“Encontrem Seus Parentes”, Diz Élder Andersen aos Jovens

Contribuição de R. Scott Lloyd, redator do jornal Church News

  • 11 Fevereiro 2014

O Élder Neil L. Andersen agradece aos cantores Micah Rindlisbacher e Tia Thompson por seu desempenho em “Encontrem Nossos Parentes”, hino composto expressamente para seu discurso aos jovens sobre o trabalho de história da família.  Foto por R. Scott Lloyd.

Destaques de Artigos

  • Há duas maneiras de encontrar parentes já falecidos de alguém, que não tenham recebido as ordenanças do templo:
  • 1. Ir a um gráfico de linhagem familiar e encontrar os irmãos e irmãs de um antepassado de alguém.
  • 2. Usar o livreto da Igreja recentemente impresso, Minha Família: Histórias Que Nos Unem, para ajudar as pessoas a preencherem os fatos de sua própria história e os gráficos de linhagem da família.

“Meu desafio para vocês é que preparem tantos nomes para o templo, quanto realizam batismos no templo.” — Élder Neil L. Andersen

Embora os jovens da Igreja hoje em dia tenham-se tornado extremamente dedicados a visitar os templos para ser batizados pelos mortos, “nos meses e anos vindouros, vocês serão igualmente notáveis em encontrar e levar nomes ao templo”, disse o Élder Neil L. Andersen do Quórum dos Doze Apóstolos, a uma reunião de 4.000 jovens, em 8 de fevereiro, no Centro de Convenções Salt Palace, em Salt Lake City.

“Deixem-me mostrar-lhes o que está à frente”, disse o Élder Andersen.

Ele pediu àqueles que já haviam participado em um batismo do templo que ficassem de pé. Praticamente todas as pessoas na plateia o fizeram.

Em seguida, pediu-lhes que ficassem em pé, se tivessem participado de um batismo no templo por um antepassado e, por fim, que continuassem de pé, se tivessem enviado mais nomes de antepassados para batismos do que eles haviam realizado pessoalmente no templo. Somente um punhado permaneceu em pé, após a última pergunta.

“Creio que, em três anos, quase todos ficarão em pé”, disse o Élder Andersen. “Quero desafiar cada um de vocês a estabelecer uma meta pessoal de ajudar a preparar tantos nomes para o templo, quanto os batismos que realizam no templo.”

O Élder Andersen disse que há alegria e satisfação que só é entendida por meio de sentimentos espirituais, como os que advêm, quando se ajuda uma pessoa falecida a receber as ordenanças do templo.

Ele disse que, no ano passado pela primeira vez, pôde ver seus antepassados em um gráfico leque online. Seu gráfico leque de sete gerações foi apresentado em um telão.

“Se seu gráfico não for tão completo quanto o meu, sua primeira responsabilidade é preenchê-lo da melhor maneira possível”, disse ele. Mais informações estão ficando disponíveis a cada mês.

O Élder Neil L. Andersen dirige-se a uma congregação em devocional para os jovens, abordando a história da família. Foto por R. Scott Lloyd.

“Se o seu gráfico for tão completo quanto o meu, ainda há muito trabalho importante para vocês fazerem. Esse trabalho continuará incessantemente. Não estará completo nem mesmo quando o Salvador voltar. Quando nosso gráfico parecer completo, ajudamos os outros a encontrar as pessoas em sua linhagem, e podemos encontrá-las intimamente relacionadas aos de nossa árvore genealógica. Chamamos a isso de ‛encontrar nossos parentes’.”

Ele deu duas maneiras de encontrar os parentes falecidos de alguém, que não receberam as ordenanças do templo.

Uma forma é ir a um gráfico de linhagem familiar e encontrar os irmãos e irmãs do antepassado de alguém.

A outra maneira, disse ele, é usar o livreto recém-impresso da Igreja Minha Família: Histórias Que Nos Unem para ajudar outras pessoas a preencherem os fatos de sua própria história da família e gráficos de linhagem.

O Élder L. Neil. Andersen mostra seu próprio gráfico leque e uma foto de seu bisavô, Niels Andersen. “Vocês acham que tenho os genes para deixar crescer um bigode grande?”, pergunta brincando. Foto por R. Scott Lloyd.

“Ao fazê-lo, vocês vão ajudá-los a trazer outros para o templo”, disse o Élder Andersen. “Esses são seus irmãos e irmãs, mas também gostamos de chamá-los ‘nossos parentes’.”

Com a ajuda de seu neto, Clayton Hadlock, o Élder Andersen demonstrou como encontrar parentes no gráfico de linhagem da pessoa, usando uma ferramenta online, chamada puzilla.org, que permite ao usuário ver centenas de descendentes de uma pessoa de uma vista aérea com símbolos compactos, revelando modelos de pesquisas incompletas.

De Puzilla, eles foram capazes de acessar FamilySearch.org da Igreja, que diz se houve, ou não, ordenanças vicárias do templo, realizadas para uma pessoa. Também ajuda a encontrar a documentação, como registros de nascimento ou batizado, que são essenciais na preparação de nomes para as ordenanças do templo.

O Élder Neil L. Andersen lançou este desafio aos jovens. Foto por R. Scott Lloyd.

“Quando nos vemos em perspectiva de nossa família, aqueles que vieram antes de nós e os que vieram depois de nós, percebemos como somos parte de um elo maravilhoso que nos liga a todos. Ao buscá-los e levar seus nomes ao templo, conferimos-lhes algo que não podem obter sem nós. Ao fazê-lo, estamos ligados a eles, e o Senhor, por meio do Seu Espírito, confirma à nossa alma a importância eterna do que estamos fazendo.”

Ele encerrou com uma bênção apostólica a todos ao alcance de sua voz: “ao procurar contribuir para esse trabalho sagrado, tanto encontrando aqueles que precisam de ordenanças e depois começando seu trabalho no templo, seu próprio conhecimento e fé no Salvador aumentarão, e vocês receberão um testemunho mais seguro de que a vida continua além do véu. Sei que a vida continua além do véu. Eu o sei”.

O Élder Andersen fala aos jovens sobre a obrigação de ser “salvadores no Monte Sião”, conforme a citação de Joseph Smith exibida atrás dele. Foto por R. Scott Lloyd.