Ajudar as Moças a Aprenderem a Ser Conduzidas pelo Espírito

  Irmã Bonnie L. Oscarson, presidente geral das Moças

  • 21 Agosto 2013

Os pais e líderes podem ajudar os jovens a reconhecerem a voz do Espírito, disse a Irmã Bonnie Oscarson, presidente geral das Moças.

“Precisamos enfatizar aos nossos jovens que nenhum de nós pode se dar ao luxo de viver neste mundo espiritualmente traiçoeiro, sem a influência e orientação do Espírito Santo”. — Irmã Bonnie L. Oscarson, presidente geral das Moças

Em fevereiro de 1847, Brigham Young relatou aos irmãos que estavam com ele em Winter Quarters, Nebraska, que Joseph Smith havia aparecido a ele em um sonho na noite anterior, dando-lhe uma mensagem.

Na primeira vez que ouvi essa história, comecei a pensar em muitas coisas. Que profunda mensagem teria o profeta martirizado da Restauração para o novo líder da Igreja? Milhares de santos desalojados encontram-se espalhados pelas planícies do leste do Estado Iowa a Winter Quarters e passando por terríveis condições. Eles haviam vivido em campo aberto por meses e sofrendo fome, exposição ao tempo e doenças.

Tentei imaginar a parte mais importante do conselho que Joseph Smith teria a oferecer ao seu povo aflito do seu ponto de vista, agora ampliado, do outro lado do véu. A mensagem que transmitiu foi inesperada para mim, mas profunda. Disse ele: “Diga aos irmãos que sejam humildes e fiéis e que certifiquem-se de manter o Espírito do Senhor, que os conduzirá ao caminho correto. Sejam cuidadosos e não afastem a voz mansa e delicada; ela irá ensinar-lhes o que fazer e para onde ir. (...) Diga aos irmãos que, se eles seguirem o Espírito do Senhor, farão o que é certo” (Brigham Young, visão, 17 de fevereiro de 1847, nos Arquivos do Escritório de Brigham Young, 1832–1878, arquivos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Salt Lake City, Utah; Élder David A. Bednar, “Receber o Espírito Santo”, A Liahona, novembro de 2010, p. 97 ).

Essa mensagem aos sofridos santos de 1847 é profunda, porque é igualmente aplicável e relevante aos milhões de santos que vivem em todo o mundo hoje, como o foi naquela época. É uma mensagem particularmente importante para ensinar a nossos filhos e jovens.

Nós, como pais e líderes, podemos ajudar nossos jovens a compreenderem a importância de sermos orientados pelo Espírito Santo, ao aproveitar as oportunidades de ensiná-los a reconhecerem o Espírito em sua vida. Precisamos indicar aos nossos jovens, quando percebermos o Espírito durante uma aula ou noite familiar e perguntar se eles também sentiram a mesma coisa. Ensine-os a reconhecerem os influxos amorosos e de paz que lhes advirão, mais como sentimentos serenos do que como manifestações espetaculares ou dramáticas. Podemos ensinar-lhes, pelas escrituras, que o Espírito Santo é descrito como uma “voz mansa e delicada” (D&C 85: 6) e que o Espírito Santo lhes falará em sua mente e em seu coração (ver D&C 8:2) as coisas que precisam saber e fazer.

Quando nossos jovens têm essas experiências, podemos ajudá-los a compreenderem que o que estão sentindo é a influência do Espírito Santo. Eles então se tornarão mais experientes em compreender a linguagem do Espírito e reconhecê-la por si mesmos. Eles se tornarão espiritualmente maduros e viverão, dirigidos pelo Espírito, uma existência de serviço e propósito. Estarão verdadeiramente convertidos ao evangelho de Jesus Cristo.

Irmã Bonnie L. Oscarson

Nossos jovens precisam também compreender que relacionamento delicado e sensível temos com o Espírito Santo. Existem situações e escolhas que convidam o Espírito, e outras que O ofendem e levam-No a afastar-Se.

Oração, estudo das escrituras, frequentar a Igreja, servir ao próximo e ir ao templo, tudo isso convida o Espírito a estar conosco. Então, ao darmos aos jovens oportunidades, tanto nas salas de aula como em casa para prestarem seu testemunho, eles vão sentir novamente a influência do Espírito Santo.

Ouvir música inspiradora e envolver-se em atividades salutares também convidam o Espírito. Assistir a materiais impróprios, vê-los ou lê-los afastam o Espírito. Ceder a tentações ou escolher voluntariamente rebaixar nossos padrões de algum modo ofenderão o Espírito.

Precisamos enfatizar aos nossos jovens que nenhum de nós pode se dar ao luxo de viver neste mundo espiritualmente traiçoeiro sem a influência e orientação do Espírito Santo. Perder o contato com o poder que vai realmente advertir, guiar, ensinar, proteger ou dar consolo é deixar-nos vulneráveis às tentações e armadilhas do mundo e afastar-nos cada vez mais da própria fonte que nos ajudará e protegerá.

Poderá haver alguma doutrina mais importante a ensinar a nossos jovens do que a importância de procurar a influência do Espírito Santo em sua vida, aprendendo a reconhecer a voz do Espírito e, acima de tudo, seguir os sussurros que recebem por meio desse grande dom?

Nós, como membros da Igreja do Senhor, e especialmente nossos jovens, precisamos desse conselho agora mais do que nunca: “Diga ao povo que certifique-se de manter o Espírito do Senhor e de segui-lo, e Ele os conduzirá ao caminho correto”.