro de 1972, há 41 anos, foi uma emoção especial para mim conhecer este país e este povo.”

Acompanhando o Élder Oaks em sua designação para a Oceania foram o Élder Ronald A. Rasband da Presidência dos Setenta, o Bispo Gérald J. Caussé do Bispado Presidente e os membros da Presidência da Oceania, membros dos Setenta: Élder James J. Hamula, Presidente, Élder Kevin W. Pearson, Primeiro Conselheiro e o Élder F. Michael Watson, Segundo Conselheiro.

As Autoridades Gerais foram acompanhadas da respectiva esposa: irmã Kristen Oaks, irmã Melanie Rasband, irmã Valerie Caussé, irmã Joyce Hamula, irmã June Pearson e irmã Jolene Watson. Elas os acompanharam e falaram em reuniões, inclusive reuniões especiais para as líderes da Sociedade de Socorro, das Moças e da Primária.

Viajaram em dois grupos diferentes, tendo em seu itinerário reuniões e visitas a Samoa; Wellington e Auckland, Nova Zelândia; Adelaide, Brisbane, Perth e Sydney, Austrália; e Papua Nova Guiné. As Autoridades Gerais, realizaram e falaram em reuniões de treinamento de liderança do sacerdócio; em conferências de estaca; reuniram-se com missionários, jovens e jovens adultos solteiros e falaram a eles; e participaram de um programa de música e dança, realizado em uma escola da Igreja, em Pesega, Samoa.

Um dos principais propósitos de o Élder Oaks, o Élder Rasband e o Bispo Caussé viajarem para lá foi o de realizar uma análise da área nos escritórios de área em Auckland.

“A Área Oceania é uma área extremamente diversificada, disse o Élder Oaks.

“É composta realmente de três tipos diferentes de unidades da Igreja Existe a Igreja Ocidental avançada, que existe na Nova Zelândia e na Austrália, por exemplo Existe a Igreja que está crescendo e se modernizando rapidamente em lugares como a Samoa e e Tonga E aí temos a versão emergente da Igreja em lugares como Papua Nova Guiné.

“A Presidência da área têm que presidir três tipos diferentes de unidades da Igreja. A maneira que eles utilizam os Setentas de Área e a forma como administram e ensinam os programas da Igreja precisam ser diferentes em cada um desses tipos. É um grande desafio, muito diferente do que estar em uma Presidência de Área de um lugar México, onde se trata de um só país, uma cultura, um idioma e um método de ensino. Nessa visita passei a respeitar a complexidade da responsabilidade que essa Presidência de Área tem.”

Ao refletir sobre suas viagens, o Élder Oaks comentou sobre a fidelidade dos membros e a qualidade da liderança da Igreja.

“A impressão geral que tive ao relembrar os treze dias na Área Oceania, incluindo visitas a Samoa, Nova Zelândia e Austrália, é a de reafirmar em minha mente que a força da Igreja não se encontra na sede da Igreja; ela está entre o povo. Tenho visto milhares de santos dos últimos dias firmes, guardanado os mandamentos, fazendo os sacrifícios necessários para enviar os filhos e filhas para a missão e servindo eles próprios em missões, pagando o dízimo e cumprindo as responsabilidades de seus chamados na Igreja.

“A Igreja é forte e está se tornando mais forte na Área Oceania. Temos um caminho a percorrer, especialmente à medida que expandimos a mensagem do evangelho restaurado a áreas como Papua Nova Guiné ou Vanuatu e Quiribati, mas somos fortes e estamos nos tornando cada vez mais fortes, crescendo a partir dos nossos centros de força e seguindo em frente. Minha atitude é profundamente otimista em relação ao futuro da Igreja e sua capacidade de abençoar os santos na Área Oceania.”