Nova Ferramenta Ajuda Missionários Voltando para Casa a Criar Planos para a Vida Toda

Contribuição de Jenny Poffenbarger, redatora do Church News do LDS.org

  • 20 Julho 2015

Foi lançado um novo curso online chamado Meu Plano para ajudar os missionários que estão voltando para casa a usar as experiências da missão no planejamento do resto de sua vida de discipulado contínuo.

Destaques de Artigos

  • O curso inclui oito lições interativas.
  • O programa Meu Plano permite que os missionários usem as experiências e habilidades que adquiriram na missão como um alicerce sobre o qual podem edificar o restante de sua vida.
  • Os pais e líderes da Igreja continuarão a acompanhar e apoiar as metas e os planos que os missionários criam.

“O fato é que a missão é o CTM para o resto da sua vida. A missão não deve se destacar como uma oportunidade isolada. Ela apenas nos prepara para tudo o que temos que fazer depois.” – Presidente Steve Peterson, presidente da Estaca Utah Weber Sul

A Primeira Presidência anunciou um novo curso online chamado Meu Plano para ajudar os missionários que estão voltando para casa a usar as experiências da missão no planejamento do resto de sua vida de discipulado contínuo. O programa estará disponível em agosto de 2015 no site myplan.LDS.org.

O Que é o Meu Plano?

O curso inclui oito lições interativas disponíveis no Portal do Missionário. A primeira lição deve ser concluída no período entre o recebimento do chamado missionário e a entrada no CTM, a segunda na metade da missão e as outras seis durante a última transferência do missionário. Quem não tiver acesso à Internet receberá um livreto.

Criar o plano

O programa Meu Plano permite que os missionários usem as experiências e habilidades que adquiriram na missão como um alicerce sobre o qual podem edificar o restante de sua vida. Os missionários vão refletir sobre como a missão os colocou no caminho rumo à vida eterna e, em seguida, planejar os passos do caminho após a missão, que envolvem metas futuras, como família, serviço, estudos e objetivos profissionais.

“Quando os missionários, em espírito de oração, estabelecem metas, fazem planos e depois continuam a aconselhar-se com o Senhor sobre essas metas e planos, seguindo o Espírito, descobrem que seus planos naturalmente coincidem com o plano do Senhor pois seus desejos mudaram”, explicou o Élder Mervyn B. Arnold, dos Setenta.

“Não se trata, na verdade, do ‘meu plano’. Trata-se de descobrir o plano de Deus para você.”

“O que realmente gostei sobre o Meu Plano é que se baseia no alicerce de Jesus Cristo e do evangelho”, afirmou Stephen Henriksen, um ex-missionário de Visalia, Califórnia. “O Meu Plano me deu a determinação para me manter sobre esse alicerce.”

O irmão Henriksen inicialmente teve algumas preocupações sobre voltar para casa, mas o “Meu Plano” o ajudou a perceber que ele poderia ter o mesmo poder espiritual em sua vida em casa que teve em sua missão. As metas o ajudaram a visualizar seu futuro caminho. “Eu já tinha tudo em minha mente, mas agora está escrito.”

O papel dos presidentes de missão

Os missionários são incentivados a compartilhar seus planos pessoais com o seu presidente de missão, que os abordará durante a última entrevista.

Maurice Hiers, que serviu como presidente da Missão Utah Ogden, testou o programa Meu Plano com seus missionários que estavam voltando para casa. O papel de um presidente de missão, disse ele, é certificar-se de que os missionários tenham um alicerce sólido. “Quando o Élder Holland me designou, ele disse: ‘Você é responsável por esses missionários, seus filhos e netos. Você precisa se certificar de que eles tenham um testemunho’.”

O Presidente Hiers enfatizou a importância da discussão do plano durante a última entrevista, mas também disse que, sem acompanhamento, quando o missionário vai para casa terá sido “apenas uma sessão de perguntas e respostas”.

“Há um grande poder no acompanhamento.”

O acompanhamento

Os missionários que estão voltando para casa também são convidados a compartilhar seus planos com os presidentes de estaca, pais, líderes locais da Igreja e outras pessoas que estejam dispostas a apoiá-los em seus esforços para continuarem sendo fiéis discípulos de Jesus Cristo. Os pais e líderes da Igreja continuarão a acompanhar e apoiar as metas e os planos que os missionários criam.

Steven Peterson, presidente da Estaca Weber Utah Sul que serviu como Presidente da Missão Uruguai Montevidéu Oeste, implementou um teste piloto do programa Meu Plano em sua estaca. Sete missionários de sua estaca receberam os recursos para criar um plano de discipulado contínuo antes de voltarem para casa. Eles compartilharam os planos com seus pais, bispos e líderes da ala. “Tivemos excelentes presidentes de quórum de élderes e presidentes da Sociedade de Socorro que acompanharam esses missionários todo mês e perguntaram como estavam as metas deles”, disse o Presidente Peterson.

Quando os ex-missionários não estavam vivendo à altura de suas metas, eles eram lembrados e incentivados e logo estavam de volta no caminho. Todos os sete ex-missionários estão ativos e progredindo.

“A beleza deste programa é a orientação tão próxima que acontece”, disse o Presidente Peterson. Ele explicou que a orientação deve “misturar a autossuficiência espiritual e material”. Um desses ex-missionários fizera objetivos para buscar uma carreira em Direito. Ele foi direcionado a um membro da estaca que era advogado e que lhe deu conselhos. Agora ele é estagiário do Senador Orrin Hatch, nos Estados Unidos.

Os pais também podem desempenhar um papel vital na orientação dos ex-missionários. “Quando os pais estão cientes das metas, em vez de apenas dizer: ‘Bem, eles são adultos agora. Não precisamos nos envolver mais’, podem acompanhar seu progresso e trabalhar com eles”, disse o Presidente Peterson.

“Se isso for feito corretamente, em vez de ficarem completamente sozinhos, [os ex-missionários] estarão cercados por um grupo de pessoas que não irá deixá-los cair.”

O CTM para o resto da sua vida

O Presidente Peterson explicou que, demasiadas vezes, dizemos sobre os ex-missionários: “Ah, ele vai voltar ao normal logo”. Citando o Élder Shayne M. Bowen, o Presidente Peterson explicou: “Se normal é ser como eram antes da missão, espero que nunca sejam normais novamente”.

“Se você esquecer o que você aprendeu na missão, qual foi o propósito de servir? O fato é que a missão é o CTM para o resto da sua vida. A missão não deve se destacar como uma oportunidade isolada. Ela apenas nos prepara para tudo o que temos que fazer depois.”

“Meu Plano” liga diretamente as habilidades e os hábitos espirituais que os missionários desenvolvem na missão à sua vida pós-missão nos estudos, no emprego e na vida familiar. “Vocês precisam ajudá-los a fazer essa conexão”, disse o Presidente Peterson. “Nós enxergamos isso como duas coisas separadas, quando na realidade é apenas uma continuação dos princípios do evangelho em um contexto diferente.”

Embora seja importante para os membros da ala apoiarem os ex-missionários, eles também são incentivados a dar aos ex-missionários coisas para fazer dentro da ala. “Devemos cuidar dos ex-missionários, ensiná-los, mas, acima de tudo, eles devem estar engajados na edificação do reino por meio de designações. Eles são recursos valiosos”, disse o Élder Arnold.