Serão musical do coro da estaca de Lisboa

  Joana Paulo, responsável das Páginas Locais da Liahona na estaca de Lisboa

  • 10 July 2013

Membros do coro da estaca de Lisboa após a apresentação.

As maravilhosas apresentações musicais foram acompanhadas ao piano e ao violino.

Certamente nem a onda de calor que se fez sentir na tarde do dia 7 de julho na capela da avenida Gago Coutinho, Lisboa, nos impediu de disfrutar este momento tão especial, em que, num tributo a Joseph Smith, relembramos a restauração do evangelho.

Os irmãos do coro da estaca de Lisboa afinaram as suas vozes, dirigidos pela maestrina irmã Irene Adriano e pela diretora de música desta estaca, irmã Daniela Adriano. O serão contou ainda com um guião cuidadosamente elaborado pela irmã Ana Rodrigues. O trabalho e talento destes irmãos e irmãs fizeram-nos recuar até ao ano de 1820, onde tudo começou. Tivemos a oportunidade de relembrar os episódios relativos aos primórdios da nossa religião: a Primeira Visão do jovem profeta, a fundação da Igreja, as perseguições, o martírio, a pregação do evangelho e o êxodo dos pioneiros.

As maravilhosas apresentações musicais foram acompanhadas ao piano e ao violino. Tivemos a possibilidade de ouvir vários solos, duetos, quartetos e até um coro de missionários de tempo integral, que encheu a sala com as suas jovens vozes.

Por fim e enquanto recordávamos o sofrimento dos pioneiros da Igreja, ouvimos as seguintes citações:

Seus sonhos em pedacinhos cortaram, alimentando com eles a fogueira da coragem… e quando aos poucos as chamas se apagaram…era ouro derretido entre as cinzas que a brilhar contemplaram“

“ Estejamos também nós dispostos a seguir o seu exemplo e deixar para trás tudo o que nos impede de nos aproximarmos de Deus… Aqueles que homenageamos como pioneiros perseveraram quando poderiam ter desistido… mesmo quando os dias eram longos e o sofrimento intenso caminharam com fé, sabendo que a sua vida seria abençoada com a graça de Deus. Somos pioneiros quando humilde e silenciosamente, em coisas grandes ou pequenas, somos fiéis e perseveramos até ao fim. Pois independentemente da década ou do século ou do país, ou da nossa situação, todos somos pioneiros da nossa própria alma numa jornada singular rumo à salvação, tendo Jesus Cristo como meta final.“

O serão terminou com o hino “Tal como um facho“, fervorosamente cantado pelo coro da Estaca. O Espírito doce da restauração do evangelho encheu a sala, acrescentando ao calor existente um calor ainda mais forte: o calor do Espírito de Deus.