Notícias da Igreja

O Distrito dos Açores no templo de Madrid

  Elisabete Ferreira, responsável das Páginas Locais da Liahona no distrito dos Açores

  • 11 Dezembro 2012

No passado dia 12 de Novembro, o distrito dos Açores fez uma viagem ao templo de Madrid. Apesar de ser um mês não muito favorável, por não ser uma época de férias de trabalho, nem muito menos escolar, conseguimos levar dezoito membros, cinco deles pela primeira vez.

A semana foi muito espiritual, apoiámo-nos uns aos outros, ficando mais unidos, de tal forma que quando entravamos no templo perguntávamos uns pelos outros, pois sentíamos a falta de quem não estava. Esta atitude é semelhante à que se tem numa família e nesta semana estivemos como uma verdadeira família - almoçamos e jantamos juntos, compartilhamos o que tínhamos. Tudo foi tão maravilhoso que desejamos que os nossos outros irmãos pudessem estar ali connosco a provar do mesmo fruto, tal como Leí desejou em relação aos seus filhos.

Fizemos uma excelente noite familiar no jardim do Templo, aprendendo e compartilhando sentimentos, principalmente dos que visitaram a casa do Senhor pela primeira vez.

Na sexta-feira tivemos uma pequena reunião de testemunhos ao fim do dia. Sentiu-se o Espírito muito forte com os testemunhos que foram dados. Saímos todos com a vontade de voltar a estar juntos na casa do Senhor. A maior preocupação do distrito foi que tudo corresse na perfeição para que os irmãos e as irmãs que iam pela primeira vez pudessem ter boas experiências espirituais, que os ajudassem a fortalecer os seus testemunhos. E foi isso que aconteceu.

O templo é a casa do Senhor e estar no templo é uma honra que o nosso Pai nos concede pela nossa dignidade. No templo sentimos o quanto o Senhor ama todos os seus filhos, e como crescemos ao ajudar os nossos irmãos que já passaram para o outro lado do véu. Aprendemos que devemos ser caridosos com o nosso próximo e esta é uma aprendizagem para o resto da vida. Ir ao templo é um dos maiores actos altruístas que podemos desenvolver, pois envolve o nosso tempo, os nossos talentos e os nossos bens.