As Famílias Devem Conversar sobre Como Usar as Mídias Sociais da Maneira Correta

Contribuição de Camille West, LDS.org Church News

  • 1 Fevereiro 2017

Os pais têm a oportunidade e a responsabilidade de aconselhar os filhos na escolha não somente dos canais de mídia social apropriados para uso dentro de casa, mas também em como usar esses recursos da maneira correta e que tipo de precaução a família deve adotar.

Destaques de Artigos

  • Os pais devem conversar com os filhos sobre a mídia social que utilizam e orientá-los com respeito “ao caminho da preparação e da prevenção”.
  • À medida que os pais ajudarem os filhos a aprender e aplicar princípios corretos, eles serão capazes cada vez mais de tomar decisões corretas por si mesmos.

A Igreja está utilizando cada vez mais as novas tecnologias e a popularidade da mídia social para ajudar a propagar as mensagens do evangelho até “os confins da Terra” e garantir que o evangelho “[seja] pregado a toda criatura” (D&C 58:64), cumprindo as profecias sobre o avanço da obra missionária nos últimos dias.

Ao mesmo tempo que a Igreja continua a se empenhar em compartilhar luz e bondade em diversos canais de mídia social, os pais têm a oportunidade e a responsabilidade de aconselhar os filhos na escolha não somente dos canais de mídia social apropriados para uso dentro de casa, mas também em como usar esses recursos da maneira correta e que tipo de precaução a família vai adotar.

O papel da tecnologia na proclamação do evangelho

“A tecnologia fornece uma variedade enorme de canais poderosos por meio dos quais podemos proclamar ‘Jesus Cristo, e este, crucificado’ (1 Coríntios 2:2) e ‘[pregar] arrependimento ao povo’ (D&C 44:3)”, disse o Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos durante um seminário para novos presidentes de missão (ver “Eles Devem Proclamar Essas Coisas ao Mundo”, discurso proferido no seminário para novos presidentes de missão, 24 de junho de 2016). (Ver artigo relacionado, disponível apenas em inglês.)

O conselho do Élder Bednar aplica-se especialmente aos pais e às famílias de hoje.

“Os dispositivos digitais e móveis sem dúvida vão mudar em termos de utilização, tamanho e potência — mas não vão desaparecer!”, disse ele. De fato, “esse milagroso progresso de inovações, invenções e tecnologias” promove e acelera o trabalho de salvação e faz parte do avanço da obra do Senhor nos últimos dias.

“Os dispositivos digitais e móveis sem dúvida vão mudar em termos de utilização, tamanho e potência — mas não vão desaparecer!” O Élder Bednar disse que a nova geração — imersa em mídia social — está bem preparada para ouvir e aprender sobre o evangelho restaurado por intermédio desses meios de comunicação.

A nova geração é particularmente bem preparada para ouvir e aprender sobre o evangelho restaurado por intermédio desses meios de comunicação.

“A maioria dos jovens de hoje usa amplamente uma grande variedade de tecnologias digitais”, disse o Élder Bednar. Eles tendem a ficar imersos no Facebook, Twitter, YouTube e Snapchat, usando a mídia social para pesquisar e compartilhar informações e para comunicar-se com familiares e amigos. “Literalmente [carregam] consigo e [utilizam] dispositivos móveis em todo lugar para onde [vão].”

No discurso do Élder Bednar, “Varrer a Terra Como um Dilúvio”, ele incentiva os discípulos de Cristo a usar esses recursos inspirados de maneira apropriada e com mais eficácia para:

  • Prestar testemunho de Deus, o Pai Eterno, de Seu plano de felicidade para Seus filhos e de Seu Filho, Jesus Cristo, como Salvador do mundo.
  • Proclamar a realidade da Restauração do evangelho nestes últimos dias.
  • Realizar a obra do Senhor.

Para ajudar a alcançar esses objetivos, a Igreja tem ampliado continuamente sua presença nas páginas sociais, inclusive com páginas pessoais de cada membro da Primeira Presidência, do Quórum dos Doze Apóstolos e de outros líderes no Facebook e no Twitter. (Saiba como segui-los na mídia social.)

A Igreja usa vários canais de mídia social para postar regularmente mensagens edificantes e convidar os membros a “compartilhar bondade”. Um exemplo disso é a campanha “Seja a Luz do Mundo”, lançada recentemente, incentivando as pessoas a compartilhar a Luz de Cristo prestando serviços simples, mas significativos, às pessoas durante o mês de dezembro bem como em outras épocas.

A Igreja usa vários canais de mídia social para postar regularmente mensagens edificantes e convidar os membros a “compartilhar bondade”. Um exemplo disso é a campanha “Seja a Luz do Mundo”, lançada recentemente.

O Élder Bednar convidou os membros a “varrer a Terra com mensagens cheias de retidão e verdade”.

Quatro diretrizes para mensagens na mídia social

O Élder Bednar convidou os membros a “varrer a Terra com mensagens cheias de retidão e verdade”, seguindo estas quatro diretrizes:

  1. Sejam autênticos e coerentes.
  2. Procurem edificar e elevar em vez de argumentar, debater, condenar ou menosprezar.
  3. Respeitem a propriedade digital de outras pessoas e organizações.
  4. Sejam prudentes e vigilantes a fim de proteger a si mesmos e aqueles a quem amam. (Lembrem: o mundo terá acesso a suas mensagens e fotos o tempo todo).

Alguns alertas

Apesar do uso correto desses poderosos canais de comunicação, “todo recurso criado para o bem acaba sendo também uma opção para o diabo fazer o mal”, disse o Élder Bednar (“Eles Devem Proclamar Essas Coisas ao Mundo”).

Em um discurso para o SEI em 2009, o Élder Bednar alertou para a “possível influência repressiva, sufocante, anuladora e restritiva que alguns tipos de interações e experiências realizadas no mundo virtual podem ter sobre nossa alma” e rogou aos membros que “[tomassem] cuidado com a influência entorpecente e espiritualmente destrutiva das tecnologias do ciberespaço que são usadas para produzir alta fidelidade e promover propósitos degradantes e malignos” (“As Coisas Como Realmente São”, A Liahona, junho de 2010, p. 26).

“Muito tempo pode ser desperdiçado, muitos relacionamentos podem ser prejudicados ou destruídos e preciosos padrões de retidão podem ser negligenciados quando a tecnologia é usada de modo impróprio”, alertou ele. “Não devemos permitir que nem mesmo as boas aplicações da mídia social suplantem o melhor e excelente uso de nosso tempo, energia e recursos” (“Varrer a Terra Como um Dilúvio”).

O dever dos pais de preparar e ensinar

O Élder Bednar ensinou que, à medida que os pais ajudarem a nova geração a aprender e aplicar princípios corretos, eles serão capazes cada vez mais de tomar decisões corretas por si mesmos.

Já que a tecnologia oferece perigos, os pais têm o dever sagrado conversar com os filhos sobre como usam a mídia social e outras tecnologias e orientá-los com respeito “ao caminho da preparação e da prevenção”.

“Tenham cuidado para não regulamentarem excessivamente o uso da tecnologia ou fazerem proliferar incontáveis regras e restrições”, afirmou o Élder Bednar. “As atitudes desejadas e o comportamento correto não podem florescer no solo do constante controle restritivo e da coerção. Seu amor, sua paciência, seu ensino e ministério vão prover o apoio espiritual essencial à medida que eles prosseguirem com firmeza no caminho estreito e apertado”.

À medida que os pais ajudarem a nova geração a aprender e aplicar princípios corretos, eles serão capazes cada vez mais de tomar decisões corretas por si mesmos, disse ele.

Esses princípios incluem o seguinte:

  • Ensinar os filhos a “exercer o arbítrio moral e a se tornarem agentes que atuam de acordo com a doutrina de Cristo em vez de pessoas passivas que recebem a ação”.
  • Ajudá-los a aprender “que o único filtro que pode sobrepujar com sucesso e evitar o mal reside no coração e na mente de um discípulo fiel de Cristo. Somente a companhia do Espírito Santo pode fortalecer o suficiente contra ‘os dardos inflamados do maligno’ (Efésios 6:16)”.
  • Ajudá-los a “descobrir por inspiração as várias maneiras pelas quais esses recursos podem ser usados para fazer o trabalho de salvação avançar”.

Viver com precaução — por exemplo, não usando a tecnologia quando outras pessoas não podem ver sua tela — exige esforço e prática.

Essa orientação vai ajudar os jovens a “estabelecer um alicerce seguro sobre o qual poderão estar edificados para sempre” (“Eles Devem Proclamar Estas Coisas ao Mundo”).

Estabelecer precauções familiares

À medida que os pais estabelecerem precauções para o uso da tecnologia em sua família, as diretrizes a seguir, adaptadas do livreto para missionários Regras para o Uso da Tecnologia (disponível como material impresso e no aplicativo Biblioteca do Evangelho) podem ser úteis:

  • Esteja em sintonia com os sussurros do Espírito. Os filtros podem ajudar a proteger sua família de conteúdo inapropriado, mas eles não são eficazes 100% do tempo. O melhor filtro que você tem é sua própria vontade e seu desejo de fazer escolhas certas com a ajuda do Espírito Santo.
  • Concentre-se em um propósito mais elevado. Use a tecnologia com um propósito específico e limite seu uso quando se sentir entediado, sozinho, com raiva, estressado ou quando tiver qualquer tipo de emoção que o torne vulnerável ou suscetível a usar a tecnologia de maneira inadequada.
  • Seja disciplinado. Não deixe que os dispositivos eletrônicos controlem você. Use as configurações do dispositivo que lhe permitem minimizar as interrupções durante reuniões, compromissos e conversas.
  • Seja um com sua família. Decida, junto com sua família, apoiar uns aos outros na criação das regras e nos cuidados que vão tomar com o uso da tecnologia. Não use a tecnologia quando estiver sozinho ou quando os outros não puderem ver sua tela. Se um membro da família usar a tecnologia de maneira inadequada, avaliem juntos de modo amoroso quais mudanças são necessárias e procurem fortalecer hábitos corretos.

Colocar em prática certas precauções exige esforço e prática. Edificar relacionamentos fortes e corretos na família e ajudar uns aos outros a confiar no poder da Expiação de Cristo é a melhor proteção que a família pode ter.