Missionários Declaram Arrependimento, Diz Élder Christofferson

  Enviado por Jason Swensen, redator da equipe do Church News

  • 23 July 2013

O Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, no seminário para novos presidentes de missão em 25 de junho de 2013.  IRI

Destaques do Artigo

  • Em vários versículos de Doutrina e Convênios, o Senhor repete o mandamento: “Não pregues coisa alguma a esta geração, a não ser arrependimento”.
  • O Élder Christofferson ensinou que o Senhor sofreu a dor de todos para que possam se arrepender e falou da alegria que o Senhor tem pela alma que se arrepende.
  • O arrependimento é uma mudança de rumo na vida e uma transformação de caráter essencial para que uma pessoa atinja seu potencial divino.

“Perdão significa que há um Salvador, que expiou pelos pecados e pode conceder misericórdia. Sem um redentor como esse, o arrependimento teria pouco efeito.” — Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos

PROVO, UTAH

A doutrina do arrependimento é uma mensagem de salvação gloriosa, completa, oferecida a todos. Os missionários — e todos os que refletem o amor de Cristo — estão realizando “o grande trabalho de persuadir todos os homens” ao arrependimento.

Essa foi a mensagem que o Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, compartilhou em 25 de junho, no seminário de 2013 para novos presidentes de missão.

Em várias passagens encontradas em Doutrina e Convênios, o Senhor salienta a importância da doutrina e da mensagem do arrependimento.

“Em Doutrina e Convênios 6:9, 11:9, 14:8 e 19:21, o Senhor repete a ordem de ‘não [pregar] coisa alguma a esta geração, a não ser arrependimento’”, ensinou o Élder Christofferson. “Ele diz a vários irmãos que a coisa de maior valor para eles ‘será declarar arrependimento a este povo’. Na seção 18, quando declara com eloquência o valor das almas, o Senhor fala repetidamente do arrependimento — que Ele sofreu a dor por todos que possam se arrepender, quão grande é Sua alegria pela alma que se arrepende e quantas bênçãos receberemos por clamar arrependimento.”

O Élder Christofferson perguntou: “Por que o arrependimento é tão importante?” Ele respondeu, dizendo que, como Alma ensinou, isso implica na existência de lei divina. Segundo, o arrependimento implica que todas as pessoas responsáveis violaram ou quebraram pelo menos algumas dessas leis instituídas por Deus. Terceiro, e o mais importante, o chamado ao arrependimento implica que há um benefício para ser adquirido pelo arrependimento — o perdão dos pecados.

“Perdão significa que há um Salvador, que expiou pelos pecados e pode conceder misericórdia. Sem um redentor como esse, o arrependimento teria pouco efeito”, disse ele.

O arrependimento sozinho, acrescentou, não pode satisfazer a justiça.

“[O arrependimento em si] não (…) perdoa pecados passados; não purifica nem santifica o pecador. O poder que atinge essas coisas é a graça, misericórdia e méritos de Jesus Cristo que fluem de Sua Expiação infinita, e é o arrependimento que dá acesso a esse poder.”

O arrependimento deve ser entendido como uma “mudança de rumo fundamental na vida e uma transformação de caráter”. É essencial para a realização de um potencial divino.

“O arrependimento, portanto, não é simplesmente o abandono de pecados passados, mas uma renúncia ao pecado como um modo de vida e a substituição pelo modo de vida divino, despojando-se do homem natural e tornando-se um santo.”

O batismo é a prova de que uma pessoa fez convênio de substituir sua vida de pecados por uma “conduta piedosa”, o que se torna “o último passo” que conclui o processo do arrependimento.

“Pelo batismo, testemunhamos ao Pai, como Cristo com Seu batismo testemunhou ao Pai, que ‘seremos obedientes a Ele em guardar Seus mandamentos’”, declarou. “Tendo entrado pelo portão, temos a certeza de que ‘então vem a remissão de [nossos] pecados pelo fogo e pelo Espírito Santo’. Depois disso, a pessoa não precisa ser rebatizada para renovar o convênio de obediência e qualificar-se para mais remissão de pecados. Uma vez estabelecido o convênio, exige-se apenas mais arrependimento para revigorá-lo. Desse modo, perseveramos felizes até o fim.”

O perdão dos pecados, no entanto, não é o único objetivo do arrependimento. “O arrependimento é o caminho para aperfeiçoarmos nossa obediência e, portanto, o desenvolvimento de um caráter semelhante a Cristo.”

O Élder Christofferson disse que os missionários vão precisar compreender e transmitir a seus pesquisadores que arrependimento significa muito mais do que riscar itens numa lista de verificação.

“Há uma tendência às vezes, para alguns pesquisadores e até para alguns missionários, de ver a preparação para o batismo, e depois sua condição como membros da Igreja, como um conjunto de tarefas e atividades, sem pensar nos frutos que virão ao aplicar tudo isso em sua vida, sem pensar em tornarem-se discípulos de Jesus Cristo.”

Os próprios missionários devem compreender e seguir a doutrina do arrependimento. No planejamento e preparação das lições, companheiros missionários vão orar e discutir sobre o que ensinar para que seus pesquisadores compreendam a necessidade de arrependimento e o que esse arrependimento implica em sua vida.