Ser um Líder que Promova o Crescimento

Karen Maxwell


As jovens ( . . . ) receberão a empatia e muita ajuda prática de líderes que já conquistaram os atributos da paciência e da diligência.

Sou líder de estaca das Moças e, como as demais líderes das alas e estacas de todo o mundo, tenho procurado maneiras significativas de cultivar a palavra de Deus. Felizmente, podemos utilizar a fórmula de Alma no capítulo 32, versículo 41, que diz:

“Se, porém, cultivardes a palavra, sim, cultivardes a árvore quando ela começar a crescer, com vossa fé, com grande esforço e com paciência, esperando o fruto, ela criará raiz; e eis que será uma árvore que brotará para a vida eterna.”

Alma recomenda paciência, grande diligência e fé àqueles que procuram cultivar a palavra. A paciência deve vir da humildade; não podemos forçar esse processo. O Presidente Boyd K. Packer ⌦lembra-nos:

“Podemos criar um ambiente que favoreça o crescimento de uma planta; podemos cultivá-la e protegê-la, mas não podemos forçar seu desenvolvimento. Não podemos ser impacientes na aquisição de um grande conhecimento espiritual. Precisamos deixá-lo crescer; ajudá-lo a crescer, mas não forçá-lo; caso o façamos, seguiremos por um cami-⌦nho que talvez nos induza ao erro.” (Ensign, jan. 1983, p. 53.)

Ao envolvermos as jovens no planejamento de serões, grupos de leitura e maneiras criativas de compartilhar suas idéias, estamos encorajando o crescimento que certamente perceberão quando colocarem à prova a palavra de Deus. Podemos criar oportunidades de lermos em conjunto, registrarmos experiências pessoais, mostrarmos nossos talentos musicais e artísticos e prestarmos testemu-⌦nho. Podemos testificar e ficar ⌦por perto.

Um grupo de presidentes das Moças lamentou que, depois de um bom começo pondo à prova a palavra de Deus, tivesse sido necessária uma injeção de entusiasmo algumas semanas mais tarde. É nesse momento que a “grande diligência” torna-se importante. Devemos continuar a planejar, atividades centralizadas no evangelho tendo em vista um propósito. Nós mesmas precisamos ler mais as escrituras! Num grupo de líderes de ala que se empenhara nessa tarefa, uma líder das Moças comentou: “Detesto admitir, mas, para mim, é realmente difícil.” As demais do grupo, obviamente, gostaram de sua honestidade, visto que relataram, depois, seus próprios esforços nessa área e a necessidade de estabelecer metas realísticas. Certamente as jovens daquela ala receberão a empatia e muita ajuda prática de líderes que já conquistaram os atributos da paciência e da diligência.

Finalmente, devemos ter fé que Jesus Cristo pode e tocará o coração das jovens ao trabalharmos juntas para a comemoração mundial das Moças. A fé tem sempre um elemento de ação. João 7:17 dá-nos a esperança de que “se [uma jovem] quiser fazer a vontade ⌦dele, pela mesma doutrina conhecerá que ela é de Deus ( . . . )”. (Essas podem não ser as palavras exatas, mas tenho certeza de que Néfi as aprovaria, já que ele também aplicava as escrituras a si mesmo.) Os projetos de serviço e de progresso pessoal são verdadeiros cultivadores da palavra ou da doutrina. O empenho em viver o evangelho é o que realmente sustém nossos esforços para conhecer e cultivar a palavra ⌦de Deus.

A fé certamente deve incluir orações pelas jovens e com as jovens em seus esforços. Meu pai compôs uma música que contém a seguinte oração:

“Ó Senhor, desejo ouvir a palavra que me enviaste em Tua misericórdia.
Remove o selo de meu coração para que eu o ofereça a Ti;
Dá-me um espírito desejoso de buscar, para que eu me achegue a Ti.
Cura meus ouvidos surdos; remove a cegueira de meus olhos.
Aumenta minha alegria em Ti, para que em Ti eu me regozije, Santo de Israel,
Para que eu santifique o Teu nome.”

Em nome de Jesus Cristo. ⌦Amém. 9