Segundo Templo Dedicado na Flórida

Contribuição de Gerry Avant, editor do Church News

  • 5 Maio 2014

As Autoridades Gerais que participaram da dedicação do Templo de Participantes na dedicação do templo Fort Lauderdale Flórida em quatro de maio são: a partir da esquerda, Bispo Presidente Gary E. Stevenson, Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, Presidente Dieter F. Uchtdorf, da Primeira Presidência, Élder Ronald A. Rasband, da Presidência dos Setenta e Élder Kent F. Richards, dos Setenta.  Foto por Gerry Avant.

Destaques de Artigos

  • Presidente Dieter F. Uchtdorf dedicou o Templo de Fort Lauderdale Flórida em quatro de maio. É o segundo templo da Igreja na Flórida e o 143º em funcionamento no mundo inteiro.

DAVIE, FLORIDA

O estado do sol fez jus ao seu nome no domingo, quatro de maio, e não foi apenas o céu azul que levou um brilho extra ao sul da Flórida.

Uma aura de um resplendor emanava do rosto dos santos dos últimos dias que se alegraram enquanto o Presidente Dieter F. Uchtdorf dedicava o Templo de Fort Lauderdale Flórida, o segundo templo da Igreja no estado e o 143º templo em funcionamento em todo o mundo.

Durante sua estada na área de Fort Lauderdale para presidir e falar em três de maio ao programa cultural de jovens e para dedicar o templo em quatro de maio, o Presidente Uchtdorf, Segundo Conselheiro na Primeira Presidência, fez várias referências para as bênçãos de ter um templo no sul da Flórida.

Ele comentou sobre a beleza do Sul da Flórida, a área “entre o imenso Oceano Atlântico, os prados gramados e do Golfo do México mais adiante”.

“Fico impressionado não só pela beleza natural da Flórida, mas também por seu povo e a herança rica e inspiradora da história da Igreja”, disse ele.

Ele falou sobre como as ordenanças do templo e os convênios do templo concederam grande força e bênçãos para os antigos pioneiros mórmons quando tiveram que deixar Nauvoo em seu êxodo para o oeste.

Templo de Fort Lauderdale Flórida.

“As bênçãos do templo estavam quase fora do alcance para os primeiros santos na Flórida”, disse ele. “Eles foram pioneiros a seu próprio modo. Eles tinham de viajar milhares de quilômetros para receber sua investidura. Aqueles antigos santos da Flórida viajaram para os templos em Salt Lake City e Mesa, Arizona. Mais tarde os santos na Flórida ajudaram a construir templos em Washington D.C., em Atlanta e finalmente em Orlando. Hoje, chegou o tão aguardado momento de dedicarmos um templo em Fort Lauderdale.

“Ninguém pode ler as histórias dos primeiros membros da Igreja aqui na Flórida sem ter um sentimento de gratidão e amor por esses primeiros santos. Meus olhos se enchem de lágrimas quando penso em todos os sacrifícios feitos e pelo serviço devotado prestado pelos primeiros membros na Flórida. Não era fácil e muitas vezes era perigoso para esses santos, cuja história foi escrita na maioria das vezes, muito tempo depois que os carrinhos de mão chegaram ao Vale do Lago Salgado”.

O Presidente Uchtdorf falou sobre o legado herdado pelos SUD da Flórida de fiéis no evangelho como George Paul Canova, presidente do Ramo Sanderson que foi morto em 1898, quando ele e seu companheiro, Thaddeus Hill, foram emboscados ao voltar de uma conferência missionária.

“A vida desses pioneiros da Flórida são testemunho do poder, verdade e bondade da mensagem do evangelho”, disse o Presidente Uchtdorf. “Ao dedicarmos o Templo de Fort Lauderdale e honrar ao Senhor, podemos também nos lembrar e honrar desses membros fiéis que prepararam o caminho”.

Presidente Dieter F. Uchtdorf da Primeira Presidência ao lado do Templo de Fort Lauderdale Flórida no dia quatro de maio, com o Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, à esquerda e o Élder Ronald A. Rasband, da Presidência dos Setenta. Foto por Gerry Avant.

O Presidente Uchtdorf ofereceu a oração dedicatória nas primeira e terceira sessões realizadas para dedicar o templo; o Élder D. Todd Christofferson do Quórum dos Doze Apóstolos, ofereceu a oração durante a segunda sessão.

Outras autoridades gerais participantes foram o Élder Ronald A. Rasband da Presidência dos setenta, o Élder Kent F. Richards dos Setenta e diretor executivo assistente do Departamento de Templos e o Bispo Gary E. Stevenson, Bispo Presidente.

Cada uma das Autoridades Gerais foi acompanhado por sua esposa: Irmã Harriet Uchtdorf, irmã Kathy Christofferson, a irmã Melaine Rasband, irmã Marsha Richards e a irmã Lesa Stevenson.

Entre os que também falaram durante a dedicação estavam os membros da presidência do Templo de Fort Lauderdale Flórida: Jerry R. Bogges, presidente; Thomas Preston Smith, primeiro conselheiro; Robert H. Beck, segundo conselheiro. Portia Bogess, diretora do templo, Marilyn Kay Smith e Wyla Jean Beck, assistentes da diretora do templo, também falaram.

M. Anthony Burns, coordenador do comitê de dedicação do templo e Brook P. Hales, secretário da Primeira Presidência, também foram convidados a falar.

Durante a primeira sessão da dedicação, foi realizada uma cerimônia em que se colocou uma pedra de esquina simbólica que continha documentos, outros jornais e publicações, fotografias e uma cópia da oração dedicatória.

O Presidente Uchtdorf fez breves comentários dando as boas-vindas às pessoas que estavam fora do templo. Ele falou sobre a beleza do dia — um dia de sol e um novo amanhecer.

O Presidente Dieter F. Uchtdorf convidou várias crianças para irem à frente e colocar argamassa para selar a pedra de esquina do templo. Foto por Gerry Avant.

Depois que ele, as outras Autoridades Gerais e respectivas esposas se revezaram na colocação da argamassa para selar a pedra de esquina, ele convidou várias crianças que irem à frente. Ele se inclinou para baixo e falou com cada menino ou menina, perguntando a cada um o seu nome.

Um coro reuniu-se perto da pedra de esquina e apresentou dois hinos.

Durante cada sessão dedicatória do templo, coros compostos por membros do distrito do templo cantaram hinos refletindo a gratidão pelo templo e agradecendo pelas bênçãos do Senhor.

Os membros foram à dedicação do templo com gratidão e alegria. Entre eles estava Maria Soledad Brenes Perez, da Ala de Laguna, Estaca Miami Flórida Sul.

Batizada aos dezoito anos, ela foi o Templo de Atlanta Geórgia pela primeira vez como jovem adulta enquanto namorava seu futuro marido, William J. Perez, que havia servido uma missão no Peru. Casados no Templo de Atlanta em 1989, eles continuaram a frequentar o templo durante os próximos cinco anos, até o Templo de Orlando Flórida ser dedicado. “Levávamos 13 horas”, disse ela sobre a viagem de Miami para Atlanta.

Quando lhe perguntaram quanto tempo leva para ir da sua casa ao templo de Fort Lauderdale, seus olhos se encheram de lágrimas. Ela teve dificuldade para controlar seus sentimentos, antes que pudesse responder: 30 minutos.

Ela disse que é grata por ter um templo tão perto de sua casa. “Isso significa que seremos capazes de ir ao templo com maior frequência e servir ao Senhor mais diligente e consistentemente”, disse ela. “Agora é possível ir ao templo com frequência, até mesmo todas as semanas, ao invés de uma vez por outra”.