Dons para Ajudar-nos a Navegar pela Vida

José A. Teixeira

Of the First Quorum of the Seventy


Não estamos sozinhos. Deus nos deu os dons necessários para ajudar-nos em nossa experiência mortal.

Nosso Pai Celestial tem um plano para nós, um plano de felicidade. Seu plano centraliza-se no Senhor Jesus Cristo e em Sua Expiação. Seguir os ensinamentos e o exemplo de Jesus Cristo fará com que entendamos mais plenamente nossa parte nesse plano.

No primeiro capítulo do livro de Moisés, há uma declaração simples, porém valiosa, que delineia com simplicidade a obra de Deus — a saber: “levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem”. 1

Na jornada da vida, para retornarmos ao Pai e sermos mais semelhantes a Ele, não estamos sozinhos. Deus nos deu os dons necessários para ajudar-nos em nossa experiência mortal.

Dons espirituais são bênçãos ou habilidades dadas por Deus a Seus filhos. 2 Esses dons ajudam-nos a navegar pela vida rumo a metas eternas.

Que consolo saber que existe um plano no qual temos um Salvador, Jesus Cristo! 3 Graças a Seu sacrifício, todas as pessoas que cumprirem os ensinamentos de Seu evangelho podem ser perdoadas por meio do arrependimento. Que consolo saber que podemos receber ajuda para sermos bem-sucedidos em nosso empenho de voltar a viver com nosso Pai Celeste! Que consolo saber que não estamos sozinhos, navegando pelas águas desconhecidas das experiências da vida!

Um dom que vai nos ajudar a navegar pela vida é a dádiva que Ele concedeu a todos nós: a capacidade e o poder de escolher.

Nossas escolhas têm o poder incontestável de transformar nossa vida. Esse dom é um sinal extraordinário de confiança em nós e, ao mesmo tempo, uma responsabilidade a ser valorizada e usada com sabedoria. Nosso Pai Celestial respeita nossa liberdade de escolha e nunca nos forçará a fazer o que é certo nem nos impedirá de fazer escolhas medíocres. 4 Seu convite, contudo, concernente a esse dom importante e vital está claramente expresso nas escrituras: “Eis, porém, que aquilo que é de Deus convida e impele a fazer o bem continuamente; portanto, tudo o que convida e impele a fazer o bem e a amar a Deus e a servi-lo, é inspirado por Deus”. 5

As palavras “fazer o bem continuamente” descrevem bem o padrão que precisamos aplicar ao usar nosso arbítrio.

As escolhas estão atadas às consequências que podem ou não manifestar-se imediatamente após as decisões. Usar os dons espirituais que recebemos é fundamental para que permaneçamos no caminho certo.

Há pouco tempo usei um receptor GPS de bolso; é um aparelho incrível que consiste de uma antena sintonizada às frequências transmitidas via satélite, com uma tela que indica minha posição atual na Terra.

Nas últimas décadas, esse tipo de aparelho tem sido muito usado para propósitos científicos, para fazer mapas, levantamentos topográficos e, mais recentemente, para evitar que as pessoas se percam quando estão dirigindo!

No decorrer da história, a humanidade tem procurado evitar se perder. No meu país natal, Portugal, por exemplo, durante o período das descobertas no século XV, “da ocidental praia lusitana, por mares nunca dantes navegados” 6 , os navegadores usavam os melhores mapas e utilizavam-se da leitura das estrelas à noite, bem como caravelas muito desenvolvidas para aquela época, para encontrar seu destino. Ainda assim, não era uma tarefa fácil para eles navegarem contra os ventos adversos, e muitas vezes vagavam sem rumo interminavelmente, antes de encontrarem o caminho no vasto mar.

Em contrapartida, hoje, com um receptor GPS, sempre posso ter respostas simultâneas a perguntas como:

  • “Onde estou?”

  • “Para onde estou indo?”

  • “Qual é o melhor caminho para chegar lá?”

  • “Quando chegarei a meu destino?”

Com esse pequeno aparelho, sinto uma forte sensação de segurança quando dirijo, e confio que ele me levará com extraordinária precisão e acuidade aonde quero ir.

Lembro-me de um dia, porém, quando estava entrando num estacionamento subterrâneo, que conheci um recurso novo desse aparelho — uma voz de alerta. “Sem recepção do satélite.” As estruturas de concreto em volta de mim tinham interrompido o sinal do satélite e fizeram com que o aparelho perdesse a conexão.

Quando retornei ao ar livre, percebi também que o aparelho precisou de um tempo extra para recapturar o sinal necessário.

Nós também temos dentro de nós um “GPS” que nos permite saber o tempo todo o que é certo ou errado, ajudando-nos a fazer escolhas corretas.

Nascemos com uma capacidade natural de distinguir o certo do errado por causa da Luz de Cristo que é dada a todas as pessoas (D&C 84:46). Essa capacidade chama-se consciência. Ela nos torna seres responsáveis. 7

Além disso, como membros da Igreja, recebemos o dom do Espírito Santo para nos consolar, proteger e guiar. 8

No entanto, como outras faculdades, nossa consciência pode ser insensibilizada pelo pecado ou pelo uso indevido. 9 Se nos tornarmos insensíveis às coisas de Deus em nossa vida, nós também perderemos a recepção do sinal necessário para nos guiar. Guardar os mandamentos é nossa melhor garantia de mantermos um “sinal forte” com o Divino.

O Presidente Thomas S. Monson, nosso amado profeta, disse: “Nossa vida dependerá das decisões que tomamos — porque as decisões determinam nosso destino”. 10

Presto testemunho de que escolher o bem acaba nos trazendo felicidade, enquanto que escolher o mal nos arrasta para a infelicidade. 11 Aprender o que é bom e guardar os mandamentos criam um padrão que vai nos ajudar a:

  • Alcançar realizações na vida;

  • Tornar-nos mais semelhantes ao Pai Celestial e a Seu Filho, Jesus Cristo e

  • Qualificar-nos para herdar todas as bênçãos prometidas aos fiéis.

Outro dom que nos ajudará a navegar pela vida é a capacidade de acreditar nas palavras daqueles que testificam de Jesus Cristo. 12

Por meio de nossos profetas, em todas as épocas, inclusive na nossa, Deus revelou Seu plano de felicidade a indivíduos e famílias. Aqueles que seguem os profetas recebem as bênçãos que Deus prometeu.

Sempre podemos confiar nos profetas vivos; seus ensinamentos refletem a palavra e a vontade do Senhor. “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.” 13

As palavras de um hino da Primária advertem:

Segue o profeta, segue o profeta, segue o profeta sem hesitar,
Segue o profeta, segue o profeta, não vais errar! (…)
Mas podemos ter segura orientação
Se aos profetas de hoje dermos atenção. 14

Testifico que o Pai Celestial Se preocupa com cada um de nós, que Ele ouve nossas orações e responde a elas, que Ele Se comunica com Seus profetas para nos guiar. Ao desenvolvermos nossa fé para acreditar nas palavras dos profetas e vivê-las fortaleceremos nosso testemunho do plano de felicidade e do papel primordial de Jesus Cristo nesse plano.

Por meio do poder de escolha e da capacidade que herdamos de acreditar naqueles que testificam de Jesus Cristo, seremos capazes de cruzar as grandes águas da vida e alcançar nosso destino eterno.

Estamos sendo ensinados, neste fim de semana, por profetas, videntes e reveladores. Sou grato pela orientação que o Pai Celestial nos deu e por Seu Filho, Jesus Cristo, nosso Salvador e Redentor. Testifico que Eles vivem e nos amam e, sendo fiéis aos ensinamentos que recebemos, faremos boas escolhas, não nos perderemos e alcançaremos nosso lar eterno. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Moisés 1:39.

  2.  

    2. “Dons Espirituais”, no site gospeltopics.lds.org.

  3.  

    3. Ver “God has a plan for your life” [Deus tem um plano para a sua vida], no site www.mormon.org/mormonorg /eng/basic-beliefs/heavenly-father-s- plan-of-happiness/god-has-a-plan-for- your-life.

  4.  

    4. Ver “God has a plan for your life”, no site www.mormon.org.

  5.  

    5. Morôni 7:13.

  6.  

    6. Luis de Camões, Os Lusíadas, tomo 1, primeira estrofe, trans. William Julius Mickle (1776).

  7.  

    7. Ver “Consciência”, Guia para Estudo das Escrituras, no site scriptures.lds.org.

  8.  

    8. Ver Atos 2:38.

  9.  

    9. “Consciência”, Guia para Estudo das Escrituras, no site scriptures.lds.org.

  10.  

    10. Thomas S. Monson, “Decisions Determine Destiny”, Tambuli, julho de 1980, p. 30.

  11.  

    11. Deus tem um plano para a sua vida, no site www. mormon.org.

  12.  

    12. Ver D&C 46:14.

  13.  

    13. Amós 3:7.

  14.  

    14. “Segue o Profeta”, Músicas para Crianças, p. 58.