Tributo Musical ao Profeta Joseph Smith no ramo de Ponta Delgada, distrito dos Açores

  Bruno Cabral, ramo de Ponta Delgada, distrito dos Açores

  • 17 July 2013

O coro do ramo de Ponta Delgada apresentou no dia 27 de junho o musical sobre o Profeta Joseph Smith.

O dia 27 de junho seria um dia como tantos outros, se não fosse pelo acontecimento marcante para os Santos dos Últimos Dias, pois assinala a data da morte do Profeta da restauração, Joseph Smith.

Movido pela reverência de tal marco histórico, na história da Igreja, e motivado por outras apresentações musico – teatrais realizadas a nível nacional, o coro do ramo de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel do distrito dos Açores sob a direção da líder de música do ramo, Anastasiya Sokovikova e pela promotora do musical, Miriam Machado, apresentou no dia 30 de junho do corrente ano, um tributo musical em comemoração deste “(…) grande selo afixado ao ‘mormonismo’ que não poderá ser rejeitado por qualquer tribunal da Terra…” (D. & C. 135:7).

Inspirado e adaptado do musical de Rob Gardner – “Joseph Smith, the Prophet” o principal objetivo desta apresentação feita pelo coro de Ponta Delgada, foi o de através de musica, narração e apresentação multimédia dar a contar ao público membro e não membro, de uma forma diferente a vida e missão daquele que “ (… ) com exeção apenas de Jesus, fez mais pela salvação dos homens neste mundo do que qualquer outro homem que jamais viveu nele.” (D. & C. 135:3).

Relatando registos cruciais na vida do Profeta Joseph Smith, desde sua dúvida de infância sobre qual das igrejas deveria unir-se, passando pela visão no bosque, até ao seu martírio na cadeia de Carthage, pretendeu-se com este musical ganhar-se e firmar-se testemunhos sobre os fundamentos doutrinários em geral e sobre a obra de Joseph Smith e dos pioneiros da Igreja em particular, lembrando do grande amor de nosso Pai Celestial por cada um dos seus filhos, que quem à terra emprestou, o destino de mártir lhes tocou.

Com isso, depois de alguns meses de dedicação, trabalho árduo e até de alguns contratempos, a experiência foi de grande gratificação tanto para os membros do coro quanto para os que tão carinhosamente assistiram ao musical, reafirmando que mesmo não sendo profissionais na matéria artística, o espírito faz-se sentir, confirmando a veracidade da obra começada por Joseph Smith.