Irmã Burton: A Influência das Mulheres Complementa o Sacerdócio

Contribuição de Sarah Jane Weaver, editora assistente do jornal Church News

  • 8 Maio 2013

A irmã Linda K. Burton fala sobre o sacerdócio, durante a Conferência das Mulheres da BYU, em Provo, Utah, em 3 de maio de 2013.  Foto de Alison Fidel, Foto da BYU.

Destaques do Artigo

  • A irmã Burton, presidente geral da Sociedade de Socorro, falou em 3 de maio, na Conferência de Mulheres da BYU.
  • A retidão é o requisito para convidar o poder do sacerdócio à vida das mulheres.
  • As mulheres podem compreender melhor o poder do sacerdócio, sendo dignas do Espírito Santo, indo ao templo e estudando as escrituras.

“Jesus Cristo é o exemplo perfeito de como o sacerdócio deve ser usado para abençoar, elevar, consolar e fortalecer outras pessoas.” — Linda K. Burton, presidente geral da Sociedade de Socorro

O sacerdócio de Deus é uma responsabilidade sagrada dada para abençoar os homens, mulheres e crianças, para que possam voltar como famílias, a fim de viver eternamente juntos na presença de Deus, disse a presidente geral da Sociedade de Socorro.

Ao falar a milhares de pessoas — na maioria mulheres — reunidas no campus da BYU Provo para a Conferência de Mulheres de 2013, em 3 de maio, a irmã Linda K. Burton chamou a retidão de requisito para convidar o poder do sacerdócio às suas vidas.

A conferência anual — que atrai mulheres da Igreja de todos os Estados Unidos e de numerosos países — é co-patrocinada pela Universidade Brigham Young e pela Sociedade de Socorro.

A irmã Burton e suas conselheiras na presidência geral da Sociedade de Socorro, as irmãs Carole M. Stephens e Linda S. Reeves, disse que elas tinham vindo para a conferência com um propósito claro: “expressar nosso apoio aos profetas vivos, proclamar nossa fé e convênios, expressar nosso amor [pelas mulheres da Igreja] e demostrar nossa devoção a nosso Pai Celestial, para aceitar e abraçar os requisitos do evangelho, particularmente hoje em dia, em relação à doutrina do sacerdócio”.

A irmã Burton disse que as mulheres santos dos últimos dias têm o privilégio de viver nesta época da história da Igreja, quando são apresentadas perguntas sobre o sacerdócio “Há grande interesse e desejo de conhecer e compreender mais sobre a autoridade, poder e bênçãos associadas ao sacerdócio de Deus”, disse ela. “Esperamos incutir em cada uma de nós um desejo maior de compreender melhor o sacerdócio”.

A irmã Burton disse que, desde o princípio dos tempos, o Senhor realizou Sua obra por meio do poder de Seu sacerdócio.

“Por ele foram criados os céus e a Terra. Por ele os efeitos da Queda foram sobrepujados por meio da Expiação de Jesus Cristo. Por ter sido confiada a autoridade do sacerdócio ao homem, a fim de abençoar os filhos do Pai Celestial, Ele quer convidar o poder do sacerdócio ao nosso lar, para abençoar e fortalecer nossa família e nossa vida pessoal”.

As mulheres santos dos últimos dias não podem levantar-se e ensinar algo que não compreendam, disse ela.

A congregação ouve uma apresentadora durante a Conferência de Mulheres da BYU, em 3-4 de maio, em Provo, Utah. Fotografia: Jonathan Hardy, BYU Photo.

Ela chamou o sacerdócio de “o poder e autoridade eternos de Deus”, pelo qual Ele abençoa, redime e exalta Seus filhos. O sacerdócio não pode ser usado para fins egoístas, prosseguiu ela. ”Jesus Cristo é o exemplo perfeito de como o sacerdócio deve ser usado para abençoar, elevar, consolar e fortalecer outras pessoas”.

A irmã Burton perguntou às mulheres como podem conhecer melhor a doutrina do sacerdócio por si mesmas.

Primeiro, procurem ser dignas do dom do Espírito Santo. “Porque a doutrina do sacerdócio é mais bem compreendida por revelação; é essencial ter a ajuda do Espírito Santo, para revelar e destilar a doutrina sobre nossa alma”, disse ela.

Em segundo lugar, frequentar o templo sagrado. “Sabemos que o templo é o mais santo de todos os lugares de adoração na Terra e é o lugar ideal para aprender a respeito do sacerdócio, pelo espírito de revelação”, disse ela. “No templo, todos aprendemos juntos, fazemos convênios com o Pai Celestial e recebemos juntos as ordenanças sagradas do sacerdócio”.

Em terceiro, estudar as escrituras. “A busca, meditação e estudo das escrituras são convites para que o Espírito Santo nos revele verdades importantes sobre o sacerdócio”.

Ela pediu que as mulheres da Igreja memorizem oito versículos encontrados em Doutrina e Convênios 84:33–40 e ponderem sobre Doutrina e Convênios 121:34–46.

“Procurem os princípios contidos nesses versículos que governam o exercício justo do poder do sacerdócio”, disse ela. “Procurem as advertências e promessas do Senhor e apliquem-nas a si mesmas. A fim de qualificar-nos para as bênçãos do poder do sacerdócio, faríamos bem em ponderar sobre esses versículos e nos fazermos perguntas como: 'Está o meu coração fixo nas coisas deste mundo? Aspiro tanto às honras dos homens ou mulheres? Procuro encobrir os meus pecados? Sou orgulhoso? Exerço controle ou domínio ou coação sobre meus filhos, meu marido ou outras pessoas? Estou honestamente me esforçando para praticar princípios de retidão, como persuasão, longanimidade, brandura, mansidão, amor não fingido (significando amor genuíno, sincero ou profundo), bondade? A virtude adorna meus pensamentos incessantemente? Anseio para que o Espírito Santo seja o meu companheiro constante?”

A irmã Burton chamou “influência” um dom complementar ao poder do sacerdócio: “Ao falar para as mulheres da Igreja, o Presidente Howard W. Hunter recomendou: ‘Exortamo-los a trabalharem e exercer uma influência profunda para o bem, ao fortalecerem a família, a Igreja e a comunidade’”.

A irmã Stephens falou sobre ajudar sua filha a mudar-se para Havre, Montana. Elas chegaram na noite do sábado, e sua filha entrou em contato com o novo bispo na manhã de domingo. Pouco tempo depois, um rapaz — levado de carro por sua mãe — chegou à casa para coletar ofertas de jejum.

Quando a irmã Stephens refletiu mais tarde sobre essa experiência, percebeu que o Senhor havia abençoado a família de sua filha de três maneiras naquele dia: “primeiro, fomos abençoados por meio do diácono, um portador do Sacerdócio Aarônico; fomos abençoados por intermédio do bispo, que possuía o Sacerdócio de Melquisedeque e as chaves para presidir a ala; e por meio de uma mãe, ajudando o filho a realizar seu trabalho, a obra do Senhor”.

As mulheres e homens que, em retidão, fazem e guardam convênios sagrados e as ordenanças do sacerdócio, herdarão “tudo o que [o] Pai possui”, disse a irmã Reeves, citando Doutrina e Convênios 84:38 . “Isso é prometido a todos os homens e mulheres fiéis, solteiros ou casados, pois sabemos que, a cada homem ou mulher fiel, solteiros ou casados, não será negada nenhuma das maiores bênçãos de nosso Pai. Deus, nosso Pai Celestial e nosso Salvador, Jesus Cristo, dão-nos tudo o que for necessário para receber o mais alto grau do reino celestial e viver com Eles e nossos entes queridos em poder e glória para sempre”.