Mãos que Ajudam no Centro de Deficientes de Santo Estêvão – Viseu

  Anabela Jordão Ferreira Coordenadora do programa Mãos que Ajudam da estaca de Coimbra

  • 16 Outubro 2012

Foi mais um dia memorável para todos os que tiveram oportunidade de o viver intensamente. Ser voluntário do programa Mãos que Ajudam significa disponibilizar um dos recursos mais escassos na sociedade actual – o tempo, em favor daqueles que necessitam de ajuda.

No passado dia 29 de Setembro de 2012, cerca de 40 voluntários das 2 Alas de Viseu de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, reuniram-se bem cedo no Centro de Deficientes de Santo Estêvão – Viseu, com o objectivo principal de construir uma rampa para circulação de cadeiras de rodas, que permitisse o acesso dos utentes deste Centro ao jardim e mata que circundam as suas instalações.

O Centro de Deficientes de Santo Estêvão faz parte da União das Misericórdias Portuguesas e recebe pessoas com deficiência física e mental, contando actualmente com cerca de 60 utentes, parte dos quais com possibilidade de se deslocarem em cadeiras de rodas.

Em 2011, um grupo menor de voluntários esteve também presente nesta instituição tendo procedido a trabalhos de limpeza em parte da mata e jardins que se encontravam abandonados à data.

Já nessa altura se verificou que após a limpeza das áreas referidas, seria de lamentar que permanecessem inacessíveis pelos utentes do Centro, tendo ficado a intenção de construir a rampa de acesso logo que possível.

Em 2012, o programa Mãos que Ajudam voltou a contactar os responsáveis do Centro manifestando a intenção de levar a cabo a construção da rampa, bem como outros trabalhos que fossem considerados úteis, disponibilizando para o efeito mais de 100 voluntários, uma vez que se pretendia envolver membros de outras unidades da Estaca de Coimbra.

Foi marcada a data e definida a totalidade da intervenção a efectuar:

  1. Construção da rampa de acesso ao jardim
  2. Limpeza geral da área envolvente (vegetação e lixos diversos)
  3. Pintura de 3 salões

Na véspera da actividade, entre os membros que se voluntariaram, já estava reunido um contingente superior a 120 pessoas, mas a semana que antecedeu o dia 29 de Setembro foi a semana na qual fomos brindados com a chegada do Outono, que em Viseu se manifestou com chuvas e ventos muito fortes. As condições meteorológicas previstas para a data, levaram a que houvesse necessidade de cancelar a participação já confirmada dos membros das Alas de Leiria, Coimbra e Aveiro, deixando dezenas de voluntários tristes por não poderem participar.

Avançou-se apenas com os voluntários de Viseu, entre os quais se contou com a participação de diversos especialistas na área da construção civil sem os quais os objectos não seriam realizados.

A rampa foi construída em tempo record, graças à habilidade e dedicação de todos. Dois dos salões foram pintados, tendo ficado alguma frustração por não se ter concretizado o terceiro, mas a redução do número de participantes devido ao mau tempo, não o permitiu. Parte da mata e jardim foram limpos, permitindo agora que o contacto com a natureza possa estar ao alcance de mais utentes do Centro.

Sem a disponibilidade dos voluntários do programa Mãos que Ajudam, este trabalho não teria sido realizado. Mas sem o apoio sempre presente da Dra. Manuela Martins, Diretora Técnica do Centro de Deficientes de Santo Estêvão, reconhecemos que também não seria possível.

A Dra. Manuela Martins fez questão de manifestar: “Pelo 2º ano consecutivo que o grupo Mãos que Ajudam brindou o Centro de Santo Estêvão com o seu esforço, carinho, dedicação e entusiasmo, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida de um grupo de cidadãos tão esquecido da sociedade em que vivemos. Jovens e menos jovens (grandes profissionais!) e até crianças, vieram dar uma “mãozinha” e passaram connosco um dia maravilhoso (até o tempo ajudou) e, para mim, inesquecível! Um verdadeiro e grande exemplo de Voluntariado! Bem Hajam!”

Foi mais um dia memorável para todos os que tiveram oportunidade de o viver intensamente. Ser voluntário do programa Mãos que Ajudam significa disponibilizar um dos recursos mais escassos na sociedade actual – o tempo, em favor daqueles que necessitam de ajuda. No fim do dia, o cansaço, a roupa suja, os arranhões nos braços e algumas bolhas nas mãos, são sinais de realização e trazem felicidade e sensação de dever cumprido a todos os que colaboraram.