Parte 3: “Vinde Agora, e Argui-me”

Contribuição de Irmã Neill F. Marriott, da presidência geral das Moças

  • 25 Maio 2016

Quando as presidências de classe das Moças e suas líderes aconselham-se mutuamente, elas são capazes de aumentar a fé, a união, o amor e as boas obras.

Destaques de Artigos

  • Seguir o padrão de aconselhamento do Senhor traz o Espírito e maior inspiração para nossas responsabilidades.

“Não há problemas de família, ala ou estaca que não possam ser resolvidos se buscarmos as soluções à maneira do Senhor por meio de conselho.” — Élder M. Russell Ballard, do Quórum dos Doze Apóstolos

Este artigo é o terceiro de uma série sobre as presidências de classe das Moças.

Você está buscando a melhor maneira para construir confiança, resolver problemas, unificar esforços e planejar eficazmente? O Élder M. Russell Ballard nos dá essa orientação: “Não há problemas de família, ala ou estaca que não possam ser resolvidos se buscarmos as soluções à maneira do Senhor por meio de conselho” (Em Conselho com Nossos Conselhos, p. 5).

“A Igreja do Senhor é governada por meio de conselhos em âmbito geral, de área, de estaca e de ala. Esses conselhos são fundamentais para a ordem da Igreja” (Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 4.1).

Nós somos um povo de “reunião”, que precisa da inspiração, do apoio, da atenção e das opiniões de cada pessoa para melhor enfrentar os desafios, executar o trabalho do Senhor e ministrar uns aos outros.

O valor dos conselhos

Quer sejamos membros de uma presidência de classe das Moças ou de uma família, seguir o padrão de aconselhamento do Senhor traz o Espírito e maior inspiração para nossas responsabilidades.

Nós nos apoiamos na promessa de Jesus Cristo: “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mateus 18:20). Todo mundo tem alguma sabedoria ou algum conhecimento para oferecer e o trabalho em conselho pode ser o meio mais eficaz de juntar essa sabedoria coletiva sob a influência do Espírito do Senhor. Em seu livro, o Élder Ballard afirma que o convite feito aos membros dos conselhos para aconselharem-se mutuamente “era como abrir as comportas do céu: uma reserva de discernimento e inspiração começava a fluir repentinamente entre os membros do conselho” (Em Conselho com Nossos Conselhos, p. 4).

Imagine uma presidente da classe das Lauréis reunindo-se com suas conselheiras (observe que há uma razão para serem chamadas de “conselheiras”) e com a consultora das Moças. Elas começam com uma oração, pedindo orientação espiritual enquanto pensam cuidadosamente em como levar as bênçãos do evangelho à vida de uma jovem menos ativa da classe. Cada membro da presidência tem a responsabilidade de compartilhar suas ideias para encontrar uma solução. Como essas líderes de classe, chamadas e designadas, podem servir àquela irmã? A discussão livre e aberta traz bons resultados quando as diferentes visões inspiradas de cada uma contribuem para se chegar à melhor solução. As habilidades de ouvir com respeito e falar com clareza também se desenvolvem nesse ambiente.

Obviamente, esse padrão de conselho funcionará no ambiente familiar, nas conversas entre os cônjuges, nas sessões de planejamento de eventos e em outros grupos, bem como na presidência de classe.

Os aspectos significativos de um conselho da Igreja ou da família

Doutrina e Convênios 88:122 ensina: “Dentre vós designai um professor e não falem todos ao mesmo tempo; mas cada um fale a seu tempo e todos ouçam suas palavras, para que quando todos houverem falado, todos sejam edificados por todos, para que todos tenham privilégios iguais”.

Observe os cinco elementos desta escritura que são necessários para se conduzir um conselho eficaz:

  1. Um conselho tem um líder.
  2. Preparação antecipada.
  3. TODOS devem ouvir o que está sendo dito.
  4. O conteúdo deve ser edificante.
  5. Cada membro do conselho deve ter privilégios IGUAIS.

Conselhos eficazes em Zimbábue, África

Em uma designação da Igreja na África, aprendi que as líderes das Moças sentiam a necessidade de entender melhor como funciona um conselho. Com o apoio de um membro da presidência da área, decidimos fazer uma sessão prática de como trabalhar em conselhos. Oito círculos de cadeiras foram formados no salão cultural. Uma presidente das Moças foi chamada como líder em cada conselho e elas receberam um “problema” que precisava ser resolvido. Juntas, elas estudaram Doutrina e Convênios 88:122 e debateram sobre como é um verdadeiro conselho. Com esse conhecimento espiritual, os conselhos começaram a trabalhar.

Um líder local da estaca observou que alguns membros estavam falando mais do que outros; passaram-se, então, lembretes sobre as palavras da escritura: “privilégios iguais”. Em breve, todas as participantes desses conselhos práticos tinham falado e as decisões foram tomadas em espírito de união e responsabilidade compartilhada. Enquanto cada líder de conselho falava sobre os resultados deste aconselhamento mútuo, elas reconheciam que a ação deve seguir as decisões que foram tomadas. A palavra “empoderamento” veio à minha mente quando vi essas líderes seguindo as orientações da escritura e do manual da Igreja sobre os conselhos. Essas irmãs sentiram-se capacitadas a ensinar suas presidências de classe sobre como se aconselharem mutuamente. Esse aconselhamento ilumina o caminho para as soluções do evangelho nas classes, nas famílias e nas unidades da Igreja.

Os efeitos de cura dos conselhos

As presidências de classe das Moças e as líderes adultas aprenderão que “um chamado para servir em um bispado ou presidência é um chamado para servir em um dos conselhos mais importantes da Igreja. É lá que se determina o tom de toda organização que o conselho preside. Quando o amor cristão se evidencia em bispados e presidências, ele possui um efeito cativante, envolvente e saudável em toda a organização” (Em Conselho com Nossos Conselhos, p. 127). O Senhor lidera e faz o trabalho da Igreja por meio dos conselhos. As líderes adultas das jovens e as presidências de classe podem aumentar a fé, a união, o amor e as boas obras quando aprendem as habilidades de aconselhar e ministrar em seus chamados, participando de conselhos.

• Ver as lições de liderança para as presidências de classe, “Liderar à Maneira do Salvador”.

Outros artigos da série

Parte 1: “Chamadas para Liderar”: A Influência da Presidência de Classe das Moças

Parte 2: Preparação Espiritual Fundamental para Líderes das Moças

Parte 4: Servir ao Próximo É um Mandamento e Convênio