Três Maneiras Pelas Quais Você Pode Preparar Seus Filhos para o Templo

Contribuição de Irmã Rosemary M. Wixom, irmã Jean A. Stevens e irmã Cheryl A. Esplin, Presidência Geral da Primária

  • 3 Fevereiro 2014

Quatro crianças olham para o Templo de Newport Beach Califórnia. A presidência geral da Primária diz que ajudar as crianças a amar e a entrar no templo vale todo esforço e sacrifício.

Destaques do Artigo

  • Dê um exemplo digno.
  • Reserve um tempo para ensinar.
  • Envolva as crianças na história da família.

“Sabemos que ajudar as crianças a amar e a entrar no templo vale todo esforço e sacrifício. Ele contém a chave para uma das nossas maiores esperanças e alegrias — uma família eterna”. — Presidência Geral da Primária

“Eu gosto de ver o templo, Ali eu hei de entrar” (Músicas para Crianças, p. 99).

É uma bela canção e uma expressão familiar, mas como podemos realmente ajudar crianças a se sentirem assim a respeito do templo?

Em uma conferência geral recente, o Presidente Thomas S. Monson contou a experiência de um avô que levou sua netinha no aniversário dela — não ao zoológico ou ao cinema, mas para os jardins do templo. Os dois foram até os portais do templo. Ele sugeriu que ela tocasse com a mão a parede sólida e depois a porta imponente. Depois, disse-lhe com carinho: “Lembre-se de que hoje você tocou no templo. Um dia, entrará nele”. Seus presentes para a netinha não foram doces nem sorvete, mas uma experiência pessoal muito mais significativa e eterna: aprender a valorizar a casa do Senhor. Ela tocara o templo e o templo a tocara.

Como este sábio avô compreendeu, nunca é cedo demais para plantar no coração de uma criança o amor pelo templo. As famílias podem fazer isso de muitas maneiras maravilhosas. À medida que as crianças crescem, seu desejo de entrar dignamente no templo aumenta, bem como sua compreensão da importância dos templos no plano do Pai Celestial.

Para muitas crianças, a experiência especial de fazer doze anos e de receber sua primeira recomendação para o templo não está muito longe. Então o que podemos fazer agora para ajudar as crianças a estar dignas e prontas para entrar no templo?

Aqui estão algumas ideias das muitas maneiras pelas quais os pais podem preparar seus filhos para o templo.

1. Dar um exemplo digno.

Os filhos com mais frequência adotam a atitude e reverencia pelo templo que seus pais se sentem. Os sentimentos de uma criança pelo templo provavelmente seguirão o exemplo que já tenham visto.

Isso aconteceu com a irmã Janice Kapp Perry, autora do hino “Eu Gosto de Ver o Templo”.

Ela se lembra de quando era menina, observar sua mãe preparar diligentemente suas roupas brancas do templo para uma viagem de sua casa no Oregon até o Templo de Idaho Falls. Mesmo sendo jovem, ela sentiu o significado dessa experiência para sua mãe. Enquanto sua mãe passava a roupa, ela fazia perguntas, e as respostas de sua mãe deixaram uma marca indelével em seu jovem coração. A irmã Perry disse: “Comecei a amar o templo, como ela amava e prometi a mim mesma que um dia iria lá também”.

2. Reserve um tempo para ensinar.

Rapazes posam na frente do Templo da Cidade do Panamá.

O irmão George Durrant compartilhou seus conselhos sobre como ensinar os filhos a respeito do templo. “Aproveite as milhares de oportunidades para ensinar essas coisas liberalmente para seus filhos”, disse ele. “Podemos fazê-lo em acampamentos, nas férias em família, nas reuniões de noite familiar quando chega o momento para algumas — ou talvez muitas — palavras sobre as coisas de natureza eterna. Lentamente e com firmeza podemos pegar o sentimento que temos em nosso próprio coração e enxerta-lo no coração de nossos filhos”.

Muitos recursos úteis para ensinar as crianças sobre o templo estão disponíveis no site da Igreja em lds.org/children/resources/topics/temples.

3. Envolva as crianças na história da família.

O poder e o espírito da história da família podem aproximar os filhos não apenas dos seus antepassados, mas também do templo.

Assista a um vídeo sobre a experiência de James.

James Hamilton tinha apenas dez anos de idade quando começou a fazer o trabalho de história da família. Sua mãe ouviu o Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos convidar os jovens e crianças a participar da história da família e se sentiu inspirada a ajudar seus filhos a começarem. Ela queria para seus filhos as bênçãos que o Élder Bednar prometeu quando ele disse: “Seu testemunho do Salvador e sua conversão a Ele se tornarão mais profundos e duradouros. E prometo-lhes que serão protegidos da crescente influência do adversário. Ao participarem desse trabalho sagrado e amarem-no, serão protegidos em sua juventude e por toda a vida” (“O Coração dos Filhos Voltar-se-á”, Conferência Geral de outubro de 2011).

James encontrou os nomes de mais de 200 antepassados que precisavam das ordenanças do templo. Toda a sua família se envolveu em fazer o trabalho do templo. Poucos dias depois de seu aniversário de 12 anos, James entrou no templo pela primeira vez para participar de batismos vicários. Naquele dia ele teve uma experiência espiritual pela qual esperava ansiosamente enquanto era batizado por oito de seus antepassados falecidos.

Uma família no Templo de Oquirrh Mountain Utah. A presidência geral da primária quer que os pais a conversem com seus filhos sobre o templo.

Concentrar-se no trabalho de história da família voltou o coração dele para o templo de modo muito especial. Lá ele sente um espírito sagrado. E isso o ajuda a permanecer no caminho de fazer e guardar os seus próprios convênios sagrados do templo.

Preparar as crianças para entrar no templo e participar das ordenanças sagradas é uma parte vital do trabalho de salvação do Senhor. O Élder Russell M. Nelson do Quórum dos Doze Apóstolos nos lembra: “O templo é o objetivo de cada atividade, cada lição e cada passo progressivo na Igreja. Todo o nosso empenho para proclamar o evangelho, aperfeiçoar os santos e redimir os mortos leva ao santo templo. As ordenanças do templo são absolutamente essenciais. Não podemos regressar a glória de Deus sem elas” (“Preparar-se para as Bênçãos do Templo”, A Liahona, outubro de 2010).

Como presidência geral da primária, sabemos que ajudar as crianças a amar e entrar no templo vale todo esforço e sacrifício. Ele contém a chave para uma das nossas maiores esperanças e alegrias — uma família eterna.