A Irmã McConkie Diz Que o Trabalho de Salvação Exige uma Parceria

Contribuição de Carol F. McConkie, primeira conselheira na presidência geral das Moças

  • 26 June 2013

A irmã Carol F. McConkie, primeira conselheira na presidência geral das Moças  Fotografia: Ravell Call, Deseret News

“Tanto no lar quanto na Igreja, as mulheres participam no trabalho do sacerdócio. (...) Este trabalho é feito melhor (...) em parceria, quando as mulheres e os portadores do sacerdócio trabalham juntos.” —Élder L. Tom Perry, do Quórum dos Doze Apóstolos

Onde quer que eu vá nesta igreja maravilhosa, sinto-me inspirada pelas líderes das Moças que magnificam seus chamados e trabalham lado a lado com os líderes do sacerdócio para abençoar os jovens filhos e filhas do Pai Celestial e suas famílias. Trabalhando juntos em união e fé, dão exemplo aos nossos jovens da beleza e das bênçãos do sacerdócio de Deus na Terra, que nos capacita a ajudar no trabalho de salvação.

O Élder L. Tom Perry ensinou: “Tanto no lar quanto na Igreja, as mulheres participam no trabalho do sacerdócio — o trabalho que traz as bênçãos do sacerdócio sobre a vida dos filhos de Deus, que faz com que o poder da divindade se manifeste. (…) Este trabalho é feito melhor — tanto no lar quanto na Igreja — em parceria, quando as mulheres e os portadores do sacerdócio trabalhando juntos” (“Power in the Priesthood”, treinamento das Autoridades Gerais, 5 de abril de 2013).

O sacerdócio é o poder e autoridade de Deus dados ao homem para agir em todas as coisas necessárias para a salvação dos filhos de Deus. “As chaves do sacerdócio são a autoridade que Deus concedeu aos líderes do sacerdócio para dirigir, controlar e governar o uso de seu sacerdócio na Terra” (Manual 2: Administração da Igreja [2010], 2.1.1.) Todos os que possuem um chamado na Igreja são chamados e designados sob a direção de alguém que possua as chaves do sacerdócio. Somos chamados por profecia e pela imposição de mãos por aqueles a quem Deus autorizou (ver Regras de Fé 1:5).

As líderes das moças são chamadas para ensinar, incentivar e apoiar as moças e suas famílias, enquanto se esforçam para viver os princípios do evangelho e “aumentar seu testemunho do Pai Celestial, Jesus Cristo e o evangelho restaurado” (Manual 2, 10).

Servimos com confiança, sabendo que recebemos autoridade delegada para agir em nossos chamados por meio das chaves do sacerdócio (ver Manual 2: Administração da Igreja, 2.1.1.). Nossa confiança de servir aumenta quando exercemos fé nas ordenanças do sacerdócio e nos convênios que fizemos com Deus.

Nos conselhos de ala e estaca, as líderes das Moças e os líderes do sacerdócio se reúnem para fazer a vontade do Senhor. Os líderes do sacerdócio solicitam a contribuição das líderes das Moças em todas as questões que ajudam as pessoas a virem a Cristo.

“Irmãs, estejam preparadas tanto mental como espiritualmente para discutir as necessidades [das moças e suas famílias]. Sejam ousadas. Sejam assertivas. Sintam-se confiantes ao levantar questões e preocupações graves. (…) O líder do sacerdócio a quem você se reporta será fortalecido mais do que você pode imaginar se ele ouvir o que você tem a dizer. Em muitos casos, vocês vão visualizar as necessidades e preocupações de mulheres, jovens, crianças e famílias com mais empatia e compreensão do que seus líderes do sacerdócio. Em espírito de oração, identifiquem preocupações e sugiram soluções. Então, com outros líderes, estejam dispostas a seguir e apoiar os conselhos daqueles que possuem as chaves do sacerdócio. (…) Todos progridem, em todos os níveis da administração da Igreja, ao seguir e apoiar aqueles que possuem as chaves” (M. Russell Ballard, Counseling with Our Councils,1997, p.94).

Recentemente, testemunhei a beleza das líderes das moças e dos líderes do sacerdócio trabalhando juntos para trazer as bênçãos do sacerdócio para a vida de jovens magníficos e suas famílias. A conferência de jovens havia sido planejada sob a direção do presidente da estaca. Nove meses antes, os membros do conselho de jovens da estaca expressaram preocupação com relação à saúde espiritual e material e à estabilidade de seus lares e famílias. Os líderes do sacerdócio da estaca e as líderes das Moças da estaca guiaram os jovens ao se aconselharem mutuamente sobre soluções e recomendarem atividades que iriam fortalecer os jovens e suas famílias.

Juntos, decidiram concentrar-se no templo. Eles seguiram a orientação da Primeira Presidência que incentivava os jovens a usar nomes de familiares ou de antepassados da ala e estaca para o trabalho do templo. O conselho de jovens estabeleceu a meta de reunir 3.300 nomes para as ordenanças do templo. Sob a direção dos bispos, os líderes dos jovens aconselharam-se com o sacerdócio da ala e líderes das Moças. Eles planejaram atividades que ajudariam todas as pessoas a captar o espírito do trabalho de história da família. Aprenderam a indexar. Visitaram o centro de história da família. Pediram a ajuda de seus familiares e membros da ala. Por fim, os jovens da estaca pesquisaram e reuniram mais de 3.400 nomes.

Engajados no trabalho de salvação, os jovens e suas famílias foram abençoados. Os jovens estavam radiantes, com confiança, pureza e o Espírito do Senhor. Cada um deles era digno de uma recomendação para o templo e tinha uma maior determinação de permanecer em lugares santos. Eles estavam juntos na fé e tinham união.

Esses jovens testemunharam os líderes adultos trabalhando juntos sob a direção daqueles que possuem as chaves do sacerdócio e aprenderam a fazer o mesmo. Podemos ajudar nossos jovens a começar a compreender a beleza e as bênçãos do sacerdócio ao participarem juntos no trabalho de salvação.