Conselho aos Rapazes

Boyd K. Packer

President of the Quorum of the Twelve Apostles


A certeza das verdades do evangelho, uma vez que as compreendamos, ajuda-nos a vencer as dificuldades.

Os rapazes falam sobre o futuro porque não têm passado, e os homens mais velhos falam do passado porque não têm futuro. Sou um homem mais velho, mas vou falar aos rapazes do Sacerdócio Aarônico sobre o futuro deles.

O Sacerdócio Aarônico que vocês possuem foi restaurado por um mensageiro angelical. “A ordenação foi feita pelas mãos de um anjo que se anunciou como João, o mesmo que é chamado João Batista no Novo Testamento. O anjo explicou estar agindo sob a direção de Pedro, Tiago e João, os Apóstolos antigos que possuíam as chaves do sacerdócio maior, o qual era chamado Sacerdócio de Melquisedeque.” 1

“O poder e autoridade do menor, ou seja, do Sacerdócio Aarônico, é possuir as chaves do ministério de anjos e administrar as ordenanças exteriores, a letra do evangelho, o batismo de arrependimento para remissão de pecados, conforme os convênios e mandamentos”. 2

Vocês foram ordenados a um ofício no sacerdócio de Deus e receberam autoridade divina que reis, magistrados e grandes homens deste mundo não possuem nem podem possuir a menos que se humilhem e entrem pela porta que leva à vida eterna.

Existem muitos relatos nas escrituras sobre rapazes que prestaram serviço. Samuel serviu no tabernáculo com Eli. 3 Davi era um rapaz quando enfrentou Golias. 4 Mórmon começou a servir quando tinha 10 anos. 5 Joseph Smith tinha 14 anos quando teve a Primeira Visão. 6 E Cristo tinha 12 anos quando ensinou os sábios no templo. 7

Paulo disse ao jovem Timóteo: “Ninguém despreze a tua mocidade”. 8

Quando comecei a carreira de professor, o Presidente J. Reuben Clark Jr., Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência, havia falado aos professores. Suas palavras penetraram meu coração e têm-me influenciado desde aquela ocasião.

O Presidente Clark descreveu a juventude como sendo “[ávida] por aprender o evangelho”. Ele disse: “Querem recebê-lo sem rodeios, em toda sua pureza”. Querem conhecer “(nossas crenças); querem conseguir o testemunho de que são verdadeiros. Não é que duvidem, mas são inquiridores, estão em busca da verdade”.

O Presidente Clark continuou: “Não precisam chegar de mansinho, por trás desses jovens espiritualmente experientes e sussurrar religião aos seus ouvidos. Podem ser diretos e falar com eles face a face. (…) podem apresentar-lhes essas verdades abertamente. (…) Não há necessidade alguma de uma abordagem gradual”. 9

Desde aquela época, venho ensinando os jovens da mesma maneira que ensino os adultos.

Há algumas coisas que vocês precisam compreender.

O sacerdócio não é algo que possam ver, ouvir ou tocar, mas é uma autoridade real e um poder real.

Quando eu tinha cinco anos, fiquei muito doente. Descobriram que eu tinha poliomielite, doença completamente desconhecida para o médico da minha pequena cidade. Fiquei deitado por semanas em uma cama de campanha no quarto da frente, ao lado de um fogareiro a carvão. Depois, eu não conseguia andar. Lembro-me claramente de deslizar pelo piso de linóleo e de me esticar para subir nas cadeiras e, de reaprender a andar. Tive mais sorte do que outros. Um amigo meu continuou usando muletas e aparelhos ortopédicos por toda vida.

Quando comecei a frequentar a escola, percebi que meus músculos eram muito frágeis. Eu tinha plena consciência de que nunca poderia ser um atleta.

Não me ajudou nada a história que li a respeito do homem que foi ao médico em busca de cura para seu complexo de inferioridade. Depois de examinar o homem, o médico lhe disse: “Você não tem complexo de inferioridade. Você é inferior!”

Com esse tipo de estímulo, prossegui com a vida, determinado a compensar a deficiência de alguma forma.

Encontrei esperança em minha bênção patriarcal. O patriarca, que eu nunca vira antes, deu-me razão para confirmar que os patriarcas têm mesmo visão profética. Ele disse que eu tive o desejo de vir à Terra e estava disposto a enfrentar os desafios que a vida terrena apresentasse a este corpo mortal. Disse ainda que eu recebera um corpo de proporções físicas e habilidades apropriadas ao funcionamento do meu espírito, sem dificuldades anatômicas impeditivas. Essas palavras me deram ânimo.

Aprendi que devemos sempre cuidar do nosso corpo. Nunca permitam que entre em seu organismo nada que o prejudique, como nos aconselha a Palavra de Sabedoria: chá, café, álcool, fumo ou qualquer coisa que crie dependência, vicie ou cause danos.

Leiam a seção 89 de Doutrina e Convênios. Nela se encontram grandes promessas: “Todos os santos que se lembrarem de guardar e fazer estas coisas, obedecendo aos mandamentos, receberão saúde para o umbigo e medula para os ossos;

E encontrarão sabedoria e grandes tesouros de conhecimento, sim, tesouros ocultos;

E correrão e não se cansarão; e caminharão e não desfalecerão”.

Então vem esta promessa: “E eu, o Senhor, faço-lhes uma promessa de que o anjo destruidor passará por eles, como os filhos de Israel, e não os matará”. 10

Talvez vocês pensem que outras pessoas têm um corpo mais perfeito do que o seu. Não caiam na armadilha de sentirem-se inadequados por causa da sua altura, do peso ou das suas características, nem pela cor da pele ou pela raça.

Vocês são filhos de Deus. Cada um, individualmente, viveu no mundo pré-mortal como filho espiritual de pais celestes. Quando nasceram, receberam um corpo mortal de carne, sangue e ossos com o qual passarão pelas experiências da vida terrena. Vocês serão testados durante a preparação para voltar à presença do Pai Celestial.

Faço-lhes a mesma pergunta que Paulo dirigiu aos Coríntios: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” 11

O sexo, masculino ou feminino, foi determinado na existência pré-mortal. Vocês nasceram homens. Devem apreciar e proteger a sua natureza masculina. E devem ter consideração e respeito por todas as mulheres e moças, e protegê-las.

Não abusem de si mesmos. Nunca permitam que outros toquem seu corpo de maneira indigna e não toquem em ninguém indignamente.

Evitem o veneno mortal da pornografia e dos narcóticos. Se já experimentaram, cuidado! Se continuarem usando, essas coisas destruirão vocês. Conversem com seus pais e com seu bispo. Eles saberão como ajudá-los.

Não enfeitem seu corpo com tatuagens, nem o perfurem com piercings. Afastem-se dessas coisas.

Não andem com amigos que preocupem seus pais.

Por todo lado está presente a influência de Lúcifer e de sua legião de anjos. Eles tentam vocês para que façam ou digam coisas destrutivas, ou que pensem nelas. Resistam a qualquer impulso que perturbe seu espírito. 12

Vocês não devem temer. O Profeta Joseph Smith ensinou que “todos os seres com corpos possuem domínio sobre os que não os têm”. 13 E Leí ensinou que “os homens são ensinados suficientemente para distinguirem o bem do mal”. 14 Lembrem-se: o poder que seu espírito encontra na oração os protegerá.

Lembro-me de quando fui “[batizado] por imersão para a remissão de pecados”. 15 Aquilo foi convidativo. Entendi que todos os meus erros passados haviam sido lavados e que, se eu nunca mais errasse na vida, continuaria limpo. Foi o que resolvi fazer, mas não funcionou como eu pensava. Descobri que cometia erros; sem intenção, mas os cometia. Cheguei a pensar erroneamente que fora batizado cedo demais. Eu não compreendia que a ordenança do sacramento, administrada por vocês do Sacerdócio Aarônico é, de fato, a renovação do convênio do batismo e a reinstituição das bênçãos ligadas a ele. Não percebia, como nos informa a revelação, que eu poderia “[conservar] a remissão de [meus] pecados”. 16

Se cometeram pecado ou mal, devem saber mais sobre o poder da Expiação: como ela atua. E com um arrependimento profundo e sincero, poderão dar vazão a esse poder. Ele é capaz de lavar os pequenos erros, e esfregando-os e lavando-os bem, é capaz de limpar as transgressões graves. Não existe nada de que não possa ser perdoado.

O Espírito Santo estará sempre com vocês, pois lhes foi conferido por ocasião do batismo e da confirmação.

Eu era sacerdote no Sacerdócio Aarônico, quando estourou a Segunda Guerra Mundial. Fui ordenado Élder quando todos estávamos sendo enviados para a guerra.

Eu sonhava em seguir o exemplo do meu irmão, Leon, que na época pilotava bombardeiros B-24 na Batalha da Grã-Bretanha. Apresentei-me como voluntário para o treinamento de pilotos da força aérea.

Por um ponto, fui reprovado no exame escrito. Mas o sargento se lembrou que havia várias perguntas de dois pontos e que se eu tivesse meio ponto em duas delas, eu passaria.

Parte da prova era de múltipla escolha. Uma pergunta dizia: “Para que serve o etilenoglicol?” Se não tivesse trabalhado no posto de gasolina do meu pai, não saberia que ele é usado como anticongelante em automóveis. Então passei raspando.

Orei para passar no exame médico. Acabou sendo um exame rotineiro.

Vocês, rapazes, não devem reclamar dos estudos. Não se envolvam tanto com os aspectos técnicos a ponto de deixar de aprender coisas práticas. Tudo de prático que puderem aprender — em casa, na cozinha, no quintal — será benéfico a vocês. Nunca reclamem dos estudos. Estudem muito e frequentem as aulas.

“A glória de Deus é inteligência ou, em outras palavras, luz e verdade”. 17

“Qualquer princípio de inteligência que alcançarmos nesta vida, surgirá conosco na ressurreição”. 18

Devemos aprender sobre “coisas que estão no alto e coisas que estão em baixo, coisas que estão dentro da terra e sobre a terra e nos céus”. 19

Podem aprender a consertar e pintar as coisas, e mesmo a serrar e exercer qualquer outra atividade prática. Vale a pena. Se não for útil a você especificamente, será benéfico quando estiverem servindo os outros.

Acabei indo para o Oriente como piloto do mesmo tipo de avião que meu irmão pilotava na Inglaterra. Minha missão, então, foi a de ensinar o evangelho no Japão, como militar.

Talvez o desafio mais difícil da guerra seja viver com a incerteza, sem saber como terminará ou se prosseguiremos com a vida.

Recebi um pequeno exemplar do Livro de Mórmon para soldados, que cabia no bolso. Eu o levava por todo lado; lia-o sempre, e ele tornou-se parte de mim. As perguntas que eu tinha se transformaram em certeza.

A certeza das verdades do evangelho, uma vez que as compreendamos, ajuda-nos a vencer as dificuldades.

Levou quatro anos para podermos voltar à vida normal. Mas eu havia aprendido e tinha um firme testemunho de que Deus é nosso Pai, que somos Seus filhos, e que o evangelho restaurado de Jesus Cristo é verdadeiro.

A sua geração está cheia de incertezas. A vida de diversão, de jogos e de brinquedos caros terminou abruptamente. Passamos de uma geração de conforto e diversão para uma geração de trabalho árduo e responsabilidade. Não sabemos quanto tempo isso vai durar.

A realidade da vida agora faz parte de suas responsabilidades do sacerdócio. Não lhes fará mal passar sem algo que desejam. O amadurecimento e a disciplina serão benéficos a vocês. Isso lhes assegurará uma vida bem-sucedida e uma família feliz. Tais provações vêm com a responsabilidade do sacerdócio.

Alguns de vocês moram em países em que o que comem e o que vestem depende do que a sua família é capaz de produzir. Pode ser até que a sua contribuição faça diferença para que o aluguel seja pago ou haja alimento e abrigo para sua família. Aprendam a trabalhar e a ajudar.

O próprio alicerce da vida humana, de toda a sociedade, é a família, estabelecida pelo primeiro mandamento dado a Adão e Eva, nossos primeiros pais: “Multiplicai-vos, e enchei a terra”. 20

Daí proveio o mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá”. 21

Que cada um seja um membro responsável da família. Cuidem do que têm — suas roupas, seus pertences. Não sejam esbanjadores. Aprendam a se contentar com o que têm.

Pode parecer que o mundo esteja em convulsão, e realmente está! Pode parecer que há guerras e rumores de guerras; e há! Pode parecer que o futuro trará provações e dificuldades para vocês; e ele trará! No entanto, o temor é o oposto da fé. Não tenham medo. Eu não tenho.

Ao meio-dia de hoje, quatro netos foram visitar-nos. Três deles tinham belas jovens a seu lado — um falou sobre o casamento que se aproximava, dois contaram sobre seu noivado, e o que estava só, falou de seu chamado missionário para o Japão. Conversamos com eles sobre o fato de que um dia cada um de vocês levará uma filha pura e preciosa de nosso Pai Celestial ao templo para serem selados para esta vida e para toda a eternidade. Esses netos devem saber o que Alma ensinou: que o plano do evangelho é “o grande plano de felicidade” 22 e que a felicidade é o objetivo de nossa existência. Disso presto testemunho, em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Cabeçalho D&C 13.

  2.  

    2. D&C 107:20.

  3.  

    3. Ver I Samuel 1 :24–28.

  4.  

    4. Ver I Samuel 17.

  5.  

    5. Ver Mórmon 1:2.

  6.  

    6. Ver Joseph Smith — História 1:7.

  7.  

    7. Ver Lucas 2:41–52.

  8.  

    8. I Timóteo 4:12.

  9.  

    9. J. Reuben Clark, Jr., O Curso Traçado para a Igreja nos Assuntos Educacionais (discurso aos líderes do seminário e instituto de religião, em Aspen Grove, Utah, em 8 de agosto de 1938, livreto, 2004), pp. 3, 9–10.

  10.  

    10. D&C 89:18–21.

  11.  

    11. I Coríntios 6:19.

  12.  

    12. Ver Morôni 7:17.

  13.  

    13.  Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith (curso de estudos do Sacerdócio de Melquisedeque e da Sociedade de Socorro, 2007), p. 220.

  14.  

    14. 2 Néfi 2:5.

  15.  

    15. Regras de Fé 1:4.

  16.  

    16. Mosias 4:12.

  17.  

    17. D&C 93:36.

  18.  

    18. D&C 130:18.

  19.  

    19. D&C 101:34.

  20.  

    20. Gênesis 1:28; Abraão 4:28.

  21.  

    21. Êxodo 20:12.

  22.  

    22. Alma 42:8.