Ensinar os Jovens a Viver e Agir de Acordo com as Verdades Que Aprenderam

Contribuição: Irmã Neill F. Marriott, da Presidência Geral das Moças

  • 29 Abril 2014

Jovens participam do trabalho de história da família, indexando nomes.  Foto por Leslie Nilsson.

Destaques de Artigos

  • Para que a verdade nos traga bênçãos e conversão pessoal, devemos viver de acordo com essa verdade.
  • Viver a verdadeira doutrina de Cristo é a maneira como nos tornamos convertidos a Seu evangelho.
  • Fazer a história da família nos abençoa com gratidão por nossos antepassados, um testemunho e conversão ao Salvador, e proteção contra a influência do adversário.

Néfi fez um arco novo, Rebeca deu de beber a 30 camelos, Joseph Smith aplicou os princípios de Tiago 1:5, Emma Smith criou nosso primeiro hinário, o Presidente Thomas S. Monson age sob inspiração para resgatar os solitários e, mais importante do que qualquer outro ato, o Salvador Jesus Cristo concluiu a Expiação por toda a humanidade. Todos esses homens e mulheres nobres — principalmente o Senhor — agiram de acordo com princípios verdadeiros que compreendiam e trouxeram bênçãos à humanidade. Trazer à luz as bênçãos requer ações particulares.

Ao aprenderem a verdadeira doutrina, os jovens precisam fazer mais do que simplesmente aceitá-la intelectualmente. Para que a verdade nos traga bênçãos e conversão pessoal, devemos viver de acordo com essa verdade. Precisamos agir com fé, mesmo quando não conhecemos todos os resultados que nossas ações podem trazer. Nossa fé é viva e ativa, não passiva. No Novo Testamento, Tiago fala sobre o homem que continua na lei, “não sendo um ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1:25).

Professores eficazes convidam-nos a agir de acordo com a verdade

Todos os domingos, os professores incentivam os jovens a aprender a doutrina compartilhando e discutindo em classe o que eles entendem sobre as escrituras, os profetas, sua experiência e revelação pessoal. No entanto, simplesmente aprender a verdade é apenas o primeiro passo para tornar-se um fiel discípulo de Cristo. Um professor eficaz ensina que é ao viver a verdadeira doutrina de Cristo que nos tornamos convertidos a Seu evangelho.

Compreender que a barra de ferro é a palavra de Deus não é uma garantia de que ela sozinha “guiará [você] com segurança” (“The Iron Rod”, Hymns, 274). Precisamos agir e segurar com firmeza naquela barra de ferro. Fazemos isso colocando em prática a verdade que aprendemos. Precisamos experimentar a palavra de Deus e realmente fazer algo com o que aprendemos. Como o currículo Vem, e Segue-Me sugere, aprendemos a doutrina, então, vivemos a doutrina e depois compartilhamos as experiências que tivemos ao aplicarmos a doutrina em nossa vida diária.

O Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos aconselhou: “Os jovens precisam cada vez mais se tornar aprendizes que agem” (“O Coração dos Filhos Voltar-se- á”, A Liahona, novembro de 2011, p. 27). Esse conselho de “agir” contém uma bênção prometida — mais luz e conhecimento pelo poder do Espírito Santo.

Neill F. Marriott, da Presidência Geral das Moças

Aprender a doutrina no domingo faz pouco bem se os princípios não fazem parte de nossos pensamentos e ações diárias. Professores eficazes se lembrarão de convidar os alunos a viver um princípio que aprenderam na aula durante a próxima semana. No domingo seguinte, o professor deve pedir-lhes que compartilhem as experiências que tiveram ao viver o princípio que aprenderam na aula da semana anterior.

Aprender e vivenciar o espírito de Elias

Um exemplo eloquente e poderoso desse convite para agir de acordo com um princípio vem do Élder Bednar: “Convido os jovens da Igreja a aprenderem a respeito do Espírito de Elias e a vivenciarem-no. Incentivo-os a estudarem, a pesquisarem seus antepassados e a prepararem-se para realizar batismos vicários na casa do Senhor por seus próprios parentes falecidos. E peço que ajudem outras pessoas a identificar a história da família delas” (“O Coração dos Filhos Voltar-se-á”, p. 26). Observe as palavras de ação em seu conselho — aprender, sentir, estudar, pesquisar, preparar-se, realizar, ajudar e identificar.

Se os jovens forem “realizadores da obra”, Élder Bednar promete que estas bênçãos notáveis virão: seu amor e gratidão por seus antepassados irão aumentar, seu testemunho e conversão ao Salvador se tornarão profundos e duradouros, serão protegidos da crescente influência do adversário, e serão protegidos em sua juventude e por toda a vida. Todas as pessoas não iriam querer tão ricas bênçãos? Um apóstolo prometeu todas as bênçãos se as pessoas aceitarem seu convite e tomarem as medidas necessárias.

Jovens participando de uma aula.

O Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos, aconselhou na última conferência geral: “A fé no Senhor Jesus Cristo pode ser fortalecida quando aprendemos a respeito Dele e vivemos nossa religião. (…) O cumprimento da pura religião do Senhor (…) é um modo de vida e um compromisso diário que nos vão prover orientação divina” (“Deixem Sua Fé Transparecer”, Conferência Geral de abril de 2014).

Convidemos os jovens a viver e agir de acordo com os princípios que estão aprendendo a cada semana nas aulas dominicais, para que essas verdades se enraízem profundamente em seu coração e espírito, bem como em sua mente. Então, e somente então, serão verdadeiramente convertidos, protegidos e guardados.