Fundo Ajuda os Membros de Todo o Mundo a Receberem as Bênçãos do Templo

Contribuição de Enviado por Heather Whittle Wrigley, Notícias e Acontecimentos da Igreja

  • 4 November 2011

Em 2010, Riaz Gill, sua esposa, Farah, e o filho, Ammon Phinehas, conseguiram ir ao Templo de Manila Filipinas para serem selados como família, graças ao Fundo Geral de Auxílio aos Frequentadores do Templo.

Destaques do Artigo

  • O Fundo Geral da Igreja de Auxílio aos Frequentadores do Templo proporciona uma única visita ao templo àqueles que, de outra forma, não poderiam ir ao templo.
  • Os presidentes de estaca e de missão fazem recomendações para a presidência de área, que, por sua vez, administra o fundo de acordo com cada país.
  • Entre 2009 e 2010, aproximadamente 4.000 membros utilizaram-se do fundo para viajar a um templo.

“Aqueles que compreendem as bênçãos eternas que advêm do templo sabem que nenhum sacrifício é grande demais, nenhum preço é alto demais, nenhuma luta é difícil demais para receber essas bênçãos” — Presidente Thomas S. Monson.

Desde o dia em que entrou no Templo de Manila Filipinas, em julho de 2001, pouco antes de partir para a missão em Singapura, Riaz Gill, de Karachi, Paquistão, soube que desejava voltar ao templo para que pudesse ter uma família eterna.

Em 2007, sua esposa, Farah, foi batizada, mas o dinheiro era pouco e eles não sabiam quando conseguiriam viajar para o templo, que fica a mais de 5.700 quilômetros. Com o nascimento de seu filho, Ammon Phinehas, em 2009, o desejo de serem selados no templo ficou ainda maior e, no final de 2010, com a ajuda do Fundo Geral da Igreja de Auxílio aos Frequentadores do Templo, suas orações foram atendidas.

“Ir ao templo com minha família ajudou-me a fortalecer meu testemunho”, disse o Irmão Gill. “Depois da visita ao templo, sinto que eu tenho mais para oferecer ao Senhor. (…) A visita ao templo foi tão boa e tão inspiradora, que é difícil expressar com palavras”.

Durante a visita, o irmão Gill, realizou ordenanças por seu pai, avô e sogro. Todos já falecidos. Fez com que o trabalho por sua mãe fosse realizado, e foi selado aos seus pais.

“Foi um grande privilégio para mim e para minha família visitarmos o templo”, disse ele. “Quero agradecer imensamente por meio de muitas orações aos líderes que tornaram possível essa viagem ao templo.”

Desde 1992, o fundo, que foi totalmente criado pelos membros, tornou-se um meio de proporcionar uma única visita ao templo para as pessoas que moram fora dos Estados Unidos e Canadá e que, de outro modo, não teriam meios de ir. Os membros que desejarem doar ao fundo, simplesmente escrevam “Fundo aos Frequentadores do Templo”, na seção “Outros” da papeleta normal de contribuições. As pessoas podem também fazer contribuições ao fundo por meio do site LDS Philanthropies.

Na conferência geral de outubro de 2011, o Presidente Thomas S. Monson incentivou os membros a contribuírem para o Fundo Geral da Igreja de Auxílio aos Frequentadores do Templo, dizendo: “Ainda há regiões do mundo em que os templos se acham tão distantes dos membros que eles não podem arcar com as despesas da viagem para chegar até lá. Eles não podem partilhar das bênçãos sagradas e eternas que os templos oferecem” (“Ao Reunir-nos Novamente”, A Liahona e Ensign, novembro de 2011, pp. 4–5).

“O objetivo desse fundo é auxiliar as pessoas de regiões do mundo onde é muito difícil frequentar o templo”, disse o Élder William R. Walker, diretor executivo do Departamento de Templos. “Essa ajuda única serve para proporcionar a uma pessoa a oportunidade de receber suas próprias ordenanças.”

O Élder Walker comentou que a África, a Oceania e a Ásia são algumas das regiões que mais precisam desse auxílio. Os presidentes de estaca e de missão fazem recomendações para a presidência de área, que, por sua vez, administra o fundo de acordo com cada país.

Em 2009 e 2010, quase 4.000 membros utilizaram o fundo para ir ao templo pela primeira — e provavelmente — única vez.

A fim de abençoar o maior número de pessoas possível, o Élder Walker esclareceu: “Verificamos o templo para o qual conseguimos a passagem aérea mais barata. Isso significa que nem sempre se baseie na proximidade, ou mesmo se o templo se encontra, ou não, na área delas”.

Espera-se que todo membro que utilize o fundo faça algum tipo de sacrifício ou contribuição.

“Em alguns lugares, a simples obtenção de um passaporte seria dispendiosa e muito difícil”, disse o Élder Walker. “Assim, em algumas áreas onde os membros têm de sair de seu país para ir ao tempo, precisam obter seu próprio passaporte para poder usar o fundo. Em alguns países, trata-se apenas de uma determinada quantia. Para muitos, isso pode não parecer muito, mas para eles, pode ser tudo o que conseguem economizar em seis meses.”

O Élder Walker disse que aqueles que contribuem para determinado objetivo, geralmente passam a apreciá-lo mais. “Em quase todos os casos, as pessoas que fizeram o melhor possível para contribuir foram ricamente abençoadas e não o consideraram sem importância”, disse ele.

Além de possibilitar às pessoas a ida ao templo, os fundos são também usados para a compra de sete pares de garments para cada pessoa, a fim de que, ao voltar para casa, possam honrar os convênios que fizeram.

Com a declaração do Presidente Monson durante a conferência, foi a primeira vez que o fundo foi anunciado do púlpito, pelo profeta. Isso, assim como a crescente procura pelo fundo, muito provavelmente levarão a um aumento nas doações, disse o Élder Walker.

“Ainda temos pessoas entrando para a Igreja, e nem de longe satisfizemos as necessidades em muitas áreas”, disse ele. Citando o conselho do Presidente Howard W. Hunter, dado em 1994, de que todos os membros dignos portassem uma recomendação para o templo, ele continuou, “Temos muitos membros da Igreja dignos com recomendações atuais para o templo, mas que ainda não foram ao templo e não têm perspectiva imediata de ir”.

Durante a conferência geral de abril de 2011, o Presidente Monson fez um discurso intitulado “O Templo Sagrado — Um Farol para o Mundo”, em que acentuava a importância do templo.

“Aqueles que compreendem as bênçãos eternas que advêm do templo, sabem que nenhum sacrifício é grande demais, nenhum preço é alto demais, nenhuma luta é difícil demais para receber essas bênçãos”, disse ele. “Eles compreendem que as ordenanças de salvação recebidas no templo, que nos permitem um dia voltar à presença de nosso Pai Celestial em um relacionamento familiar eterno, além da investidura de bênçãos e de poder do alto, valem todo sacrifício e todo esforço.”

Desde que se tornou Presidente da Igreja, em 2008, o Presidente Monson já anunciou mais que duas dúzias de templos.

O Élder Walker disse que o anúncio do Presidente Monson a respeito do fundo partiu de seu amor pelos templos e de sua sensibilidade às necessidades dos santos, que são os principais beneficiários do fundo.

“Quando se vai a esses lugares longínquos, passa-se a sentir como essas pessoas e os desafios que enfrentam”, disse o Élder Walker. “Esse fundo será para a bênção de muitas pessoas.”