Notícias da Igreja

Ponto de Vista: Discipulado Mais Profundo

  • 30 Dezembro 2012

Chamadas serenas para mudar são o padrão para todos os que buscam sinceramente tornar-se mais profundos discípulos do Senhor Jesus Cristo.

Para aqueles que estão ouvindo com atenção, o Senhor envia regularmente chamados à ação pelo Espírito. Aos humildes, esses chamados trazem mudanças a vontades e planos pessoais — realizar um ato de serviço, estender a mão para abençoar alguém que necessite, procurar de novo conhecimento e compreensão ou modificar nosso comportamento de modo positivo. Chamadas serenas para mudar são o padrão para todos os que buscam sinceramente tornar-se mais profundos discípulos do Senhor Jesus Cristo.

Natanael foi chamado para “vir e ver” (João 1:46).

Pedro e outros foram chamados para tornar-se “pescadores de homens” (Mateus 4:19).

Às vezes os chamados à ação vêm mais diretamente dos profetas vivos de Deus. O Presidente Spencer W. Kimball chamou a Igreja para levar o evangelho a todo o mundo; o Presidente Ezra Taft Benson exortou os membros a se lembrarem do Livro de Mórmon; e o Presidente Howard W. Hunter incentivou os membros a se concentrarem no templo. Os anúncios recentes do Presidente Thomas S. Monson relativos à adoração no templo, idade missionária, e ensino e aprendizado para os jovens são uma chamada coletiva a esta geração, para que se erga e brilhe.

Em toda a emoção e oportunidade, associadas a cada chamado profético à ação, advêm um grande nível de responsabilidade e obrigação à pessoa, às famílias e à Igreja para aprofundar nosso discipulado.

Cada rapaz e moça podem reconhecer a grande confiança que o Senhor está demonstrando nesta geração. Cada um deve considerar também que obrigações e responsabilidades são associadas com os anúncios e ponderar em espírito de oração as mudanças que podem ser necessárias na vida pessoal, como resultado do chamado do profeta para a ação. Talvez vocês sintam a necessidade de aprofundar o discipulado, passando mais tempo no estudo das escrituras e nas palavras dos profetas vivos. Ou talvez possam sentir-se atraídos para aprender e compreender mais sobre seus antepassados e sua vida e ajudá-los a receber as bênçãos do evangelho, realizando o trabalho nos templos a favor deles. Sejam quais forem as mudanças que você seja induzido a fazer, elas exigirão que ajuste os padrões atuais e recoloque o tempo e prioridades de sua vida.

Os pais e avós já estão sentindo a urgência de dar instruções melhores em casa, a fim de ajudar os jovens que amam a preparar-se para fazer e guardar convênios sagrados nos templos sagrados e servir fielmente como missionários. Felizmente, as famílias podem agora encontrar todos os recursos necessários para realizar esse trabalho tão importante, sem custo no LDS.org.

Além das escrituras, outros recursos-chaves incluem revistas da Igreja, Vem e Segue-Me: Recursos de Aprendizagem para os Jovens, Pregar Meu Evangelho, e Investidos de Poder do Alto. Os pais precisam ouvir atentamente as perguntas que seus jovens têm, as que são expressas e as que não o são. Os pais atenciosos serão guiados ao considerarem em espírito de oração como ajudar seus filhos a crescerem e tornarem-se espiritualmente preparados, fornecendo-lhes oportunidades de ensinar, compartilhar o evangelho e participar do trabalho de redenção dos mortos. Como com todos os discípulos, é importante fazer perguntas que levem a atos, tais como: “Com base no que estudamos, o que está sentindo que gostaria de fazer?”

O plano de ação exige envolver os jovens no trabalho de salvação — o trabalho dos discípulos. Os líderes adultos da Igreja e os consultores jovens precisarão ouvir e envolver os jovens nos desafios de cada ala e estaca. Em vez de preparar programas para entreter os jovens, os líderes devem discutir as questões que os jovens sentem que são importantes, permitir-lhes buscar respostas e soluções e envolver o quórum do Sacerdócio Aarônico e as presidências de classe das Moças em criar planos para abençoar e servir as pessoas. Depois, os líderes adultos precisam sair do caminho e deixar que os jovens assumam a sua parte na obra do reino. O poder e a força que vai fluir para as alas e estacas será proporcional à extensão de poder que os líderes adultos vão liberar, inerente à força espiritual e o vigor de sua juventude para começar a agir como discípulos.

Com todo chamado à ação, vem a necessidade de cuidado. Sempre há alguns que resistem a diretrizes proféticas que possam promover os seus pontos de vista pessoais ou ordens do dia. As palavras do profeta fornecem uma ampla gama de opções para os jovens — todas aceitáveis ao Senhor. Um rapaz tem a opção de sair em missão na idade de 18 anos ou mais tarde, dependendo de suas circunstâncias e preparação. Uma moça pode escolher concentrar-se na preparação para o casamento e a maternidade e a educação ou pode optar por servir em uma missão na idade de 19 ou mais tarde. Cada jovem tem a flexibilidade para concentrar-se em seu caminho de vida de discipulado, dentro do contexto do caminho do convênio maior definido pelo profeta do Senhor. Devemos ter cuidado para ajudar todos os jovens a sentirem-se aceitos e incluídos nas decisões de discipulado que fazem.

O chamado do profeta para a ação é um chamado para aprofundar o discipulado. Os jovens, pais e líderes da Igreja devem todos reexaminar-se e onde eles ficam como discípulos. Precisamos examinar os convênios que fizemos como indivíduos, maridos, esposas, pais e servos no reino. Precisamos ter ouvidos para ouvir o chamado e a fé para atendê-lo.

Portanto não vos canseis de fazer o bem, porque estais lançando o alicerce de uma grande obra. E de pequenas coisas provém aquilo que é grande” (D&C 64:33).

Ao falar durante a conferência geral de outubro de 2012, o Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, disse as seguintes palavras para “os jovens da Igreja que aguardam a missão, o templo e o casamento”. Ele disse: “Amem a Deus e permaneçam limpos do sangue e dos pecados desta geração. Vocês têm um trabalho monumental para fazer, salientado pelo maravilhoso anúncio feito ontem de manhã pelo Presidente Thomas S. Monson [sobre a idade de qualificação para o serviço missionário]. O Pai Celestial espera seu amor e sua lealdade em todas as fases da vida.”