Aplicar o Que Você Aprende na Igreja em Seu Lar e na Vida em Família

  Marianne Holman, da redação do Church News

  • 17 Setembro 2013

Os pais devem fazer mais do que apenas viver pelo exemplo. Eles devem tornar-se “mentores” ou guias, alguém com quem seus filhos podem desenvolver-se, ensinou o irmão Matthew O. Richardson, segundo conselheiro na presidência geral da Escola Dominical.  Fotografia: Janneke Ann Marquez.

Destaques do Artigo

  • Aplicar o que aprender na Igreja em sua casa ajuda a aprofundar sua conversão a viver os princípios do evangelho.
  • Fazer perguntas e mantendo conversas são essenciais para fortalecer os relacionamentos familiares e compreender o nível de conversão pessoal de cada membro da família.
  • Ser modelos, dar um exemplo e orientar são importantes no ensino, especialmente no lar.

“Tudo o que temos feito deve melhorar o aprendizado e o ensino, tanto na Igreja como no lar.” — Irmão Matthew O. Richardson, segundo conselheiro na presidência geral da Escola Dominical

PROVO, UTAH

Tudo que é feito na Igreja é projetado para ajudar a auxiliar em casa, disse o irmão Matthew O. Richardson, segundo conselheiro na presidência geral da Escola Dominical, durante uma apresentação na Semana da Educação, no Câmpus da Universidade Brigham Young, em 21 de agosto.

“Às vezes, podemos ficar um pouco para trás”, disse ele. Enviamos nossos filhos, enviamos pessoas, enviamos a nós mesmos para ser educados no edifício da Igreja e, ao chegarmos em casa, tiramos as roupas da Igreja o mais depressa que podemos”.

Em vez de ser simplesmente um lugar para ir aos domingos, a Igreja deve ser um lugar de renovação e uma oportunidade para as pessoas participarem e sair recarregadas para prosseguir e viver o evangelho no lar, observou ele.

“Tudo o que temos feito deve melhorar o aprendizado e o ensino na igreja e no lar”, disse ele.

O irmão Richardson disse que as pesquisas demonstraram que apenas um terço dos membros “ativos” da Igreja realmente realizam um estudo das escrituras em família, a noite familiar, estudo pessoal das escrituras e oração pessoal ou familiar. Outro terço “de vez em quando” realiza essas atividades, e o último terço não participa de modo algum.

Ele falou a respeito do processo de conversão e de como, na medida em que as pessoas aplicam o que aprenderam na igreja em sua casa, podem aprofundar sua conversão ao viver os princípios do evangelho.

“Para mim, vem a pergunta — mas como fazemos isso?” disse ele. “Como podemos ensinar [nossa família]?”

Fazer perguntas e manter conversas são essenciais para fortalecer os relacionamentos familiares e ajudar os pais a saberem onde estão os seus filhos em termos de sua conversão pessoal. Outro elemento importante para ensinar em casa é por meio do exemplo, disse ele.

“Ser um modelo torna-se uma parte importante do ensino, especialmente no lar”, disse ele. “Estamos descobrindo que a maioria das pesquisas diz que aprendemos grandes coisas na igreja e, depois, chegamos em casa, não vivemos esses princípios, e todo esse aprendizado do evangelho fica esquecido”.

Matthew O. Richardson, segundo conselheiro na presidência geral da Escola Dominical.

Os pais devem viver mais do que apenas pelo exemplo. Eles devem tornar-se “mentores” ou guias, alguém com quem seus filhos possam desenvolver-se.

“Mais do que o exemplo, talvez precisemos de mais orientação”, disse ele. “É mais do que apenas viver a vida e ser um exemplo, (…) mas também, ao convidarmos as pessoas ao longo do caminho no aconselhamento, tornamo-nos uma espécie de guia.

“Uma das minhas canções favoritas, que me ajudou na tentativa de encontrar uma forma melhor de aprender e ensinar é ‘Sou um Filho de Deus’ ”.

Ele disse que vê o hino da Primária como um grande modelo do tipo de pais que vai liderar, orientar e andar ao lado de seus filhos, para ajudá-los a guardar as leis de Deus.

“Eles simplesmente não arrastam [os filhos] a guardar as leis de Deus ”, disse ele. “Eles ensinam [os filhos] tudo o que eles devem fazer para um dia com Ele habitar. Este é um bom modelo de orientação”.

É no lar que os pais podem reforçar o que eles — e seus filhos — aprenderam na igreja.

“O lar deve ser uma oportunidade para a ceifa das próprias experiências”, disse ele.

Grande parte do ensino dos pais em casa vem de confiar no Espírito Santo para ensinar pelo Espírito. Em vez de apenas falar, fazer sermões, ou dizer a seus filhos como viver ou o que fazer, os pais devem ensinar de acordo com o ambiente, ocasião e contexto.

Citando o Presidente Henry B. Eyring, da Primeira Presidência, disse o irmão Richardson, “o puro evangelho de Jesus Cristo deve penetrar o coração de (…) [as pessoas] pelo poder do Espírito Santo”.

Embora o aluno possa optar por aceitar ou rejeitar os ensinamentos, o professor deve agir com fé em que o Espírito Santo prestará testemunho para o aluno de que os ensinamentos são verdadeiros, penetrando o coração do aluno e fazendo com que ocorra a conversão.

Conforme as doutrinas entrarem no coração do professor e do aluno, ambas as suas ações refletirão uma conversão profunda. É com agir de acordo com as oportunidades para ensinar, por meio de diálogo aberto, perguntando e respondendo a perguntas, e convidando as pessoas a agir, que as famílias podem sentir uma conversão mais profunda.