Ponto de Vista: Uma Fórmula para os Pais Fortalecerem a Fé dos Filhos

Contribuição de Extraído do Church News

  • 9 Junho 2014

Muitos pais gostariam de prover mais para seus filhos em termos de bens materiais, conforto temporal, habilidades, vantagens educacionais e profissionais, além de outros aspectos da vida. Tais pais podem perceber um dia o quanto foram bons provedores nas coisas que mais importam para a eternidade.

Destaques de Artigos

  • Um pai promove a fé e a bondade em seu filho ao:
  • Estabelecer um bom exemplo de si mesmo em retidão pessoal, perseverança ao encarar adversidades e tribulações, e no serviço contínuo a Deus e ao próximo.
  • Ajudar a trazer outros a Cristo, especialmente seus próprios filhos, e ensiná-los sobre a vida eterna e a verdadeira alegria.

Quando consideramos o impacto de um pai digno em seus filhos, talvez não possamos encontrar melhor exemplo do que o que é refletido nos primeiros versículos do livro de Enos. Ele escreveu:

“Eis que aconteceu que eu, Enos, sabia que meu pai era um varão justo—pois instruiu-me em seu idioma e também nos preceitos e na admoestação do Senhor—e bendito seja o nome de meu Deus por isso—

E relatar-vos-ei a luta que travei perante Deus antes de receber a remissão de meus pecados” (Enos 1:1-2).

Enos, então, continuou a relatar a sua experiência espiritual enquanto estava na floresta, uma experiência na qual ele ouviu a voz do Senhor.

Ele disse que em preparação a essa experiência, “as palavras que frequentemente ouvira de meu pai sobre a vida eterna e a alegria dos santos penetraram-me profundamente o coração” (versículo 3).

O pai de Enos era o profeta Jacó, irmão de Néfi. Em complemento ao próprio registro de Jacó no livro de Mórmon, temos um dado biográfico dele nas palavras de uma bênção dada pelo seu pai, e avô de Enos, o profeta Leí: “Tu és meu primogênito nos dias de minha tribulação no deserto. E eis que na tua infância sofreste aflições e muito pesar por causa da rudeza de teus irmãos.

Não obstante, (...) conheces a grandeza de Deus; e ele consagrará tuas aflições para teu benefício.

Tua alma será portanto abençoada e viverás em segurança com teu irmão Néfi; e teus dias serão empregados no serviço de teu Deus. Sei portanto que foste redimido por causa da justiça do teu Redentor, pois viste que ele virá na plenitude dos tempos para trazer salvação aos homens.

E contemplaste a sua glória em tua mocidade; és portanto tão abençoado quanto o serão aqueles justos entre quem ele ministrará na carne; porque o Espírito é o mesmo ontem, hoje e para sempre. E o caminho está preparado desde a queda do homem; e a salvação é gratuita” (2 Néfi 2:1-4).

Se pudéssemos, a partir da experiência de Leí, Jacó e Enos, criar uma fórmula pela qual o pai promove fé e bondade nos filhos, deveríamos identificar os seguintes pontos:

• Estabelecer um bom exemplo de si mesmo em retidão pessoal, perseverança ao encarar adversidades e tribulações, e no serviço contínuo a Deus e ao próximo.

• Tal pai ajuda a trazer outras pessoas à Cristo e os ensina a respeito da vida eterna e da verdadeira felicidade, à medida que ele os educa nos “preceitos e na admoestação do Senhor”. A frase “nos preceitos e na admoestação do Senhor” de Enos 1:1 serve de referência cruzada para outra passagem das escrituras, essa outra é do Novo Testamento a qual sugere outro elemento da paternidade que promove a fé e a retidão nos filhos:

“E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor” (Efésios 6:4).

Nesta passagem, o apóstolo Paulo indica que uma parte essencial para criar os filhos desta maneira é ser bondoso e misericordioso na abordagem para com eles, ou em outras palavras, aplicar os princípios de liderança do sacerdócio revelados por intermédio de Joseph Smith:

“Nenhum poder ou influência pode ou deve ser mantido em virtude do sacerdócio, a não ser com persuasão, com longanimidade, com brandura e mansidão e com amor não fingido;

Com bondade e conhecimento puro, que grandemente expandirão a alma, sem hipocrisia e sem dolo—

Reprovando prontamente com firmeza, quando movido pelo Espírito Santo; e depois, mostrando então um amor maior por aquele que repreendeste, para que ele não te julgue seu inimigo” (D&C 121:41-43).

A ênfase dos servos ungidos do Senhor de nossos dias de acelerar o trabalho de salvação oferece uma dimensão mais ampla ao papel de pais na instrução de seus filhos em luz e verdade.

Por um lado, os pais têm o privilégio deles de ajudar seus filhos a servir missão e, em alguns casos, suas filhas também, quando elas desejam prestar esse serviço.

“Pais, vocês entendem seu papel de ajudar seu filho a tornar-se um missionário antes de ir para a missão?” O Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos fez esta pergunta durante o seu discurso na sessão do sacerdócio da conferência geral de outubro de 2005. “Vocês, pais e mães, são fundamentais no processo para que ele se torne um missionário. (…) Se ponderarem em espírito de oração o princípio de tornar-se, terão a inspiração sob medida para as necessidades específicas de seu filho ou dos rapazes a quem servem.”

Obviamente, acelerar o trabalho também inclui servir aqueles que estão além do véu, incluindo os antepassados falecidos. Pais são fundamentais em incutir em seus filhos o amor, a gratidão e a honra pelos seus progenitores na profecia do espírito de Elias que promete que os corações dos filhos se voltarão ao coração de seus pais (ver Malaquias 4:6 e Joseph Smith—História 1:38-39).

Como a grande maioria dos filhos do Pai Celestial que aceitam o evangelho restaurado de Jesus Cristo o farão após deixarem esta esfera mortal, o trabalho de história da família e as ordenanças vicárias no templo são pelo menos tão importantes quanto ministrar aos habitantes vivos da Terra. Pais desejosos em criar os seus filhos em retidão os ajudarão a entender isso.

Provavelmente, a maioria dos pais gostariam, nos momentos melancólicos, de prover mais para seus filhos em termos de bens materiais, conforto temporal, habilidades, vantagens educacionais e profissionais, além de outros aspectos da vida. Estes pais que estão se esforçando para fazer o que é certo podem perceber um dia o quanto foram bons provedores nas coisas que mais importam para a eternidade.