Orientação pessoal e profissional para os jovens de Mem Martins

  Maria João Fernandes, especialista de emprego da estaca de Oeiras

  • 31 Maio 2012

"No final da atividade os jovens mostraram-se muito motivados para estabelecerem as suas metas académicas e profissionais."

No passado dia 20 de Fevereiro realizou-se na capela de Mem Martins, estaca de Oeiras, uma atividade de orientação pessoal e profissional destinada aos jovens daquela unidade.

Realizada pela irmã Maria João Fernandes, psicóloga de formação e formadora, a atividade teve como objetivo trabalhar um pouco o auto conceito dos jovens e de refletirem sobre as suas escolhas académicas e profissionais.

A atividade foi dividida em duas partes:

A primeira parte realizou-se no final de Novembro de 2011, numa Mutual conjunta e teve como tema “Atitude é Altitude”; nela os jovens ponderaram sobre o seu verdadeiro valor, aprenderam que a sua altitude (onde querem chegar) depende apenas das suas atitudes, visualizaram exemplos práticos e verídicos, leram citações e escrituras exemplificativas e no final, receberam um convidado muito querido e especial: uma mensagem enviada pelo irmão Manuel Silva, ele falou do seu percurso profissional, de como colocou sempre o Senhor nas suas decisões e de como Ele o tem orientado e guiado levando-o sempre a bom porto. Foi um belo testemunho, cheio de fé e inspiração.

No final desta parte, os jovens fizeram o Teste de Orientação Profissional da Igreja, já como introdução para a segunda parte.

A segunda parte realizou-se no dia 20 de Fevereiro e durou o dia todo. Os jovens estavam em pulgas para receberem o relatório dos seus testes, mas tiveram de aguentar um pouco mais. O tema desta parte foi “Se eu quero, eu Posso e Consigo!” Os jovens escolheram ser águia em vez de galinhas, relembraram e prestaram uma última homenagem aos seus “velhos amigos de infância Não Consigo”. Refletiram sobre onde querem estar daqui a 10 anos, aprenderam o valor da importância de uma educação superior, relembraram o que dizem os profetas modernos sobre a educação e receberam o tão esperado relatório do Teste de Orientação Vocacional da Igreja.

No final da atividade os jovens mostraram-se muito motivados para estabelecerem as suas metas académicas e profissionais.

Esta foi uma atividade que procurou ser um alerta e um abanão para os nossos jovens. Como foi dito na mesma, terá valido a pena se ao menos saíssem dali com duas certezas: que realmente são filhos e filhas de Deus, com todos os dons e potencial que isso implica e que podem alcançar e ser tudo o que quiserem na vida.