Somos Filhos de Deus

Of the Quorum of the Twelve Apostles


Russell M. Nelson
Quem somos nós? Somos filhos de Deus. Nosso potencial não tem limites. Nossa herança é sagrada.

Recentemente observei dois rapazes que chamavam muita atenção pelo modo extravagante como se vestiam. Um deles fez um comentário muito revelador ao dizer: “Estou tentando descobrir quem realmente sou”. Isso aconteceu pouco depois de eu ter saído de uma reunião da Igreja em que as crianças da Primária cantaram o hino “Sou um Filho de Deus”. 1 Essas experiências contrastantes salientam como é importante sabermos que somos literalmente filhos de Deus.

Somos seres de natureza dupla. Toda alma é formada por um corpo e um espírito2, ambos provenientes de Deus. O entendimento correto e inabalável do que são o corpo e o espírito pode influenciar nossos pensamentos e ações levando-nos a praticar o bem.

O Corpo

Geralmente deixamos de dar o devido valor à maravilha que é o nosso corpo físico. Todos já encontramos pessoas que têm pouca auto-estima por causa de seu físico ou de sua aparência. Muitas pessoas gostariam de ter um corpo diferente. Algumas pessoas que têm o cabelo liso gostariam que ele fosse encaracolado. Outras, com o cabelo encaracolado, gostariam que ele fosse liso. Algumas mulheres, acreditando que “os homens preferem as loiras”, tingem o cabelo de loiro.

Nosso corpo, sejam quais forem seus dotes naturais, é uma magnífica criação de Deus. 3 É um tabernáculo de carne, um templo para nosso espírito. 4 O estudo de nosso corpo atesta sua origem divina.

Sua formação começa pela união de duas células reprodutivas: uma da mãe e outra do pai. Juntas, essas duas células contêm todas as informações hereditárias do novo indivíduo, armazenadas em um espaço tão minúsculo que não pode ser visto a olho nu. Vinte e três cromossomos de cada um dos pais unem-se em uma nova célula. Esses cromossomos contêm milhares de genes que determinam todas as características físicas da pessoa que irá nascer. Aproximadamente 22 dias depois da união dessas duas células, um pequeno coração começa a bater. No vigésimo sexto dia, o sangue começa a circular. As células se multiplicam e se dividem. Algumas tornam-se olhos que vêem; outras, ouvidos que escutam.

Cada órgão é um dom maravilhoso de Deus. O olho tem uma lente de foco automático. Os dois olhos são controlados por nervos e músculos para formar uma imagem ⌦tridimensional. Os olhos são ligados ao cérebro, que registra as imagens visualizadas. Não há necessidade de fios nem de pilhas.

Cada ouvido é ligado a um equipamento compacto destinado a converter as ondas sonoras em sinais audíveis. O tímpano funciona como membrana acústica. Alguns ossículos minúsculos amplificam as vibrações sonoras e transmitem, através de nervos, um sinal para o cérebro, que sente e grava os sons na memória.

O coração é uma bomba incrível. Tem quatro válvulas delicadas que controlam a direção do fluxo sangüíneo. Essas válvulas abrem-se e fecham-se mais de cem mil vezes por dia, ou seja, 36 milhões de vezes por ano. No entanto, a menos que sejam alteradas por alguma doença, são capazes de suportar esse esforço quase indefinidamente. Nenhum material desenvolvido pelo homem até hoje é capaz de ser dobrado com tanta freqüência e por tanto tempo sem que se quebre.

A cada dia, o coração de um adulto bombeia um volume de líquido suficiente para encher um tanque de aproximadamente 7.600 litros. 5 Esse trabalho equivale a erguer um homem adulto6 até o alto do edifício Empire State consumindo apenas quatro watts de energia. Na parte superior do coração existe um gerador elétrico que transmite energia por meio de linhas de condução especiais, fazendo com que um número imenso de fibras musculares trabalhem em conjunto.

Muito poderia ser dito a respeito de cada um dos outros preciosos órgãos do corpo. Eles funcionam de maneira maravilhosa, muito além do tempo ou da capacidade que tenho para descrevê-los.

Outros atributos do corpo são igualmente assombrosos, embora menos evidentes. Por exemplo, ele dispõe de sobressalentes. Cada um dos órgãos pares pode instantaneamente assumir a função do outro. Os órgãos únicos, como o cérebro, o coração e o fígado são nutridos por duas vias de suprimento sangüíneo. Essa distribuição protege o órgão, ⌦caso uma das vias venha a ser lesada.

Pensem no sistema de autodefesa do corpo. Para protegê-lo de lesões, o corpo sente dor. Em resposta à infecção, ele cria anticorpos, que não apenas ajudam a combater o problema imediato, mas continuam a fortalecer a resistência do corpo contra infecções futuras. Certo dia, atendi algumas crianças de aproximadamente três anos de idade que tinham ingerido água de esgoto. O número de germes que ingeriram deve ser incalculável, mas nenhum daqueles meninos ficou doente. Assim que a água suja chegou ao pequeno estômago daquelas crianças, o ácido clorídrico começou a funcionar para tratar a água e proteger a vida da criança.

A pele protege o corpo. Ela também nos avisa dos males que podem ser causados pelo excesso de calor ou de frio. A pele até mesmo envia sinais que indicam haver problemas em outros lugares. Quando há febre, a pele transpira. Quando sentimos medo, ela fica pálida. Quando ficamos envergonhados, ela enrubesce.

O corpo repara-se a si mesmo. Os ossos quebrados soldam-se e solidificam-se novamente. As lacerações de pele fecham-se sozinhas. Um vazamento no sistema circulatório é capaz de fechar-se por conta própria.

O corpo renova suas células antigas. A célula sangüínea, por exemplo, vive em média 120 dias. Depois disso, ela é substituída por uma célula regenerada.

O corpo regula seus próprios ingredientes vitais. Os elementos essenciais e componentes químicos estão sendo continuamente ajustados. E independentemente das amplas variações de temperatura ambiente, a temperatura do corpo é cuidadosamente controlada e mantida dentro de limites bastante ⌦restritos.

Se essas características de funcionamento, defesa, reparação, regeneração e regulagem normais continuassem agindo para sempre, a vida não teria fim aqui na Terra. Misericordiosamente, porém, nosso Criador proveu o envelhecimento e outros processos que resultam na morte física. Geralmente pensamos na morte como algo inoportuno ou trágico. No entanto, a morte, tal como o nascimento, faz parte da vida. As escrituras declaram que “não era conveniente que o homem fosse resgatado dessa morte física, porque isso destruiria o grande plano de felicidade”. 7 Voltar à presença de Deus passando pelas portas da morte é uma grande alegria para todos aqueles que O amam. 8

Quando a morte chama uma pessoa no auge de sua vida, sentimo-nos consolados em saber que as mesmas leis que impedem que a vida continue são aquelas que serão colocadas em funcionamento na época da ressurreição, quando o corpo será investido de imortalidade.

O Espírito

A seguir, falarei do espírito. Antes de nossa existência mortal aqui, todo filho e filha espiritual de Deus viveu em Sua presença. O espírito é eterno; ele existiu na inocência da esfera pré-mortal9 e continuará a existir depois que o corpo morrer. 10 O espírito faz com que o corpo se movimente e tenha uma personalidade. 11 “Todo espírito é matéria, mas é mais refinado ou puro.”12

“O espírito do homem [é] à semelhança de sua pessoa.”13 Jesus ensinou o seguinte, na ocasião em que o irmão de Jarede viu o corpo pré-mortal do Senhor: “Vês que foste criado segundo minha própria imagem? Sim, todos os homens foram criados, no princípio, a minha própria imagem.

( . . . ) Este corpo que ora vês é o corpo do meu espírito; e o homem foi por mim criado segundo o corpo do meu espírito; e assim como te apareço em espírito, aparecerei a meu povo na carne.”14

O desenvolvimento do espírito tem conseqüências eternas. Os atributos pelos quais seremos julgados são aqueles que pertencem ao espírito. 15 Eles incluem virtudes como a integridade, a compaixão, o amor e muitas outras. 16 O espírito que se abriga em seu corpo é capaz de desenvolver-se e manifestar esses atributos de maneiras que são vitais a seu progresso eterno. 17

O espírito e o corpo, quando reunidos, tornam-se uma alma de valor transcendental. Nós realmente somos filhos de Deus, tanto no sentido físico quanto espiritual.

As LimitaçÕes FÍsicas

Por motivos geralmente desconhecidos, algumas pessoas nascem com limitações físicas. Certas partes específicas do corpo podem ser anormais. Os sistemas regulatórios podem estar desequilibrados. Além disso, todos os corpos são sujeitos à doença e à morte. Não obstante, o dom de receber um corpo físico é inestimável. Sem ele, não podemos alcançar a plenitude da felicidade. 18

Não precisamos de um corpo perfeito para alcançar nosso destino divino. De fato, alguns dos espíritos mais bondosos são aqueles que estão abrigados em um corpo frágil. Freqüentemente as pessoas que têm problemas físicos desenvolvem grande força espiritual, justamente por causa desses problemas. Essas pessoas têm direito a todas as bênçãos que Deus reservou para Seus filhos obedientes e fiéis. 19

Tempo virá em que todo “( . . . ) espírito e ( . . . ) corpo serão reunidos em sua perfeita forma; os membros e juntas serão reconstituídos em sua estrutura natural”. 20 Nessa ocasião, graças à Expiação de Jesus Cristo, poderemos ser aperfeiçoados Nele. 21

O Comportamento Individual

Como essas verdades influenciam nosso comportamento individual? Devemos agradecidamente reconhecer Deus como nosso Criador. Caso contrário, seremos tão culpados quanto os peixinhos de um aquário, que não se dão conta daqueles que os alimentam. O Senhor disse: “( . . . ) Deveis render graças a Deus por todas as bênçãos com que sois abençoados”. 22 Além disso, podemos praticar a virtude e a santidade continuamente diante Dele. 23

Devemos considerar nosso corpo como nosso templo particular. 24 Não podemos permitir que seja profanado ou destruído de qualquer forma. 25 Devemos controlar nossa dieta e fazer exercícios para manter a boa ⌦forma física.

Acaso não devemos também dar a mesma atenção a nossa boa forma espiritual?26 Assim como precisamos realizar exercícios para adquirir força física, é preciso que nos esforcemos para ter força espiritual. Um dos mais importantes exercícios espirituais é a oração. Ela proporciona harmonia com Deus e o desejo de guardar Seus mandamentos. A oração é a chave da sabedoria, da virtude e da humildade.

Precisamos ser cuidadosos em relação aos conselhos que ouvimos. Muitos dos assim chamados especialistas dão conselhos a respeito do corpo, sem qualquer consideração pelo espírito. Todos os que aceitam orientações contrárias à Palavra de Sabedoria, por exemplo, renegam uma lei revelada que proporciona bênçãos tanto físicas quanto espirituais. 27 Algumas das recomendações a respeito do uso de nossos órgãos reprodutivos são baseadas apenas no aspecto físico de nosso corpo e, por sinal, de modo muito inadequado. Tomem cuidado com esses pontos de vista unilaterais! Paulo ensinou o seguinte: “Se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”. 28

Essa advertência aplica-se à pornografia, que facilmente se torna um vício. A advertência contida nas escrituras é bem clara: “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências”. 29 Com o tempo, o vício escraviza tanto o corpo quanto o espírito. O arrependimento pleno do vício é mais fácil de ser alcançado nesta vida, enquanto ainda temos um corpo mortal para ajudar-nos.

Como filhos de Deus, não devemos permitir que nada que possa profanar nosso corpo entre nele. É um sacrilégio permitir que nosso sentido da visão, tato ou audição forneça lembranças impuras a nosso cérebro. Temos que prezar nossa castidade e abster-nos de “concupiscências loucas e nocivas, que [nos] submergem na perdição e ruína”. 30 Precisamos “[fugir] destas coisas; e [seguir] a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência [e] a mansidão”31, que são coisas que edificam a alma íntegra.

Quem somos nós? Somos filhos de Deus. 32 Nosso potencial não tem limites. Nossa herança é sagrada. Oro para que sempre honremos essa herança, em todo pensamento e ação, em nome de Jesus Cristo. Amém. 9

Exibir Referências

  1.  

    1.  Ver Hinos, nº 193.

  2.  

    2. Ver D&C 88:15.

  3.  

    3. Ver Russell M. Nelson, “The Magnificence of Man”, Ensign, janeiro de 1988, pp. 64-69. O salmista declarou: “Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; que é o homem mortal para que te lembres dele? ( . . . ) pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste”. (Salmos 8:3-5; ver também Hebreus 2:7,9.)

  4.  

    4. Ver I Coríntios 6:19.

  5.  

    5. Originalmente, 2.000 galões.

  6.  

    6.  Pesando 150 libras (68,2 quilogramas).

  7.  

    7.  Alma 42:8; ver também Alma 12:24–27.

  8.  

    8.  O salmista expressou o ponto de vista de Deus: “Preciosa é à vista do Senhor a morte dos seus santos”. (Salmos 116:15)

  9.  

    9.  Ver D&C 93:38.

  10.  

    10.  Ver Alma 40:11; Abraão 3:18.

  11.  

    11.  Ver Jó 32:8.

  12.  

    12.  D&C 131:7.

  13.  

    13.  D&C 77:2.

  14.  

    14.  Éter 3:15–16.

  15.  

    15. O espírito, não o corpo, é a parte ativa e responsável da alma. Sem o espírito, o corpo está morto. (Ver Tiago 2:26.) É o espírito, portanto, que escolhe o bem ou o mal; e ele será considerado responsável por seus atributos tanto positivos quanto negativos por ocasião do julgamento final. (Ver Alma 41:3–7.)

  16.  

    16. Tais como “fé, ( . . . ) virtude, ( . . . ) conhecimento, ( . . . ) temperança, ( . . . ) paciência, ( . . . ) bondade fraternal, ( . . . ) piedade, ( . . . ) caridade, ( . . . ) humildade ( . . . ) [e] diligência.” (D&C 4:6)

  17.  

    17. Ver 2 Néfi 2:11–16, 21–26; Morôni 10:33-34.

  18.  

    18. Ver D&C 138:17.

  19.  

    19.  Ver Abraão 3:25–26.

  20.  

    20.  Alma 11:43; ver também Alma 40:23; Eclesiastes 12:7; D&C 138:17.

  21.  

    21. Ver Morôni 10:32.

  22.  

    22.  D&C 46:32.

  23.  

    23.  Ver D&C 46:33.

  24.  

    24. Ver I Coríntios 3:16.

  25.  

    25. Referindo-se ao corpo humano, o Apóstolo Paulo ensinou: “Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”. (I Coríntios 3:17)

  26.  

    26. Ver I Coríntios 9:24–27; Hebreus 12:9.

  27.  

    27.  Ver D&C 89:18-21; ver também Romanos 8:6; 2 Néfi 9:38–39; D&C 29:34–35.

  28.  

    28.  Romanos 8:13.

  29.  

    29.  Romanos 6:12.

  30.  

    30.  I Timóteo 6:9.

  31.  

    31.   I Timóteo 6:11. O versículo 12 continua: “Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna”. A escolha é nossa.

  32.  

    32. Ao procurar as referências das escrituras relacionadas ao verbo criar ou formar (e outras formas derivadas) associado a homem, homens, macho ou fêmea no mesmo versículo, encontrei 55 referências que comprovam nossa criação divina. Uma delas pode exemplificar várias outras que transmitem a mesma mensagem: “E os Deuses aconselharam-se entre si e disseram: Desçamos e formemos o homem a nossa imagem, segundo nossa semelhança. ( . . . ) Então os Deuses desceram para organizar o homem a sua própria imagem, para formá-lo à imagem dos Deuses, para formá-los, homem e mulher”. (Abraão 4:26–27)