Família Tradicional Defendida em Congresso Mundial

Contribuição de Por R. Scott Lloyd, redator do Jornal Church News

  • 6 Junho 2012

No Congresso Mundial de Famílias, realizado em Madri, Espanha, em 25–27 de maio, o Élder Erich W. Kopischke, dos Setenta advertiu sobre os efeitos negativos do declínio da família e do casamento.

Destaques de Artigos

  • O Élder Erich W. Kopischke, dos Setenta, discursou no Congresso Mundial de Famílias em Madri, Espanha.
  • Ele advertiu sobre as graves consequências do colapso social da família e do casamento.
  • Ele incentivou a fé no valor do casamento e da fé em Deus como soluções para o declínio da família.

“Não apenas precisamos reconstruir a confiança no valor do casamento e da família, como também na fé em Deus.” — Élder Erich W. Kopischke, dos Setenta.

MADRI, ESPANHA — A família tradicional — pai, mãe e filhos — está em rápido declínio, embora “os filhos tem o direito de nascer dentro dos laços do matrimônio e de ser criados por pai e mãe que honrem os votos matrimoniais”, um líder da Igreja advertiu no Congresso Mundial de Famílias, realizado em Madri, entre 25–27 (“A Família: Proclamação ao Mundo” A Liahona e Ensign, novembro de 2010, última contracapa).

O Élder Erich W. Kopischke, dos Setenta dirigiu-se à audiência na sessão plenária de abertura do congresso. Ele foi apresentado pela irmã Mary Ellen Smoot, ex-presidente geral da Sociedade de Socorro.

“Embora muitas pessoas anseiem por uma vida familiar tradicional, cada vez menos as têm”, lamentou o Élder Kopischke em seu discurso. “Durante a segunda metade do século passado, o número total de casamentos por ano na Alemanha diminuiu em mais de 40 por cento. Muitos jovens não se casam mais. Muitos promovem uma variedade de estilos de vida pessoal, muitas vezes motivadas pela diversão, liberdade e auto-realização”.

O líder da Igreja observou que o princípio do “valor do acionista” do mundo dos negócios lentamente influenciou a vida pessoal e familiar. Ele definiu a esse princípio como “investimento baixo e lucro rápido e elevado”.

“O credo geral parece ser: ‘estou disposto a casar-me e até mesmo ter um ou dois filhos, desde que não interfiram em minha carreira nem em meu estilo de vida pessoal’. E é exatamente o que acontece: A Família e os filhos são planejados e considerados em segundo plano, atrás da carreira e dos interesses pessoais. Às vezes as crianças até se tornam um hobby. O objetivo é aumentar a vida agradável para cada adulto”.

O Élder Kopischke disse que o preço é alto para tal curso de ação e explicou que os atributos que edificam os casamentos bem-sucedidos e a família — “sacrifício, amor, consideração, compromisso, serviço, paciência, perseverança e fidelidade” — muitas vezes não se encontram em tais relacionamentos.

“Pequenas tempestades, que todo mundo tem que enfrentar na vida, fazem com que as famílias se desmorone rapidamente,” disse ele. “No mundo de hoje, onde quase todo mundo pensa que devem ser capazes de obter tudo o que querem, as pessoas ficam mais e mais egoístas e menos e menos satisfeitas.”

“O declínio da família não somente reflete em menos casamentos e maiores taxas de divórcio, mas também em menos nascimentos”, comentou. “E os recém-nascidos que vêm a este mundo, com frequência, nascem fora dos laços do matrimônio e são criados por pais que vivem sozinhos. Mais de 90 por cento dessas crianças vivem com a mãe e sentem a falta de influência do pai em sua vida.”

Isso traz sérias consequências à sociedade, disse ele, que inclui filhos desorientados e rebeldes, cuja necessidade de pertencer a um grupo levam-nos a se ligarem a gangues criminosas, o que, por sua vez, gera problemas com segurança. “A pobreza infantil e a falta de oportunidades educacionais para essas crianças, estão em ascensão. Muitos deles sentem que não existe nada de positivo para ansiar na vida”, disse ele.

O Élder Kopischke disse que a solução inclui promover a fé religiosa. “Não apenas precisamos reconstruir a confiança no valor do casamento e da família, mas também a fé em Deus”, disse ele. “A religião desempenha um papel vital quando se trata de valores, responsabilidade e uso adequado do arbítrio, que é nossa capacidade de fazer escolhas. Portanto, hoje gostaria de dar um exemplo sobre o casamento e família, com base e centralizados em uma crença em Deus e no Criador”.

Para identificar o casamento como parte da tradição judaico-cristã, ele citou Gênesis 2:18, 24, que é o mandamento em que o marido e a mulher “serão uma carne.” Ele também citou “A Família: Uma Proclamação ao Mundo”, publicado em setembro de 1995 pela Igreja.

“A civilização e a sociedade podem e só serão tão fortes quanto suas famílias”, disse e acrescentou: “uma família pode e só será tão forte quanto o casamento em que se baseia.”

O Congresso Mundial de Famílias tem como objetivo “defender a posição da família tradicional, em uma época de desgaste da vida familiar e do valor em declínio da família, de modo geral.”

Desde 1997, o congresso já foi realizado em Praga, na Tchecoslováquia; em Genebra, na Suíça; na Cidade do México; em Varsóvia, na Polônia; e em Amsterdã, Holanda. Simultaneamente às sessões do congresso, o Élder FrerichGörts, antigo subsecretário do governo federal da Alemanha e atual representante da Igreja nas instituições da União Europeia, participou do Fórum Parlamentar Internacional. O fórum reuniu ativistas de grande destaque e líderes de organizações cívicas, educacionais e de pesquisa que defendem a família e a vida natural, como princípios fundamentais, juntamente com representantes de governos.

Enquanto o Élder Kopischke se dirigia a uma audiência de mais de 2.000 delegados no congresso e o Élder Görts reunia-se com líderes políticos e cívicos, o Élder Brande Jim e Síster Carol Brande, missionários de assuntos públicos, montaram uma pequena exposição durante o congresso, com a ajuda de membros locais da Igreja. A exposição destacou a noite familiar e ofereceu uma seleção de vídeos relacionados à família a que os visitantes podiam assistir, a respeito do apoio da Igreja à família tradicional.