Quão Eficazes São as Suas Orações? — Pergunta a Irmã Reeves

Contribuição de Irmã Linda S. Reeves, da presidência geral da Sociedade de Socorro

  • 11 Junho 2014

Assim como usamos com gratidão o dom da tecnologia para nos comunicarmos com outras pessoas, podemos também nos dedicar a nos comunicarmos mais frequentemente com o Pai Celestial por meio da oração sincera e feita com o coração.

Destaques de Artigos

  • Nesta época do crescimento da comunicação com outras pessoas, podemos também perguntar: “Quão eficaz é a nossa comunicação com nosso Pai Celestial?”

“Não tememos que o Criador do universo (…) nos incentiva a orar a Ele a qualquer momento, em qualquer lugar e por quanto tempo for necessário? Não temos que aguardam na fila nem pagar uma taxa mensal.” — Linda S. Reeves, da presidência geral da Sociedade de Socorro

No musical “O Violinista no Telhado”, há uma cena comovente e emocionante quando Tevye e sua filha se abraçam na estação de trem, percebendo que é provável que jamais vejam um ao outro novamente nesta vida mortal. A comunicação de qualquer tipo não parecia ser uma possibilidade.

Essa cena de “O Violinista no Telhado” me tocou por muitos anos. Pensei isso novamente recentemente, quando fui ao quarto de minha filha e parei enquanto a via conversar por meio de uma videochamada com o marido, que não tinha visto seu bebê de dez dias de idade nas últimas 24 horas. O contraste entre as duas experiências foi incrível para mim, ao contemplar o milagre da tecnologia de hoje, que permite que estejamos a apenas instantes de distância em uma experiência visual de comunicação com nossos entes queridos que estão localizados em qualquer lugar do mundo. O

Presidente Spencer W. Kimball profetizou em 1974: “Acredito que o Senhor está ansioso para nos confiar invenções que nós, leigos, mal conseguimos vislumbrar. (…) Usaremos invenções (…) para despertar interesse e comunicar melhor às pessoas do mundo sobre as verdades do Evangelho de Jesus Cristo ”(The Teachings of Spencer W. Kimball, Ed. por Edward L. Kimball,1982, pp. 587–588).

Fizemos avanços gigantes na descoberta de meios de nos comunicarmos com mais eficiência, por meio de dispositivos eletrônicos, com entes queridos, amigos, professores e colegas de trabalho. Nesta época do crescimento da comunicação com outras pessoas, há algumas perguntas muito importantes a fazer: “Como está a nossa comunicação com nosso Pai Celestial? Nossa comunicação com Ele melhorou? Falamos com ele com mais frequência, ou menos? Quão eficaz é a nossa comunicação?”

Muitas vezes passamos horas incontáveis nos comunicando com outras pessoas em um ritmo crescente quase diariamente. Não nos sentimos humildes por perceber que o Pai Celestial sempre tem nos oferecido, desde a época de Adão e Eva, o poder de nos comunicarmos com Ele por meio da oração? Não sentimos o temor de que o Criador do universo, o Deus do céu e da Terra, nos incentiva a orar a Ele em qualquer momento, em qualquer lugar e por quanto tempo for necessário? Não temos que aguardam na fila nem pagar uma taxa mensal. Não precisamos nos conectar a um carregador ou nos preocuparmos com o fuso horário. Recebemos uma quantidade ilimitada de “minutos”.

O folheto da Igreja “Para o Vigor da Juventude” mostra uma moça em oração.

Vocês não se maravilham ao reconhecer que, quando oramos, nosso Pai Celestial é capaz de nos dar toda a Sua atenção, sem Se distrair? Ele nos vê, ouve, demonstra empatia e derrama Seu amor e Seu espírito sobre nós. Podemos nos comunicar com nosso Pai, se somos capazes de nos ajoelharmos diante Dele ou falar com Ele somente por meio de nosso coração e mente. Podemos ter certeza de que Ele está escutando e pode nos responder por meio de impressões do Espírito Santo.

Amuleque, no Livro de Mórmon, nos deu instruções a respeito da oração: “(…) comeceis a exercer vossa fé para o arrependimento, que comeceis a invocar seu santo nome. (…) Sim, clamai a ele por misericórdia, porque ele é poderoso para salvar. (…) Clamai a ele (…) tanto de manhã como ao meio-dia e à noite. (…) Sim, e quando não clamardes ao Senhor, deixai que se encha o vosso coração, voltado continuamente para ele em oração pelo vosso bem-estar, assim como pelo bem-estar de todos os que vos rodeiam.” (Alma 34:17, 18, 21, 27).

Da mesma maneira que usamos o dom maravilhoso de nos comunicarmos por meio da tecnologia com outras pessoas — que nos foi disponibilizado por meio da inspiração do Espírito Santo — que possamos expressar nossa gratidão ao Pai Celestial usando-o com sabedoria. Ainda mais importante: que possamos dedicar a nós mesmos ao nos comunicarmos mais frequentemente com Ele por meio da oração sincera e feita com o coração — a forma de comunicação que nosso Pai Celestial deu com muito amor a Seus filhos.