Um Elo de Amor Que Une Gerações

Russell M. Nelson

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Russell M. Nelson
Satisfazemos nosso anseio inato por vínculos familiares quando nos unimos a nossos antepassados por meio das sagradas ordenanças do templo.

A correspondência que recebemos na época da Páscoa ou do Natal proporciona doces lembranças de queridos amigos e parentes. Algumas dessas mensagens são enriquecidas com preciosas fotografias de família. Eis uma que realmente me chamou a atenção.

Esta é uma de nossas bisnetas. Eu a chamo de “Querida Ruby”. Essa fotografia me faz lembrar a mãe dela quando tinha aproximadamente a mesma idade. Em meus arquivos encontrei esta fotografia da mãe da “Querida Ruby”, que é uma de nossas netas.

Tirei essa foto da mãe da “Querida Ruby” há uns 29 anos. Os olhos dela ainda são azuis assim.

Afloraram lembranças queridas de meio século atrás, quando a avó da “Querida Ruby” — uma de nossas filhas — era a caçula da família na época. Esta é uma de suas fotos de bebê. Hoje ela é uma avó amorosa, e eu sou o bisavô da “Querida Ruby”. (Não vou lhes mostrar minhas fotos de bebê. Isso não vai ajudar muito.) Essas fotografias são uma evidência do amor que une nossas quatro gerações.

Quando penso no amor que sinto individualmente por todos os membros de nossa família, compreendo em parte o amor que nosso Pai Celestial tem por Seus filhos. Embora a família esteja sob ataque no mundo inteiro, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias proclama, promove e protege a verdade de que a família é o ponto central do plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos. “A Família: Proclamação ao Mundo” e nosso imenso trabalho de história da família são apenas duas evidências de como esta Igreja proporciona esperança e ajuda para a sagrada instituição da família.

Ensinamos que o amor de Deus por Seus filhos é infinito. Sem distinção de raça, nacionalidade ou sexo, Ele ama todos os Seus filhos.1 Ele tem feito isso desde o princípio e continuará a fazê-lo. Ele convida todos a alcançar a exaltação eterna para a própria família. Sua obra e Sua glória é levar a efeito a imortalidade e a vida eterna — a exaltação — de Seus filhos.2 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”3

A Expiação de Seu Filho Amado permitiu que os dois objetivos do Pai fossem cumpridos. Sem a Expiação, não haveria imortalidade. Sem a Expiação, não haveria retorno à presença do Pai, e a família não continuaria depois da morte.

Graças à Expiação, essas bênçãos supremas podem ser alcançadas por todos os filhos de Deus que obedecem a Suas leis eternas. Ao longo das eras, muitos de Seus filhos tiveram acesso às bênçãos do evangelho, mas muitos outros não tiveram. Antes da criação do mundo, nosso Pai Celestial instituiu a ordenança do batismo para os que morrem sem conhecimento do evangelho.4 Ele ama esses Seus filhos também.

Ele também providenciou um meio para que eles façam parte de uma família eterna. Todo ser humano que vem a esta Terra é produto de gerações de pais. Temos o anseio natural de nos ligarmos a nossos antepassados. Temos esse desejo em nosso coração, independentemente de nossa idade.

Pensem nos vínculos espirituais que são formados quando uma moça ajuda a avó a digitar os dados da família no computador ou quando um rapaz vê o nome de seu bisavô em um registro de recenseamento. Quando nosso coração se volta para nossos antepassados, algo muda dentro de nós. Sentimos que fazemos parte de algo que é maior que nós mesmos. Satisfazemos nosso anseio inato por vínculos familiares quando nos unimos a nossos antepassados por meio das sagradas ordenanças do templo.

Devido à importância dessa obra, a Igreja construiu templos mais próximos das pessoas5 e a pesquisa de história da família está mais facilitada do que nunca. Os métodos de busca e preparação de nomes para as ordenanças do templo também estão melhorando. Na conferência de outubro de 2005, o Presidente Gordon B. Hinckley anunciou que um passo emocionante havia sido dado no trabalho de história da família e do templo. Ele disse: “Um dos aspectos mais perturbadores de nossa atividade no templo é que, à medida que temos mais e mais templos espalhados pela Terra, está havendo uma duplicação na realização de ordenanças para um mesmo indivíduo. (…) Nós, portanto, estamos empenhados há algum tempo em uma tarefa muito difícil. (…) A solução repousa na complexa tecnologia digital”.6

Desde aquela época, não apenas foram reduzidas as duplicações, mas os procedimentos foram simplificados de modo que praticamente todo membro da Igreja possa participar do trabalho do templo e da história da família. Já se foi a época em que essa obra sagrada era realizada somente por especialistas. Não importa suas condições, você pode fazer com que a história da família faça parte de sua vida agora mesmo. As crianças da Primária podem desenhar uma árvore genealógica. Os jovens podem participar de batismos pelos mortos. Também podem ajudar a geração mais velha a lidar com computadores. Os pais podem contar histórias de sua vida para sua posteridade. Os membros dignos adultos podem receber uma recomendação para o templo e realizar as ordenanças do templo para seus próprios parentes.

O Profeta Joseph Smith disse: “A maior responsabilidade do mundo que Deus colocou sobre nós é a de buscar nossos mortos”.7 A nova tecnologia torna mais fácil do que nunca o cumprimento dessa responsabilidade. O trabalho do templo e de história da família é agora facilitado por um sistema conhecido como “novo FamilySearch”.8 Esse sistema com base na Internet ajuda os membros a identificar seus antepassados, determinar o trabalho de ordenanças que precisa ser feito por eles e preparar seus nomes para o templo. Pode ser acessado do próprio lar, de um centro de história da família9 ou de qualquer lugar que tenha Internet. Os passos são fáceis de seguir.10

Você primeiramente identifica as pessoas pelas quais deseja realizar o trabalho do templo.

Depois, imprime uma Solicitação de Ordenança Familiar. Esse documento fornece ao templo os dados necessários e elimina a necessidade de você levar CDs consigo.

A partir da Solicitação de Ordenança Familiar, são impressos cartões de ordenanças no templo. Depois que a ordenança tiver sido realizada, ela é registrada e lançada no novo FamilySearch no mesmo dia.

E o que acontece com as pessoas que não têm computador ou preferem não usar essa tecnologia? Não se preocupe! Dê um passo de cada vez. Comece em casa. Comece utilizando uma caixa de papelão vazia, conforme sugerido pelo Presidente Boyd K. Packer.11 Coloque na caixa as informações importantes sobre você e sua família. Acrescente dados coletados de outras pessoas da família. Depois, peça a ajuda do consultor de história da família de sua ala ou de seu ramo. O sistema do novo FamilySearch permite que o consultor realize todas as funções do computador que lhe forem necessárias, inclusive a preparação de nomes para o templo. Cerca de 60.000 consultores servem no mundo inteiro. Um consultor de sua ala ou de seu ramo pode ser muito útil para você.

O sistema do novo FamilySearch altera a dinâmica do trabalho de história da família, no intuito de facilitar a criação de uma linhagem familiar comum. No passado, cada pessoa trabalhava separadamente, guardando seus próprios registros de família. Geralmente cada pessoa trabalhava sem saber o que os outros membros da família estavam fazendo. Agora, qualquer pessoa pode contribuir com informações enquanto coordena com outras pessoas a elaboração de sua árvore genealógica.

Embora o novo FamilySearch seja um gigantesco passo adiante, é apenas um passo. Há mais trabalho à frente. Como o sistema facilita o acesso a informações enviadas para a Igreja ao longo de muitas décadas, a partir de muitas fontes, o novo FamilySearch pode expor lançamentos duplicados ou erros que não foram reconhecidos previamente. Esse recurso é particularmente útil para os que têm pioneiros antigos como antepassados. As duplicações e os erros precisam ser corrigidos, e ninguém pode fazê-lo melhor do que cada pessoa por sua própria família.

Você pode ficar frustrado ao lidar com esses desafios. Por favor, fique certo de que suas preocupações são muito bem compreendidas. A Igreja, sob a inspirada liderança do Presidente Thomas S. Monson, está trabalhando diligentemente para ajudá-lo a solucionar esses problemas. Juntos, estamos empenhando-nos em organizar a árvore genealógica de todos os filhos de Deus. Esse é um empreendimento imenso com enormes recompensas.

É um trabalho cheio de alegria. Vejam esta fotografia de recém-conversos fazendo o trabalho do templo para seus próprios familiares. Esses queridos santos são da Estaca Ilopango El Salvador San Salvador e foram pela primeira vez ao Templo da Cidade da Guatemala. Seguram seus cartões do templo, cada um com o nome de um parente falecido pelo qual realizaram o batismo vicário.

Para que o trabalho de história da família e da Igreja tenha sucesso, a direção e a liderança do sacerdócio são essenciais. Os líderes ensinam e prestam testemunho da doutrina subjacente a esse trabalho sagrado.12 Fazem chamados e cuidam para que haja orientação disponível.13 Consideram as atividades do templo e de história da família um meio de elevar a espiritualidade da ala, fortalecer as raízes espirituais dos recém-conversos e abençoar a vida de todos os membros.

Embora o trabalho do templo e de história da família tenha a capacidade de abençoar as pessoas que estão além do véu, ele tem um poder equivalente para abençoar os vivos. Tem uma influência aprimoradora sobre as pessoas que estão engajadas nele. Elas estão literalmente ajudando a exaltar sua família.

Somos exaltados quando podemos habitar juntos com nossos familiares na presença do Deus Todo-Poderoso. O Profeta Joseph Smith previu nosso dever: “O grande dia do Senhor está perto”, disse ele. “Que nós, portanto, como igreja e como povo e como santos dos últimos dias, façamos ao Senhor uma oferta em retidão; e apresentemos em seu templo santo, quando estiver terminado, um livro contendo os registros de nossos mortos, que seja digno de toda aceitação.”14

A preparação desse registro é nossa responsabilidade individual e coletiva. Se trabalharmos juntos, podemos torná-lo digno de toda aceitação do Senhor. Esse registro permite que sejam realizadas ordenanças por nossos antepassados falecidos, que eles podem aceitar, se quiserem. Essas ordenanças proporcionam liberdade aos cativos do outro lado do véu.15

Nossos filhos, nossos netos, a “Querida Ruby” e todos os nossos bisnetos estão unidos num elo de amor. Também estão ligados a seus antepassados por um elo de amor. Esses elos, unidos por meio de ordenanças sagradas, levam à exaltação de nossa família.16 Que esse objetivo sagrado possa ser cumprido para cada um de nós, é minha oração em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Ver I Coríntios 12:13; Gálatas 3:28; 2 Néfi 26:33.

  2.  

    2. Ver Moisés 1:39.

  3.  

    3. João 3:16.

  4.  

    4. Ver Doutrina e Convênios 124:33.

  5.  

    5. O Presidente Thomas S. Monson disse recentemente que 83 por cento dos membros da Igreja no mundo inteiro agora moram a menos de 200 milhas (320 quilômetros) de um templo (ver “Bem-Vindos à Conferência”, A Liahona, novembro de 2009, p. 4).

  6.  

    6. Gordon B. Hinckley, “Comentários de Abertura”, A Liahona, novembro de 2005, pp. 5–6.

  7.  

    7.  Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 498.

  8.  

    8. Atualmente disponível em alemão, espanhol, francês, inglês e português. Em breve também estará disponível em chinês, coreano e japonês.

  9.  

    9. Temos mais de 4.000 centros de história da família no mundo inteiro.

  10.  

    10. Entre no site new.familysearch.org se você tiver acesso a um computador. Para cadastrar-se pela primeira vez, você precisará de seu número de registro de membro e de sua data de nascimento. Você pode obter essas informações com o secretário de sua ala ou de seu ramo. Depois de entrar, você pode verificar se as informações de seus antepassados estão no sistema e quais ordenanças são necessárias. Você pode identificar antepassados que não conhece e acrescentá-los a sua árvore genealógica. Imprima um formulário de Solicitação de Ordenança Familiar para levar ao templo e assim abrir caminho para que as ordenanças necessárias sejam realizadas.

  11.  

    11. Ver Boyd K. Packer, “Sua História Familiar: Como Começar”, A Liahona, agosto de 2003, pp. 12–17.

  12.  

    12. Sob a direção da presidência da estaca, um ou mais sumos conselheiros encarregados supervisionam o trabalho do templo e de história da família na estaca. Em âmbito de ala ou de ramo, o líder do grupo de sumos sacerdotes ou o presidente do quórum de élderes lideram o trabalho. Há muitos recursos, tanto impressos como disponíveis na Internet, para ajudar os consultores de história da família e os líderes do sacerdócio a cumprirem seus deveres.

  13.  

    13. Alguns recursos novos que podem ser úteis incluem o Guia do Membro para o Trabalho do Templo e de História da Família (código nº 36795 059), e o Guia do Professor (código nº 35804 059), com o DVD que o acompanha. Pode-se fazer o download desses guias ou eles podem ser visualizados on-line em LDS.org ou ainda solicitados aos Serviços de Distribuição.

  14.  

    14. Doutrina e Convênios 128:24.

  15.  

    15. Ver Isaías 61:1; Lucas 4:18–19; Doutrina e Convênios 138:18, 31, 42.

  16.  

    16. Ver Doutrina e Convênios 128:18.