Notícias da Igreja

Élder Cook: Chave para o Trabalho Missionário É Compreender a Doutrina

Contribuição de Sarah Jane Weaver, redação do Church News

  • 8 Julho 2013

O Élder Quentin L. Cook fala aos novos presidentes de missão e respectivas esposas no seminário para novos presidentes de missão.

Oportunidades e desafios surgem da intersecção do arbítrio com a oposição e a fé na obra missionária, disse o Élder Quentin L. Cook do Quórum dos Doze Apóstolos.

“É essencial que os missionários entendam a inter-relação entre as doutrinas básicas”, disse o Élder Cook. “Eles podem então ensinar todas as três e alcançar a unidade da doutrina que é esperada de emissários do Salvador. O impacto combinado dessas doutrinas pode ser muito profundo.”

Ao discursar no Seminário para Novos Presidentes de Missão, o Élder Cook falou de cada doutrina individualmente.

Ele chamou de arbítrio a capacidade de escolher e agir. “Isso é essencial no plano de salvação”, disse ele. “Sem o arbítrio não podemos aprender, progredir ou escolher seguir o Salvador.” Ele disse que no conselho pré-mortal no céu o plano do Pai incluiu o arbítrio como um elemento essencial.

O Élder Cook observou que a doutrina da oposição está intimamente relacionada ao arbítrio e às vezes é visto como parte dessa doutrina. “Mas como a oposição geralmente vem de fontes externas ou de terceiros, é útil vê-la separadamente”, disse ele. “Isso é verdade especialmente quando a oposição se relaciona ao trabalho missionário.”

O Élder Cook disse que um exame das escrituras sobre as bênçãos da fé em relação ao trabalho missionário é bastante inspirador. Só no Livro de Mórmon, algumas bênçãos missionárias de fé incluem manifestações espirituais, orações respondidas, obtenção de conhecimento, mudança de coração, milagres, curas, bênçãos de paz, estabelecimento da Igreja e promessas de salvação.

“Contudo, em última análise, os pesquisadores têm o arbítrio moral para aceitar ou rejeitar a doutrina de Cristo”, disse ele. “Doutrina e Convênios 10:53 deixa claro que o Senhor não vai estabelecer Sua Igreja, mesmo que os missionários façam tudo certo, se as pessoas endurecerem o coração. Os pesquisadores podem rejeitar o que é ensinado.”

Ele disse aos novos presidentes de missão que a meta deles de vencer a oposição e a dureza do coração das pessoas será ensinar a doutrina que edifica nos missionários a fé no Senhor Jesus Cristo.

O Élder Cook compartilhou uma experiência que teve quando era um jovem missionário ao tentar abrir uma nova área e converter um número suficiente de membros para criar um ramo. Houve grande oposição e publicaram um artigo negativo num jornal. Ainda assim, com orientação divina, os jovens missionários conseguiram encontrar as famílias que poderiam liderar o futuro ramo.

O Élder Cook disse que a experiência forneceu lições inestimáveis:

· “Senti-me abençoado com uma visão do que o Senhor desejava que acontecesse naquele novo ramo ao estabelecer Sua Igreja.

· Dei-me conta do poder de chegar humildemente a um plano que incluía metas e objetivos para alcançar essa visão.

· Tive a bênção espiritual de solicitar ajuda a Deus no cumprimento de Seus propósitos.

· Descobri que a oposição pode ser uma bênção.

· Aprendi o quanto é necessário atender aos sussurros do Espírito Santo.

· Compreendi o poder e influência que os líderes do sacerdócio e das auxiliares têm no trabalho de salvação.”

O Élder Cook disse que a maneira com que os missionários se sentem no final sobre sua missão geralmente é determinada pelo modo como as metas e planejamento são utilizados.

Dois extremos relacionados a metas missionárias foram um problema antes da nova orientação contida em Pregar Meu Evangelho, disse ele. “Primeiro, de tempos em tempos, em vez de concentrar os missionários na edificação de alas e ramos e de ajudar o Senhor a estabelecer Sua Igreja, algumas missões se concentraram exclusivamente em batismos. (…) Deve também ficar bem claro que na outra extremidade do espectro antes de Pregar Meu Evangelho, alguns presidentes de missão se sentiam incomodados em dar até mesmo uma visão do que um missionário bem-sucedido devia tentar realizar e alguns evitavam fazer qualquer tipo de meta ou planejamento necessário para alcançar metas.”

Os presidentes que aprenderem a ajudar os missionários da missão no estabelecimento de metas, planejamento e prestação de contas, vão ajudar não somente muitas pessoas a receberem o evangelho restaurado e a construir alas e ramos, mas também vão abençoar os missionários por toda a vida.

“Nossa meta final, é claro, é ter membros convertidos, consagrados que recebam os convênios batismais e os convênios do templo e os renovem tomando o sacramento todas as semanas. Batismos que não estabelecem a Igreja com alas e ramos fortes e não levam a convênios não vão realizar os desígnios do Pai Celestial para Seus filhos.”