New Experience
Abril 2007 | Necessário Vos É Nascer de Novo

Necessário Vos É Nascer de Novo

Abril 2007 Conferência Geral

Por meio da fé em Cristo, podemos ser espiritualmente preparados e limpos do pecado, imersos e saturados em Seu evangelho, e purificados e selados pelo Santo Espírito da Promessa.

Passei a infância numa casa na Califórnia situada relativamente próxima a um grande pomar de damascos, cerejas, pêssegos, pêras e outras frutas deliciosas. Também morávamos perto de plantações de pepino, tomate e de várias outras hortaliças.

Quando menino, eu aguardava com ansiedade a época de fazer conservas. Eu não gostava de lavar os potes para conservas nem de trabalhar na cozinha quente, mas gostava de trabalhar com minha mãe e meu pai. E adorava comer o resultado do meu trabalho! Tenho certeza de que eu mais comia as frutas do que as colocava nos potes!

Os momentos passados na cozinha com minha mãe e meu pai sempre voltam a minha lembrança quando vejo um pote de conserva de cerejas ou pêssegos. As lições básicas que aprendi sobre auto-suficiência material e viver de modo previdente, enquanto colhia frutos e fazia conservas, é uma bênção em minha vida até hoje. O mais interessante é notar que, muitas vezes, experiências simples e corriqueiras proporcionam as mais importantes oportunidades de aprendizado.

Já adulto, tenho refletido nas coisas que observei em nossa cozinha durante a época de fazer conservas. Nesta manhã, gostaria de falar sobre algumas lições espirituais que podemos aprender com o processo pelo qual um pepino se transforma em picles. Rogo para que o Espírito Santo esteja conosco enquanto avaliamos o significado dessas lições para mim e para vocês, para nos achegarmos a Cristo e renascermos espiritualmente.

Pepinos e Picles

O picles é um pepino que foi transformado de acordo com uma receita específica e uma série de procedimentos. Os primeiros passos no processo de transformar um pepino em picles são: preparação e limpeza. Lembro-me das várias horas que passei na varanda dos fundos de casa, removendo os talos dos pepinos que havíamos colhido e esfregando-os com uma escova, para tirar a terra. Minha mãe era muito criteriosa quanto à preparação e limpeza dos pepinos. Seus altos padrões de higiene levavam-na a sempre inspecionar meu trabalho, para ter certeza de que essa tarefa importante fosse feita a contento.

Os passos seguintes nesse processo de mudança eram a imersão e a saturação dos pepinos em água e sal, por um longo período de tempo. Para preparar a salmoura, minha mãe sempre usava uma receita que aprendera com sua mãe — uma receita com ingredientes especiais e procedimentos rigorosos. Os pepinos só se transformam em picles se ficarem total e completamente imersos na salmoura pelo tempo prescrito. O processo de cura altera gradualmente a composição do pepino e produz a aparência transparente e o gosto característico dos picles. Apenas borrifar salmoura nos pepinos ou mergulhá-los nela de vez em quando não basta para produzir a transformação necessária: é preciso que haja uma imersão completa, ininterrupta e constante para que a mudança desejada ocorra.

O último passo no processo é o selamento ou vedação dos pepinos após o processo de cura em potes limpos e esterilizados. Os picles, acondicionados em potes de conserva e cobertos por salmoura fervente, são processados numa panela de esterilização em que ficam imersos em água fervente. Todas as impurezas têm que ser retiradas tanto dos pepinos quanto dos potes, para que o produto final seja protegido e preservado. Quando esse procedimento é seguido corretamente, os picles podem ser armazenados e consumidos por muito tempo.

Para resumir, o pepino transforma-se em picles quando é preparado e limpo, imerso e saturado em salmoura e acondicionado e vedado em um recipiente esterilizado. Esse procedimento exige tempo. Não pode ser feito às pressas e nenhum dos passos essenciais pode ser ignorado ou evitado.

Uma Vigorosa Mudança

Os servos autorizados do Senhor não se cansam de ensinar que um dos propósitos principais de nossa existência mortal é sermos transformados espiritualmente por meio da Expiação de Jesus Cristo. Alma declarou:

“Não te admires de que toda a humanidade, sim, homens e mulheres, toda nação, tribo, língua e povo tenham de nascer de novo; sim, nascer de Deus, serem mudados de seu estado carnal e decaído para um estado de retidão, sendo redimidos por Deus, tornando-se seus filhos e filhas;

E tornam-se, assim, novas criaturas; e a menos que façam isto, não poderão de modo algum herdar o reino de Deus” (Mosias 27:25–26).

Somos instruídos a “[vir] a Cristo, [ser] aperfeiçoados nele e [negar-nos] a toda a iniqüidade” (Morôni 10:32), a tornarmo-nos “novas criaturas” em Cristo (ver II Coríntios 5:17), a despojar-nos do “homem natural” (Mosias 3:19) e a sentirmos uma “vigorosa mudança, de modo que não [tenhamos] mais disposição para praticar o mal, mas, sim, de fazer o bem continuamente” (Mosias 5:2). Notem que a conversão descrita nesses versículos é vigorosa, não é superficial — é um renascimento espiritual e uma mudança básica no que sentimos e desejamos, no que pensamos e fazemos e naquilo que somos. Na verdade, a essência do evangelho de Jesus Cristo implica uma mudança fundamental e permanente em nossa própria natureza, mudança essa somente possível por meio de nossa confiança “nos méritos e misericórdia e graça do Santo Messias” (2 Néfi 2:8). Quando decidimos seguir o Mestre, tomamos a decisão de ser transformados, de renascer espiritualmente.

Preparação e Limpeza

Assim como o pepino precisa ser preparado e limpo, antes de se transformar em picles, vocês e eu podemos ser preparados com “as palavras da fé e da boa doutrina” (I Timóteo 4:6) e ser inicialmente limpos por meio das ordenanças e convênios administrados pela autoridade do Sacerdócio Aarônico.

“E o sacerdócio menor continuou, sacerdócio esse que contém a chave do ministério de anjos e do evangelho preparatório;

Evangelho esse que é o evangelho do arrependimento e do batismo e da remissão de pecados” (D&C 84:26–27).

E o padrão de limpeza que o Senhor estabeleceu é elevado.

“Portanto ensina a teus filhos que todos os homens, em todos os lugares, devem arrepender-se, ou de maneira alguma herdarão o reino de Deus, porque nenhuma coisa impura pode ali habitar ou habitar em sua presença” (Moisés 6:57).

A preparação e limpeza adequadas são os primeiros passos básicos no processo de nascer de novo.

Imersão e Saturação

Assim como o pepino se transforma em picles, ao ser imerso e saturado em salmoura, da mesma forma vocês e eu também nascemos de novo, ao ser imersos no evangelho de Jesus Cristo e absorvidos por ele. Quando honramos e “guardamos os convênios” (D&C 42:13) que fizemos, quando nos “banqueteamos com as palavras de Cristo” (2 Néfi 32:3), “oramos ao Pai com toda a energia de [nosso] coração” (Morôni 7:48) e “[servimos a Deus] com todo o coração, poder, mente e força” (D&C 4:2), então:

“Por causa do convênio que fizestes, sereis chamados progênie de Cristo, filhos e filhas dele, porque eis que neste dia ele vos gerou espiritualmente; pois dizeis que vosso coração se transformou pela fé em seu nome; portanto nascestes dele e vos tornastes seus filhos e suas filhas” (Mosias 5:7).

O renascimento espiritual descrito nesse versículo normalmente não ocorre de imediato ou de uma só vez; é um processo contínuo, não um evento isolado. Linha sobre linha, preceito sobre preceito, gradualmente e de maneira quase imperceptível, nossos motivos, nossos pensamentos, palavras e ações entram em harmonia com a vontade de Deus. Essa fase do processo de transformação exige tempo, persistência e paciência.

O pepino só se transforma em picles se sua imersão na salmoura for total e permanente. É significativo observar que o sal é o ingrediente-chave da receita. O sal é usado muitas vezes nas escrituras como símbolo tanto de um convênio como do povo do convênio. E assim como o sal é essencial na transformação do pepino em picles, assim também os convênios são primordiais para o nosso renascimento espiritual.

Iniciamos o processo de nascer de novo exercendo fé em Cristo, arrependendo-nos de nossas faltas e sendo batizados, por imersão, para a remissão dos pecados, por uma pessoa que possua a autoridade do sacerdócio.

“De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida” (Romanos 6:4).

E depois de sairmos das águas do batismo, nossa alma precisa ser continuamente imersa na verdade e na luz do evangelho do Salvador e ser saturada por sua influência. Uma imersão esporádica ou superficial na doutrina de Cristo, ou uma participação instável em Sua Igreja restaurada não são capazes de produzir a transformação espiritual que nos permite caminhar em novidade de vida. Por outro lado, é necessário que sejamos fiéis aos convênios, constantes no compromisso e que ofertemos toda a nossa alma a Deus, se quisermos receber as bênçãos da eternidade.

“Quisera que viésseis a Cristo, que é o Santo de Israel, e participásseis de sua salvação e do poder de sua redenção. Sim, vinde a ele e ofertai-lhe toda a vossa alma, como dádiva; e continuai em jejum e oração, perseverando até o fim; e assim como vive o Senhor, sereis salvos” (Ômni 1:26).

Imersão e saturação totais no evangelho do Salvador são passos essenciais no processo de nascer de novo.

Pureza e Selamento

As conservas de pepino são acondicionadas em potes esterilizados e imersos em água fervente para que todas as impurezas sejam removidas e para que os recipientes sejam selados ou vedados, ficando livres de contaminação externa. O procedimento de imergir os potes em água fervente permite que os picles sejam não só protegidos, mas também conservados por um longo período de tempo. De modo semelhante, somos purificados e santificados progressivamente, quando vocês e eu somos lavados no sangue do Cordeiro, nascemos de novo, recebemos as ordenanças e honramos os convênios administrados pela autoridade do Sacerdócio de Melquisedeque.

“Não obstante, jejuavam e oravam freqüentemente e tornavam-se cada vez mais fortes em sua humildade e cada vez mais firmes na fé em Cristo, enchendo a alma de alegria e consolo, sim, purificando e santificando o coração, santificação essa resultante da entrega de seu coração a Deus” (Helamã 3:35).

A palavra selamento, que uso em minha mensagem de hoje, não se refere exclusivamente à ordenança do casamento eterno, realizado na casa do Senhor; uso essa palavra específica como é explicada na seção 76 de Doutrina e Convênios:

“Este é o testemunho do evangelho de Cristo concernente àqueles que irão ressurgir na ressurreição dos justos —

Esses são os que receberam o testemunho de Jesus e creram em seu nome e foram batizados na semelhança de seu sepultamento, sendo sepultados na água em seu nome; e isto de acordo com o mandamento que ele deu —

Para que, guardando os mandamentos, fossem lavados e purificados de todos os seus pecados e recebessem o Santo Espírito pela imposição das mãos daquele que é ordenado e selado para esse poder;

E que vencem pela fé e são selados pelo Santo Espírito da promessa que o Pai derrama sobre todos os que são justos e fiéis” (vv. 50–53).

O Santo Espírito da Promessa é o poder santificador do Espírito Santo. Quando selado pelo Santo Espírito da Promessa, uma ordenança, voto ou convênio é selado na Terra e no céu (ver D&C 132:7). Receber esse “selo de aprovação” do Espírito Santo é resultado de fidelidade, integridade e constância em honrar os convênios do evangelho “com o correr do tempo” (Moisés 7:21). Contudo, esse selo pode ser retirado devido à iniqüidade e transgressões.

Ser purificado e selado pelo Santo Espírito da Promessa constitui os passos culminantes no processo de nascer de novo.

“Com a Energia da Minha Alma”

Amados irmãos e irmãs, oro para que essa parábola dos picles possa ajudar-nos a avaliar nossa vida e a entender melhor a importância eterna do renascimento espiritual. Como Alma, “falo com a energia de minha alma” (Alma 5:43).

“E agora vos digo que esta é a ordem segundo a qual eu fui chamado, sim, para pregar a meus amados irmãos, sim, e a todos os que habitam a terra; sim, para pregar a todos, tanto velhos como jovens, tanto escravos como livres; sim, eu digo a vós, idosos, e também aos de meia-idade e à nova geração; sim, para declarar-lhes que devem arrepender-se e nascer de novo (Alma 5:49).

Presto testemunho da realidade e divindade de um Salvador vivo, que nos convida a nos achegarmos a Ele e a sermos transformados. Testifico que Sua Igreja e a autoridade do sacerdócio foram restauradas pelo Profeta Joseph Smith. Por meio da fé em Cristo, podemos ser espiritualmente preparados e limpos do pecado, imersos e saturados em Seu evangelho e purificados e selados pelo Santo Espírito da Promessa. Sim, podemos nascer de novo. No sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.