“O Que as Escrituras Significam para Mim” Vídeo Convida à Reflexão

  Ryan Morgenegg, da redação do Church News.

  • 24 Maio 2013

Esse novo vídeo produzido pela Igreja mostra os membros descrevendo experiências pessoais com as escrituras.

“Sei que esses livros sagrados das escrituras são a palavra de Deus. Com toda a minha alma, como testemunha especial, testifico que são verdadeiras.” — Presidente Thomas S. Monson

Em uma visão sagrada, dois profetas do Livro de Mórmon viram uma barra de ferro que conduz à árvore da vida. Essa barra representava a palavra de Deus, e para chegar à árvore da vida, uma pessoa tinha apenas que apegar-se à barra de ferro ao prosseguir continuamente. Milhões de pessoas agarraram-se à barra de ferro e vieram a conhecer o Pai e a participarem de Seu amor. O Presidente Thomas S. Monson testificou: “Sei que esses livros sagrados das escrituras são a palavra de Deus. Com toda a minha alma, como testemunha especial, testifico que são verdadeiros”(“Come, Learn of Me ”[Vinde, Aprendei de Mim], Ensign, dezembro de 1985, p. 48).

Jesus Cristo ensinou o valor das escrituras para Seus discípulos. Ele disse, “E o que entesourar minha palavra não será enganado” (Joseph Smith—Mateus 1:37). Joseph Smith foi inspirado, ao ler a Bíblia Sagrada, a recorrer a Deus em oração, o que levou à abertura dos céus e à Restauração do evangelho nos últimos dias.

Assim, o que as escrituras significam para vocês? Como viram os ensinamentos do evangelho mudarem a vida dos membros da Igreja? Há certas passagens que têm um significado pessoal? Um novo vídeo produzido pela Igreja mostra os membros descrevendo experiências pessoais com as escrituras. Testemunhos adicionais de todo o mundo encontram-se em diversas publicações da Igreja. Aqui estão algumas dessas vozes e escrituras que complementam o seu testemunho:

“[Ler as escrituras] faz-me saber que o Pai Celestial e Jesus Cristo não são apenas alguns seres abstratos em algum lugar. Eles são parte de nós. Que nos ouvem. Eles nos conhecem. Quando vamos até Eles com fé e fazemos o que é certo, o Espírito vai guiar-nos e nos ajudar. Tenho um testemunho de que Eles são reais” (Flint Mensa, Gana, África).

“Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a Terra” (Jó 19:25).

“O seminário ensinou-me que as escrituras não são apenas para ficarem guardadas em nossa memória, mas, sim, para serem aplicadas em nossa vida” (Giccelly Collaguazo, Venezuela).

Pois apliquei todas as escrituras a nós, para nosso proveito e instrução(I Néfi 19:23).

“As certezas sagradas que tenho tido em relação ao Salvador e Sua Igreja restaurada surgiram quando li o Livro de Mórmon na juventude. Foi ao ler este registro sagrado que senti — repetidas vezes — os sussurros inconfundíveis do Espírito Santo declararem sua veracidade a minha alma” (Jeffrey R. Holland, “Um Testemunho, um Convênio e uma Testemunha”, A Liahona, outubro de 2011, p. 80).

“Antes de filiar-me à Igreja, achava que a vida era como se estivesse vagueando no mar; assim, equipei-me com algumas boias, para impedir-me de afogar — uma casa, poder, posição, riqueza, carros, marido e filho. Então, repentinamente, algumas dessas boias materiais falharam. Diluíram-se em nada em apenas uma semana. Nessa crise, o nosso amoroso Pai Celestial lançou um salva-vidas para salvar-me: enviou missionários que partilharam comigo os ensinamentos do Livro de Mórmon. Essa escritura moderna era como uma luz do alvorecer em minha vida obscura, trazendo-me o precioso consolo e paz de que eu precisava” (Hsu Hwei Chi, Taiwan).

E agora, meus filhos, lembrai-vos, lembrai-vos de que é sobre a rocha de nosso Redentor, que é Cristo, o Filho de Deus, que deveis construir os vossos alicerces(Helamã 5:12).

”Por meio da leitura das escrituras e das orações que acompanharam meu estudo, tenho adquirido um conhecimento que me infunde paz e me ajuda a manter minhas energias voltadas para as prioridades eternas. Por ter começado a ler as escrituras diariamente, aprendi a respeito de meu Pai Celestial, Seu Filho, Jesus Cristo, e o que preciso fazer para ser como Eles” (Julie B. Beck, ex-presidente geral da Sociedade de Socorro).

Se pedires, receberás revelação sobre revelação, conhecimento sobre conhecimento, para que conheças os mistérios e as coisas pacíficas — aquilo que traz alegria, que traz vida eterna(D&C 42:61).

“Orei e soube, por meio do Espírito Santo, que o Livro de Mórmon era verdadeiro. É a palavra, a vontade e a verdade de Deus. A leitura regular do Livro de Mórmon ajudou-nos a nos aproximarmos de Deus e de Seu Filho, Jesus Cristo”(Zoltán Horváth, Budapeste, Hungria).

E pelo poder do Espírito Santo podeis saber a verdade de todas as coisas(Morôni 10:4-5).

“Fui convidado a ler o Livro de Mórmon todos os dias. No início foi um tanto difícil, porque eu me distraia ou ficava cansado. Mas, com o passar do tempo, não conseguia parar de ler o Livro de Mórmon. Sentia algo dentro de mim dizendo-me que seguisse em frente, e percebi meu testemunho crescer. Agora não apenas acredito. Sei que ele é verdadeiro” (Oscar Morôni Zelaya, San Salvador, El Salvador).

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos(Mateus 5:6).

“As escrituras foram uma das maneiras pelas quais Deus falava comigo — mesmo quando eu era criança — a respeito de minhas necessidades, minha situação e minha vida. Elas ainda são. Como nossas necessidades mudam ao longo da vida, Deus tem coisas diferentes para dizer-nos em momentos diferentes. Às vezes leio as escrituras procurando doutrina. Às vezes leio as escrituras procurando instrução. Leio com uma pergunta na mente, e a pergunta geralmente é: ‘O que Deus deseja que eu faça?’ ou ‘O que Ele quer que eu sinta?’ Sempre encontro novas ideias, pensamentos que não me haviam ocorrido, e recebo inspiração, instrução e respostas a minhas perguntas” (Henry B. Eyring, “Uma Conversa a Respeito do Estudo das Escrituras”, A Liahona, julho de 2005, p. 8).

Ler e estudar as escrituras deve ser uma atividade diária para todos os membros. A conversão ao evangelho é um processo contínuo. O Profeta Joseph Smith ensinou: “Os que as leram [as escrituras] e beberam da fonte do conhecimento que elas transmitem sabem valorizá-las”. Ele também disse: “Aquele que o lê [o livro sagrado] com maior frequência gostará mais dele” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith [2007], pp. 68, 70). Os profetas modernos também testificaram sobre a necessidade de ler frequentemente as escrituras: “Percebo que, quando negligencio meu relacionamento com a Deidade, tenho a impressão de que nenhum ouvido divino está escutando o que digo e nenhuma voz celestial está falando comigo, parecendo que estou muito, muito longe. Se mergulho nas escrituras, a distância diminui, e a espiritualidade volta. Passo a amar mais intensamente as pessoas a quem devo amar de todo o coração, poder, mente e força e, por amá-las mais, torna-se mais fácil seguir seus conselhos” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer W. Kimball [2006], p. 75).