Os Santos em Botsuana Regozijam-se com a Criação da Primeira Estaca

  Enviado por Heather Whittle Wrigley, Notícias e Eventos da Igreja

  • 14 November 2012

Clement Matswagothata foi chamado como presidente da Estaca Gaborone Botsuana, criada em 4 de novembro de 2012 — a primeira estaca no país.  Fotografia de Theodore Obonye.

“A estaca será um lugar de refúgio, um lugar de aprendizado, um lugar de excelência e segurança, um lugar de ordem, um lugar de bondade e amor e um lugar de Deus.” — Daniel Hall, Presidente da Estaca de Roodepoort

No sábado, 3 de novembro, os santos de várias alas locais estavam ocupados em lavar as janelas, esvaziar o lixo e arrumar as cadeiras da capela de Broadhurst, em Botsuana, África, em preparação para um evento memorável que ocorreria no dia seguinte — a criação da primeira estaca no país.

No domingo, uma atmosfera de reverente entusiasmo permeou a capela reluzente, quando 881 membros testemunharam a organização da nova Estaca de Gaborone Botsuana e a divisão da Estaca Roodepoort África do Sul.

O Presidente da Área África Sudeste, Élder Dale G. Renlund, e o Élder Bricknell, Setenta de Área, presidiram a reunião, durante a qual Clement Matswagothata foi chamado como presidente de estaca, Geoff Tembo como primeiro conselheiro e Oduetse S. Mokoeni como segundo conselheiro. A nova estaca compõe-se de três alas e cinco ramos.

“A criação da Estaca Gaborone Botsuana é uma ocasião memorável tanto para os membros da Igreja na estaca recém-formada, mas também para Botsuana como um todo”, comentou o Presidente da Estaca de Roodepoort, Daniel Hall. “A estaca será um lugar de refúgio, um lugar de aprendizado, um lugar de excelência e segurança, um lugar de ordem, um lugar de bondade e amor e um lugar de Deus.“

Uma jovem adulta solteira expressou seu entusiasmo em participar deste momento histórico: “Que bênção foi ouvir que Botsuana terá sua primeira estaca, e que posso ser parte da ajuda para que o Reino do Pai Celestial cresça nesta parte do mundo. Estou muito feliz e ansiosa para servir e fazer as coisas que Cristo faria e fazer as coisas que Cristo (…) quer que eu faça”.

Poucas semanas antes, os santos locais receberam a notícia de que a Primeira Presidência aprovara a solicitação de uma estaca de Sião em Botsuana. Eles tinham a esperança de se tornarem uma estaca no final de 2012, ou início de 2013. Ninguém esperava que a solicitação fosse aprovada tão rapidamente.

Durante muitos anos, os membros da região sul do Botswana pertenceram à Estaca Roodepoort África do Sul, enquanto os na região norte eram parte do distrito da missão de Johannesburgo.

O membro local, Leonard Thebe, disse que os santos de Botsuana esperam ansiosos pela vinda de muitas estacas. “Botsuana está indo muito bem no crescimento do número de membros da Igreja”, disse ele. A Igreja tem atualmente 2.071 membros em Botsuana, e tinha 1.693 no final de 2011. O crescimento do número mensal de batismos na região sul, que inclui sete unidades, tem uma média de quatro a seis conversos por unidade.

O Presidente Hall comparou o efeito que a estaca terá sobre o país com a escritura que diz, “Um pouco de fermento leveda toda a massa” (Gálatas 5:9).

“Colocando diferentemente, a estaca em Botsuana abençoará o país e seu povo, porque, dessa estaca, se espalhará o evangelho de Cristo à vida e coração do povo de Botsuana”, disse ele. “Desta estaca, centenas e até milhares de orações a favor do povo de Botsuana serão oferecidas a Deus”.

Ao concluir-se a reunião de domingo, muitos membros expressaram sua fé em que o Senhor tem mais bênçãos reservadas para o povo de Botsuana, ao serem pacientes e dedicados.

“As necessidades dos santos serão satisfeitas prontamente, e a estaca vai ser uma defesa para os santos”, disse Theodore L. Obonye, diretor adjunto de assuntos públicos da Igreja, em Botsuana.

A história da Igreja em Botsuana data de 1983, quando o primeiro ramo foi formado em Gaborone. O trabalho missionário ativo iniciou-se em Botsuana, em 1990. Em 1992, o ramo foi dividido em dois, para acomodar o crescimento do número de membros. Mais tarde, naquele ano, um terceiro ramo foi organizado na cidade de Lobatse.