O Elder Russell M. Nelson e outras Autoridades Gerais visitam Portugal

  Bruno Amílcar Silva, estaca de Setúbal e Sónia Ribeiro, estaca do Porto

  • 21 Setembro 2012

Destaques do Artigo

  • Seguindo a admoestação de D&C46:33 “E deveis praticar a virtude e a santidade perante mim continuamente”

"Ao expressar o amor e apoio pelo Presidente Thomas S. Monson, o Elder Nelson disse que o profeta pediu para dizer “olá” aos membros da Igreja em Portugal."

Na manhã do dia 8 de Setembro, o Elder Russel M. Nelson do Quórum dos Doze Apóstolos acompanhado pelo Elder Rasband da Presidência do Quórum dos Setenta, o Bispo Caussé do Bispado Presidente, o Elder Teixeira e o Elder Richards da Presidência da Área da Europa, e o Elder Rocha Autoridade de Área estiveram em Portugal para se encontrarem com os líderes da Igreja de Portugal e Cabo Verde no Centro de Estaca de Oeiras.

Em mais uma visita a Portugal, o Elder Nelson declarou que fazemos parte da coligação de Israel, e da missão de Deus, “para que a fé aumente na Terra, e seja estabelecido o eterno convênio, a fim de que a plenitude do evangelho seja proclamado aos confins da Terra” D&C1:19-23. Referiu ainda que há membros da Igreja a fazerem parte da coligação de Israel em todos os países do mundo.

O Elder Nelson ao salientar a importância da reunião de liderança do sacerdócio frisou que esta tinha como objetivo “instruir-nos e edificar-nos uns aos outros” para sabermos como dirigir a Igreja D&C43:8; exortou para que sejamos sábios no entendimento do livre arbítrio orientando-nos para a doutrina do Salvador, Jesus Cristo, e com ênfase encorajou a prevenção contra a viciante, contagiante e venenosa pornografia que tem destruído tantos indivíduos e famílias.

Ao expressar o amor e apoio pelo Presidente Thomas S. Monson, o Elder Nelson disse que o profeta pediu para dizer “olá” aos membros da Igreja em Portugal.

Ao terminar a sua visita entre nós, o Elder Russel M. Nelson deu a sua benção apostólica para que possamos liderar os membros da Igreja com amor e ternura, fortalecendo as famílias e lembrando que a glória de Deus é ter os seus filhos qualificados para a vida eterna.

Na continuação da reunião de sábado, o Bispo Caussé, entre as várias visitas à terra lusa, constatou com satisfação o crescimento da Igreja em Portugal e Cabo Verde, e prosseguindo com seu discurso indagou a audiência: “o que devemos fazer para herdar a vida eterna?” Respondendo a esta questão relembrou um personagem que se dirigiu ao Salvador com a mesma pergunta e cuja resposta é muito conhecida no mundo cristão: referia-se à história do jovem rico que cumpria todos os mandamentos mas não conseguiu libertar-se dos seus bens terrenos e seguir Jesus Cristo. Relembrou ainda os dois grandes mandamentos e o exemplo da parábola do bom samaritano … “quem é o meu próximo?”

O Bispo Caussé convidando-nos a procurar bênçãos nas oportunidades de servir, compartilhou o excelente trabalho de jovens que após as reuniões dominicais levam o sacramento a um Lar de Idosos: “e eis que vos digo que, se fizerdes isso, sempre vos regozijareis e estareis cheios de amor a Deus e conservareis sempre a remissão de vossos pecados; e crescereis no conhecimento da glória daquele que vos criou” Mosias 4:12.

“O Manual 2 de Instrução da Igreja é a epístola dos profetas modernos e nele está descrito o propósito da liderança” – disse o Bispo Caussé, testificando sobre a importância dos princípios do plano de bem-estar, sendo este programa parte da doutrina de Jesus Cristo.

Na última parte desta reunião, Elder Rasband mediou um período de perguntas e respostas. E não sendo o povo português tímido destacaram-se questões relacionadas com os desafios da crise económica e da emigração de membros da Igreja, a data do início de construção do Templo em Lisboa e como acelerar o processo para construção de novos espaços de adoração onde a Igreja tem um forte crescimento. O Elder Teixeira partilhou que os membros que emigraram não se perderam na mudança e explicou que estes ao procurarem oportunidades de trabalho em outros paises têm abençoado a Igreja no local da nova morada, tal como outros irmãos fizeram ao mudarem-se para Portugal. Quanto à data de início de construção do Templo de Lisboa precisaremos de esperar. O Bispo Caussé em resposta à necessidade de construir mais capelas afirma que “em primeiro lugar teremos de construir a Igreja em nossos corações”.

No mesmo dia e hora em que se realizou a reunião do sacerdócio mais de 500 mulheres reuniram-se numa unidade hoteleira da zona de Oeiras para, na companhia das Irmãs Alice Rocha (esposa do Elder Rocha – Autoridade de Área, Setenta), Marsha Richards (esposa do 1º conselheiro da Presidência da Área), Filomena Teixeira (esposa do Elder Teixeira da Presidência da Área), Wendy Nelson (esposa do Elder Nelson do Quórum dos Doze) e Melanie Rasband (esposa do Elder Rasband da Presidência do Quórum dos Setenta), aprenderem a tornarem-se mulheres santas.

Seguindo a admoestação de D&C46:33 “E deveis praticar a virtude e a santidade perante mim continuamente” as oradoras foram enfatizando a importância de existirem mulheres santas e, tal como referiu a Irmã Filomena Teixeira, evitar usar uma camuflagem e serem genuínas na prática da virtude e da santidade.

A Irmã Nelson partilhou a experiência de diversas mulheres, suas amigas, que aceitaram o seu convite de agirem como mulheres santas numa atividade à sua escolha. Deixou com as irmãs presentes o mesmo desafio de escolherem regularmente uma atividade onde agiriam como mulheres santas e desta forma experimentarem o impacto que isso poderá ter nas suas vidas, das suas famílias e comunidades.

A Irmã Rasband enfatizou a importância de estarmos atentas ao que o Senhor nos transmite e nos pede, e de termos a coragem de corresponder ao seu pedido. Ao partilhar uma experiência em que orou para não ter que cumprir aquilo que o espírito lhe sussurrou que viria a ter uma designação que iria ter que cumprir a curto prazo, sentiu que Deus se sentiu dececionado por não estar disposta a corresponder ao desafio que lhe transmitiu. Ao aceitarmos os sussurros do espírito, as mulheres serão abençoadas com a coragem para os realizar.

No Domingo, Elder Rasband, Elder Teixeira e Elder Rocha, acompanhados das suas esposas partilharam as bençãos do evangelho em suas vidas e exortaram mais de 1300 Santos dos Últimos Dias a fortalecerem as suas famílias numa conferência conjunta das Estacas de Lisboa e Oeiras e o Distrito de Santarém.

A reunião teve início com os seguintes testemunhos: Sister João, atual missionária de tempo integral; Joaquim Moreira, ex-Presidente de Missão no Brasil; Alice Rocha; Elder Fernando Rocha; Stephen L. Fluckiger, Presidente da Missão Portugal.

Seguidamente, a irmã Filomena Teixeira recordou a importância do plano de salvação por este proporcionar-nos voltar a ver e a viver com os entes queridos que já faleceram.

O Elder José Teixeira, a partir de um correio electrónico recebido da sua nora aquando do nascimento da sua neta Jane, enfatizou o nascimento em Cristo através do batismo e a da alegria que sentimos com o nascimento de uma criança à semelhança do que poderemos sentir com o batismo de uma pessoa. Ao evidenciar que as crianças são seres dependentes e cada progresso que estas fazem constituem uma razão para regozijo e felicidade, de igual forma os pequenos progressos dos membros mais novos devem ser incentivados e devem ser motivo de felicidade para a Igreja. Ainda por último, não é suposto os bebés permanecerem dependentes por toda a vida, devem crescer e desenvolver-se. O mesmo é esperado dos membros que cresçam e se tornem autónomos no evangelho.

O Elder Rasband referiu que o Presidente Monson lhe pediu pessoalmente para transmitir o seu amor aos portugueses e também agradeceu por nos termos unido à igreja e por termos feito sacrifícios pelas bençãos do evangelho, e guardarmos os mandamentos. Acerca do templo de Lisboa mencionou o facto do Presidente Monson ter anunciado há dois anos (Outubro de 2010) o templo de Lisboa e que se o percurso de construção seguir o seu rumo natural, o templo de Lisboa será o 156º. Seguidamente declarou que o templo é como um local sagrado, tal como o são as capelas e também os nossos lares. Enfaticamente exortou e encorajou os irmãos a protegerem a sua família e a nunca baixarem a guarda, porque Satanás procura encontrar sempre uma maneira de os desviar do caminho da retidão.

Observando as mais de 1300 pessoas no Centro de Congressos de Lisboa, o Elder Rasband referiu que podemos ter uma dimensão do evangelho diferente daquela que muitas vezes temos nos nossos pequenos ramos e alas, onde nos perguntamos onde estão as pessoas e porque somos tão poucos. E ao partilhar o seu testemunho evidenciou o amor e dedicação pelo serviço missionário, pelo profeta, e por Jesus Cristo.