Noite no Templo de Sacramento Une Missionários e Residentes Locais

  Carlos Rivera Medina, missionário na Missão Califórnia Sacramento

  • 5 Outubro 2011

“Descobrimos que uma das maneiras mais poderosas de tocar o coração dos futuros membros e de ajudá-los a receber o evangelho restaurado é por meio do belo espírito do templo.” —Carlos Rivera Medina, missionário na Missão Califórnia Sacramento

Em 16 de setembro de 2011, os missionários da Missão Califórnia Sacramento realizaram uma atividade no “Mormon Center” [Centro Mórmon], uma capela santo dos últimos dias ao lado do Templo de Sacramento Califórnia, e convidaram todos os membros e não membros que falam espanhol para aprender mais sobre a Igreja e os templos SUD. A noite começou com um batismo e um jantar e foi seguida por uma mostra de arte, uma visitação ao templo e uma reunião sobre o evangelho.

“Descobrimos que uma das maneiras mais poderosas de tocar o coração dos futuros membros e de ajudá-los a receber o evangelho restaurado é por meio do belo espírito do templo”, Carlos Rivera Medina, um missionário na Missão Califórnia Sacramento que ajudou a organizar o evento, escreveu em um e-mail.

A frequência foi de mais de 350 membros, não membros, missionários e líderes locais da Igreja que falam espanhol.

Jorge Cocco, o artista SUD mundialmente famoso, da Argentina, exibiu 40 quadros durante a noite do templo, inspirando as pessoas a lerem e a “se banquetearem” com o Livro de Mórmon.

“Foi uma ocasião em que as pessoas puderam [ver] os eventos mais relevantes do Livro de Mórmon [retratados] nas imagens e também escutar a explicação sobre a técnica, interpretação e simbolismo do artista”, disse o irmão Cocco. “[Eles foram] capazes de desfrutar de uma sequência de imagens que ajuda a preservar a história e o testemunho dos grandes líderes do Livro de Mórmon.”

O Élder Rivera comentou que a noite do templo foi uma indicação do sentimento de unidade na Igreja e do desejo dos membros de compartilharem o evangelho com todos: “Todos os membros, líderes e missionários que falam inglês, tonganês, espanhol, hmong nos ajudaram”, disse ele.

Mais de quatro meses antes da atividade, o presidente da missão H. Benson Lewis enviou um e-mail para os missionários e líderes na área enfatizando a meta final de trazer as pessoas ao templo.

“Ele convidou os missionários para (…) trazerem as pessoas para a visitação do templo”, disse o Élder Rivera. Nos meses seguintes, os missionários e membros uniram esforços ao planejar uma noite com alimentação, diversão, um batismo e uma visitação ao templo.

O Élder Rivera se lembrou dos sacrifícios de tempo e dos recursos utilizados por muitas pessoas para a realização da noite do templo. As irmãs da Sociedade de Socorro de todo o Vale do Sacramento contribuíram para o jantar de tostada.

“Os membros da Sociedade de Socorro de todo o vale prepararam e trouxeram itens de alimentação de boa vontade e com sorrisos”, disse ele. “Uma irmã estava muito doente com diabetes, o que a fez se sentir muito fraca. Mas ela ainda queria fazer a diferença e preparou 25 quilos de feijões fritos.”

Na noite do evento as pessoas viajaram até duas horas para participarem e muitos estavam tão animados que chegaram cedo.

Teresa Fernandez-Fernandez, agora membro da Ala Monte Vista em Manteca, Califórnia, foi batizada durante a noite no Mormon Center [Centro Mórmon].

“O que eu senti ao entrar e sair da água foi uma paz imensa de que Deus, na realidade, velava por mim”, ela contou. “Foi um belo momento em minha vida do qual jamais me esquecerei. E daquele momento em diante, minha família foi abençoada.”

Muitas outras pessoas que participaram da noite do templo tiveram sentimentos semelhantes.

Um companheiro da missão escreveu em um e-mail que o espírito no evento inspirou uma família de pesquisadores a escolher uma data de batismo. “Sentimos que foi a visitação que lhes deu a confiança de serem batizados e andarem em direção ao casamento eterno”, eles contaram.

A noite do templo foi uma experiência diferente para muitos dos membros que falam espanhol em Sacramento e que frequentam ramos pequenos e estão acostumados a ver grupos pequenos de membros nas suas capelas.

“Dezenas de pesquisadores e novos conversos da Igreja participantes não tinham apreciado plenamente o tamanho da Igreja na comunidade latina dentro dos limites da Missão Sacramento ou a magnitude e a beleza do Templo de Sacramento”, escreveu o Presidente Lewis em um e-mail. “Houve muitos interessados em escutar e aprender mais.”

O Élder Rivera comentou que o evento foi até então o ponto alto de sua missão até aqui.

“Meu lema durante todo o evento era de que devíamos focalizar no indivíduo, tantos quantos viessem”, disse ele. “Custou muito trabalho, muita oração, muitas lágrimas e muita esperança e foi um sucesso porque o Senhor estava conosco — e com Ele nada é impossível.”