“O Grande e Maravilhoso Amor”

Anthony D. Perkins

Of the First Quorum of the Seventy


A fé como a de uma criança no perfeito amor do Pai Celestial e de Jesus Cristo “romperá ao meio” as armadilhas de inadequação, imperfeição e culpa criadas por Satanás.
 

As crianças, com pura fé, proclamam: “Cremos em Deus, o Pai eterno, e em Seu Filho, Jesus Cristo, e no Espírito Santo”. 1 Mas, às vezes, como jovens e adultos, não sentimos a força que tem essa simples declaração.

Satanás é o “inimigo de toda retidão” 2 ; por isso ele semeia a dúvida sobre a natureza da Trindade e de nosso relacionamento com Eles. Jesus Cristo profetizou que nos últimos dias até os eleitos seriam enganados. 3 Vejam três exemplos de como Lúcifer está “preparando armadilhas e laços para apanhar os santos de Deus”. 4

A armadilha da falsa inadequação. Uma jovem fiel se sente incapaz de atender às expectativas das pessoas. Em casa e na escola, raramente ela é elogiada, sendo freqüentemente criticada. A mídia popular diz que ela não é suficientemente bonita ou inteligente. Todos os dias, essa irmã justa se pergunta se é digna do amor do Pai Celestial, do sacrifício expiatório do Salvador ou da constante orientação do Espírito.

A armadilha da imperfeição exagerada. Um excelente missionário sente-se incapaz de atender às expectativas de Deus. Em sua mente, esse élder digno imagina um Pai Celestial severo obrigado a exercer justiça irrevogável, um Salvador capaz de limpar as transgressões dos outros mas não as do próprio élder, e um Espírito Santo que não deseja acompanhar uma pessoa imperfeita.

A armadilha da culpa desnecessária. Uma mulher de meia-idade é mãe dedicada, amiga amorosa, serva fiel da Igreja e oficiante do templo assídua. Mas em seu coração, essa irmã não consegue perdoar-se por pecados cometidos há vários anos, dos quais ela se arrependeu, resolvendo-os plenamente com os líderes do sacerdócio. Ela não crê que sua vida venha a ser aceitável ao Senhor e perdeu a esperança na vida eterna na presença do Pai Celestial.

Se você tiver quaisquer pensamentos ou sentimentos semelhantes aos desses bons santos, convido-o a tornar-se como uma criancinha e sentir novamente “o grande e maravilhoso amor manifestado pelo Pai e o Filho na vinda do Redentor ao mundo”. 5 A fé como a de uma criança no perfeito amor do Pai Celestial e de Jesus Cristo “romperá ao meio” 6 as armadilhas de inadequação, imperfeição e culpa criadas por Satanás.

Provérbios ensina: “Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele”. 7 Quero sugerir — além da oração constante, estudo das escrituras e freqüência à Igreja e ao templo — cinco mudanças em seus pensamentos e coração para que você sinta mais plenamente o terno amor de Deus.

Primeiro, veja-se como um filho precioso de um amoroso Pai Celestial. Nossos filhos cantam, confiantes: “Sou um filho de Deus, por Ele estou aqui”. 8 As criancinhas sentem e sabem o que talvez tenhamos esquecido. Somos filhos amados do Pai Celestial, criados à “sua própria imagem” 9 e temos imenso valor — tão grande que Jesus Cristo deu a vida por nós.

Deus, o Pai, é misericordioso e tem um amor infinito por nós, apesar de nossas faltas. Somente a voz de Satanás nos faz sentir sem valor. O Espírito Santo fará com que sintamos “tristeza segundo Deus” 10 para o arrependimento, enchendo-nos de esperança numa mudança positiva.

Quando você se sentir sem valor, “[lembre-se] de que o valor das almas é grande à vista de Deus”. 11 Abstenha-se de pensar ou dizer coisas negativas a seu próprio respeito. Há uma nítida diferença entre humildade e humilhação. Identifique e use seus talentos especiais, em vez de pensar somente nas suas fraquezas.

Segundo, coloque seus fardos sobre Jesus Cristo. Quando se sentir sobrecarregado com as expectativas e desafios, não trave a batalha sozinho. Siga o exemplo das criancinhas e ajoelhe-se em oração.

Jesus Cristo nos ordenou: “Buscai-me em cada pensamento; não duvideis, não temais”. 12 A dúvida, o temor e a preocupação indicam que tomamos sobre nós todos os fardos e ansiedades da vida. Quando você se sentir atormentado por sentimentos de inadequação, diga com confiança: “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. 13 Depois, se fizermos “alegremente todas as coisas que estiverem a nosso alcance”, 14 teremos a certeza de que o Senhor fará o restante e de que tudo dará certo.

O Salvador prometeu: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. 15 Se você “[lançar] o [seu] cuidado sobre o Senhor”, 16 sentirá a paz proporcionada pelo Espírito. 17

Terceiro, perdoe-se de pecados e imperfeições. O Pai Celestial não espera que você se torne completamente perfeito nesta vida. Ele sabia que Seus filhos cometeriam erros quando estivessem aprendendo por experiência própria na mortalidade. Mas “Deus amou o mundo de tal maneira” 18 que proveu em Seu plano de felicidade um Salvador misericordioso.

Jesus disse: “Eu, o Senhor, perdoarei a quem desejo perdoar, mas de vós é exigido que perdoeis a todos os homens”. 19 Comece por você mesmo, e perdoe aos outros também. Se Deus não Se lembrará dos pecados dos quais nos arrependemos, 20 então por que deveríamos lembrar-nos deles? Evite perder tempo e energia revivendo o passado.

Para perdoar-se a si mesmo e aos outros, você precisa confiar na Expiação de Jesus Cristo. O profeta Zenoque orou: “Estás irado, ó Senhor, contra este povo, porque não compreende a misericórdia que lhe concedeste por causa de teu Filho”. 21 Nosso Pai Celestial fica triste quando limitamos o poder do sacrifício expiatório de Seu Filho. Se você exercer fé em Jesus Cristo, sua culpa pode ser “apagada”. 22 Se a culpa permanecer depois do arrependimento sincero, creia em seus líderes do sacerdócio quando eles o declararem digno. 23

Quarto, manter a esperança na vida eterna. Se você imagina que seus pecados, falhas de caráter e decisões erradas do passado o impedem de receber todas as bênçãos, pense no que aconteceu com Alma, o pai. Falando de sua juventude como sacerdote imoral do iníquo rei Noé, Alma admitiu: “Eu mesmo caí numa armadilha e fiz muitas coisas abomináveis aos olhos do Senhor, o que me causou penoso arrependimento”. 24 Mas o arrependimento de Alma foi tão completo, e a Expiação de Cristo tão infinita, que Alma se tornou profeta e recebeu a promessa de vida eterna. 25 Se você fizer o melhor que puder para ser obediente e arrepender-se, também poderá receber um lugar no reino celestial por intermédio da Expiação e graça de Jesus Cristo. 26

Quinto, sinta alegria a cada dia. Uma fonte de alegria é o serviço, porque quando você está atarefado ajudando as pessoas, terá menos capacidade de atormentar-se com suas próprias falhas. O Salvador ensinou sabiamente: “Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê- la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará”. 27

Você sentirá maior alegria em sua vida quando eliminar o pessimismo de adulto e substituí-lo pelo otimismo infantil. O otimismo é uma virtude que nos permite ver a mão amorosa de Deus em cada detalhe de nossa vida. Um hino favorito aconselha: “Conta as muitas bênçãos (…) e verás surpreso quanto Deus já fez”. 28

Presto testemunho do Pai Celestial que, com grande e maravilhoso amor, estende a mão a cada um de Seus filhos. Presto testemunho de Jesus Cristo, que é “poderoso para salvar-nos” 29 de nossas inadequações, imperfeições e pecados. Presto testemunho do Espírito Santo, que acompanhará a alma imperfeita, porém penitente. Para vocês, santos fiéis e dignos, que se debatem com as armadilhas modernas do diabo, 30 digo: “Permita Deus que vossas cargas sejam leves pela alegria em seu Filho”. 31 No sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. 1ª Regra de Fé.

  2.  

    2. Alma 34:23; ver também Atos 13:10; Mosias 4:14; Morôni 9:6.

  3.  

    3. Ver Mateus 24:24; ver também Joseph Smith —- Mateus 1:22, 37.

  4.  

    4. Alma 10:17.

  5.  

    5. D&C 138:3.

  6.  

    6. Helamã 3:29.

  7.  

    7. Provérbios 23:7.

  8.  

    8. “Sou um Filho de Deus”, Hinos, n.o 193.

  9.  

    9. Gênesis 1:27; ver também Alma 22:12; Éter 3:15–16; D&C 20:17–18; Moisés 6:8–10; Abraão 4:26–27.

  10.  

    10. II Coríntios 7:10.

  11.  

    11. D&C 18:10.

  12.  

    12. D&C 6:36; ver também Isaías 41:10; Mateus 10:31; Lucas 8:50; D&C 50:41; 122:9.

  13.  

    13. Filipenses 4:13; ver também II Coríntios 12:7–10; Hebreus 11:33–34; 1 Néfi 7:12; 17:3; Jacó 4:7; Alma 26:12; Éter 12:27.

  14.  

    14. D&C 123:17.

  15.  

    15. Mateus 11:28.

  16.  

    16. Salmos 55:22.

  17.  

    17. Ver Gálatas 5:22; ver também D&C 19:23.

  18.  

    18. João 3:16.

  19.  

    19. D&C 64:10.

  20.  

    20. Ver D&C 58:42; ver também Salmos 25:7; Isaías 43:25; Jeremias 31:34; Hebreus 8:12; 10:17; Alma 36:19.

  21.  

    21. Alma 33:16.

  22.  

    22. Ver Enos 1:3–8; ver também Alma 24:10; 36:16–19.

  23.  

    23. Ver Marvin J. Ashton, “On Being Worthy”, Ensign, maio de 1989, pp. 20–22.

  24.  

    24. Mosias 23:9.

  25.  

    25. Ver Mosias 26:20.

  26.  

    26. Ver Tito 3:7; I Pedro 5:10; 2 Néfi 2:6–8; 10:24–25; 25:23; Enos 1:27; Morôni 7:41; D&C 138:14.

  27.  

    27. Marcos 8:35; ver também Alma 36:24–25.

  28.  

    28. “Conta as Bênçãos”, Hinos, n.o 57.

  29.  

    29. Ver 2 Néfi 31:19; ver também Isaías 63:1; Alma 7:14; 34:18; D&C 133:47.

  30.  

    30. Ver II Timóteo 2:26.

  31.  

    31. Alma 33:23.