Serviço, uma Qualidade Divina

Of the First Quorum of the Seventy


Aqueles que servem se esforçarão para enobrecer, edificar e enaltecer o próximo.
 

Todas as coisas que Cristo fez por nossa salvação são incomparáveis. Ele conseguiu realizar Sua obra redentora em aproximadamente três anos de ministério. Gostaria, hoje, de destacar três propósitos da vida do Salvador na Terra.

1. Seu Sacrifício Expiatório

O primeiro e maior propósito foi a tarefa ímpar e extraordinária que Ele recebeu de Seu Pai: levar a efeito um sacrifício infinito e eterno por toda a humanidade.

Como Filho Unigênito do Pai Celestial na carne, Ele herdou todas as qualidades divinas de Seu Pai; e de Sua mãe terrena, Maria, herdou as características mortais.

Somente Seu sacrifício pode resgatar-nos de nosso estado mortal e decaído (ver Alma 34:8–14). Ele veio ao mundo com o propósito específico de dar a própria vida, pois somente Sua vida poderia dar-nos a vida eterna.

Nenhum outro ser mortal, seja no passado, presente ou futuro da existência da Terra, já viveu ou viverá para realizar a Expiação por nossos pecados. Ele é o nosso Salvador e Redentor (ver João 3:16).

Ele voltará para governar e reinar entre nós com grande poder e glória.

2. Sua Doutrina

O segundo propósito que O levou a habitar entre nós foi ensinar-nos a doutrina que aprendeu de Seu Pai, a qual inclui as ordenanças e convênios de salvação e exaltação (ver Marcos 1:27, João 7:16).

Sua doutrina é uma doutrina de amor, perdão e misericórdia. É o caminho para vivermos em paz e harmonia entre os homens e o caminho para voltarmos a viver com Deus.

3. Seu serviço aos filhos de Deus

Seu terceiro propósito foi edificar o reino por meio do serviço ao próximo. Esse foi um tipo diferente de liderança. O serviço é uma característica de Seus seguidores: uma qualidade divina.

“Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou.

Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.

Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também” (João 13:13–15).

Ele viveu para pregar o evangelho do reino e para curar todo tipo de enfermidade (ver Mateus 4:23–24). Ensinar Sua doutrina e servir ao nosso próximo são duas responsabilidades que aceitamos quando fomos batizados. Isso nos converte em verdadeiros servos de Cristo.

Certa ocasião, depois de ensinar Sua doutrina, Ele sentiu compaixão pelas pessoas e realizou o milagre da multiplicação dos pães e peixes, alimentando a multidão, revelando a nós Seu caráter de compaixão e serviço. No dia seguinte, a multidão estava ainda maior por causa do alimento que havia recebido. Ele os ensinou com determinação e com perspectiva eterna:

“[Vós] me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes.

Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará” (João 6:26–27).

Como Igreja, devemos alimentar os famintos, aliviar o sofrimento dos enfermos, vestir os nus, e dar abrigo aos carentes. Por meio das ofertas de jejum, atendemos às necessidades básicas e imediatas dos membros e, por meio do plano de bem-estar, nós os ajudamos a satisfazer suas necessidades de longo prazo. Quando ocorrem catástrofes naturais, proporcionamos auxílio por meio dos serviços humanitários aos irmãos e irmãs que não são de nossa fé.

Sem negligenciar essas necessidades temporais, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, por mandamento do Senhor, mantém a mais sublime e elevada obra de serviço, que é abençoar a todos os homens ensinando a eles a doutrina de Cristo e convidando-os a receberem as ordenanças salvadoras, para que possam ganhar “imortalidade e vida eterna” (Moisés 1:39).

Mudança de Pensamento e Atitude

Sei que Deus nos ama. Ele permite que exerçamos nosso arbítrio moral mesmo quando o usamos de modo inadequado. Ele permite que tomemos nossas próprias decisões.

Cristo não nos pode ajudar se não confiarmos Nele; Ele não nos pode ensinar se não O servirmos. Ele não nos forçará a fazermos o que é certo, mas só nos mostrará o caminho quando decidirmos servi-Lo. Com certeza, para que sirvamos em Seu reino, Cristo requer que experimentemos uma mudança de pensamento e atitude.

“Pois como conhece um homem o mestre a quem não serviu e que lhe é estranho e que está longe dos pensamentos e desígnios de seu coração?” (Mosias 5:13.)

Bênçãos do Serviço

Testifico que, por meio do serviço ao próximo, podemos conhecer ao Senhor.

O serviço nos fortalece na fé e nos torna úteis em Seu reino. O serviço nos dá propósito e coragem na vida. Leva-nos para mais perto de Deus e nos ajuda a refinar nossa natureza divina. Ensina-nos a amar e a compreender nosso próximo, e nos ajuda a esquecer nossos desejos pessoais, eliminando o egoísmo, o orgulho e a ingratidão. Ajuda-nos a pensar sobre as necessidades das outras pessoas, o que nos permite desenvolver as virtudes que o Salvador possui.

A bondade, o amor, a paciência, a compreensão e a unidade aumentarão à medida que servirmos, ao passo que a intolerância, o ciúme, a inveja, a ganância e o egoísmo diminuirão ou desaparecerão. Quanto mais dermos de nós mesmos, mais aumentará a nossa capacidade de servir, compreender e amar.

Aqueles que servem sempre buscarão agradar a Deus e viver em harmonia com Ele. Serão cheios de paz; terão um semblante alegre e um espírito de bondade.

Aqueles que servem se esforçarão para enobrecer, edificar e enaltecer o próximo; portanto, acharão o bem nas outras pessoas e não encontrarão motivo ou terão tempo para se ofenderem. Desenvolvem a virtude de orar por aqueles que criticam. Não esperam reconhecimento ou recompensa. Eles possuem o amor de Cristo.

Aqueles que servem sempre estarão desejosos de compartilhar o tempo todo o que possuem e o que sabem, em todos os lugares e com todas as pessoas.

Aqueles que servem, mesmo na adversidade, manterão uma esperança viva em um futuro melhor. Continuarão a ser firmes em meio a uma crise, pois sua esperança está em Cristo.

Aqueles que servem aceitarão suas designações com humildade, reconhecendo suas limitações, mas convencidos de que duas pessoas podem fazer todas as coisas que se propuseram a fazer, desde que uma dessas duas pessoas seja Deus.

Com inspiração divina, o rei Benjamim declarou: “Quando estais a serviço de vosso próximo, estais somente a serviço de vosso Deus” (Mosias 2:17). Aqueles que prestam serviço terão maior compreensão da personalidade e dos atributos de Deus.

Aqueles que servem com devoção, mesmo quando as coisas não acontecem da maneira que gostariam, não ficam facilmente desanimados, cansados, ou frustrados, pois a promessa de paz de consciência e a companhia do Santo Espírito nunca os abandonarão.

Serviço Mundial e Local

Na Igreja há dezenas de milhares de membros que servem de maneira abnegada em mais de 170 nações, numa grande diversidade de línguas e idiomas. Eles prestam serviço altruísta por meio da liderança, do ensino e do cuidado com outras pessoas, sem salário ou recompensa material, sem aplausos ou reconhecimento do mundo. Doam de seu tempo, talentos e recursos; sacrificam tudo o que possuem e servem eficiente e maravilhosamente bem. Depois de um certo tempo, são desobrigados para dar a outros oportunidade de servir. Por causa de Sua doutrina e desse Seu serviço, a Igreja restaurada de Jesus Cristo abençoa constantemente a vida de seus membros. Agradecemos a Deus por todos vocês, santos fiéis, que sentiram a alegria de servir, que a sentem agora e que ainda virão a senti-la ao servirem ao próximo. Oramos a Deus que sempre os abençoe por isso, em nome de Jesus Cristo. Amém.