Conta-me Histórias de Cristo

Neil L. Andersen

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Neil L. Andersen
Uma fé mais forte e pessoal em Jesus Cristo vai prepará-los para os desafios que sem dúvida enfrentarão.

Quando somos convidados a falar na sessão de encerramento da conferência geral, ouvimos cada palavra e perguntamo-nos qual parte de nosso discurso será apresentada antes de chegar a nossa vez. Não recebemos um assunto específico, nem um tema de auxílio. Naturalmente, a maneira do Senhor é sempre a melhor. Ele usa os esforços individuais de fé que cada orador possui e compõe uma sinfonia espiritual, repleta de revelação e poder. Temas repetidos, edificados princípio sobre princípio, avisos proféticos, promessas edificantes — a harmonia divina é um milagre! Testifico que na conferência ouvimos e sentimos a mente e a vontade do Senhor

O Presidente Thomas S. Monson descreveu a nova geração como “os melhores que já existiram”1 e disse a nossos jovens: “Vocês vieram a esta Terra numa época gloriosa. As oportunidades que têm diante de vocês são quase ilimitadas”.2 Então aconselhou: “Fomos colocados na Terra em uma época conturbada”.3 “Esta é uma época de permissividade, com a sociedade em geral rotineiramente menosprezando e desobedecendo às leis de Deus.”4 Estamos cercados por muitas coisas que visam desviar nossa atenção. “O adversário faz uso de todos os meios possíveis para apanhar-nos em sua teia de enganos.”5

Temos nos braços a nova geração. Eles vêm a esta Terra com importantes responsabilidades e grande capacidade espiritual. Não podemos ser descuidados ao prepará-los. Nosso desafio como pais e professores não é o de criar uma essência espiritual na alma deles, mas, sim, o de inflamar a essência espiritual que já brilha com a chama de sua fé pré-mortal.

Gostaria hoje de salientar a súplica de uma criança em um hino da Primária:

Conta-me histórias de Cristo, eu quero ouvir.
Belas histórias de quando andou aqui.6

Em nosso mundo atual, cada criança, cada rapaz e cada moça, precisa converter-se pessoalmente à verdade. Cada um deles precisa ter sua própria luz, sua própria fé firme e inabalável7 no Senhor Jesus Cristo, independentemente dos pais, líderes dos jovens e amigos que lhes dão apoio.

As histórias de Cristo podem atuar como um vento vigoroso que aviva as brasas de fé que existem no coração de nossos filhos. Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida”.8 As histórias de Cristo contadas continuamente promovem a fé no Senhor Jesus Cristo e fortalecem o alicerce do testemunho. Podem imaginar uma dádiva mais valiosa para nossos filhos?

Será que a vida e os ensinamentos de Jesus Cristo estão gravados na mente e na alma de nossos filhos? Eles pensam na vida do Salvador quando imaginam o que farão em sua própria vida? Isso será cada vez mais importante nos anos vindouros.

Nossos filhos visualizaram o conselho pré-mortal,9 onde Jesus — o maior de todos — declarou: “Eis-me aqui, envia-me”?10 Eles veem a própria disposição para servir à medida que seguem Seu exemplo?

Eles pensam em seu humilde nascimento,11 o Salvador do mundo “[deitado] numa manjedoura?”12 As condições em que Ele viveu os ajudam a compreender melhor o devido lugar das posses materiais?

Será que eles sabem que Jesus ensinou muitas vezes: “Pedi e recebereis”?13 A oração de gratidão Dele14 e Sua súplica ao Pai15 fluem na mente de nossos filhos quando se ajoelham em oração tendo seus próprios problemas para resolver?

Nós lhes falamos do amor que Jesus tinha pelas crianças, de como Ele as tomou nos braços, orou por elas e chorou?16 Nossos filhos sabem que Jesus está de “de braços abertos para [nos] receber”?17

Eles se fortalecem com as histórias de quando Cristo jejuou,18 ao ensinarmos a eles a lei do jejum?

Na sua própria solidão, nossos filhos conhecem a solidão que o Senhor sentiu quando Seus amigos O desertaram, e Ele perguntou a Seus Apóstolos: “Quereis vós também retirar-vos?”19

Nossos filhos já sentiram o poder dos milagres do Salvador? Jesus curou o leproso,20 deu visão ao cego.21 Alimentou 5.000 pessoas,22 acalmou o mar23 e ergueu Lázaro de entre os mortos.24 Será que nossos filhos acreditam que “é pela fé que os milagres são realizados”25 e oram por milagres em sua própria vida?

Nossos filhos ganharam coragem com as palavras do Salvador ao principal da sinagoga: “Não temas, crê somente”?26

Nossos filhos conhecem a respeito de Sua vida perfeita,27 Seu ministério abnegado, a traição que sofreu e Sua cruel crucificação?28 Já testificamos a eles da certeza de Sua Ressurreição,29 de Sua visita aos nefitas nas Américas30 ou de Sua aparição ao Profeta Joseph Smith no Bosque Sagrado?31

Eles aguardam ansiosamente Seu majestoso retorno, quando tudo será colocado em ordem e todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus é o Cristo?32

Nossos filhos dizem: “Conta-me histórias de Cristo, eu quero ouvir”?33

Para os jovens e as crianças: Vivam à altura de suas grandes responsabilidades e capacidades espirituais. Procurem conhecer mais a respeito de Jesus; abram as escrituras. Uma sugestão seria ler novamente o livro de João e conversar a respeito dele com seus pais e professores e entre vocês mesmos.

Para pais e mães, avôs e avós e aqueles que não têm filhos, mas nutrem crianças e jovens com amor, meu conselho é que falem com mais frequência a respeito de Jesus Cristo. Há grande poder espiritual em Seu santo nome. “Nenhum outro nome se dará, nenhum outro caminho pelo qual a salvação seja concedida aos filhos dos homens, a não ser em nome e pelo nome de Cristo.”34

Para mães que atualmente criam os filhos sem um pai no lar: Prometo-lhes que ao falarem de Jesus Cristo, sentirão o poder do céu abençoando vocês.

Depois que seu marido faleceu, a irmã Stella Oaks criou sozinha seus três filhos pequenos, inclusive o Élder Dallin H. Oaks.35 Ela disse, certa vez: “Foi-me dado a conhecer que o Senhor me amava e que eu seria elevada à altura da missão que me foi atribuída. Senti o amor me envolver e soube que Ele nos apoiaria ao atravessarmos a oposição que viria.”36

Um apelo especial aos homens que são pais: Façam com que uma parte importante de suas conversas com seus filhos seja a respeito do Salvador. Eles precisam de expressões que confirmem sua fé, além das que ouvem da mãe deles.

Embora possa haver ocasiões em que um filho não escute com o coração desejoso de acreditar, seu testemunho de Jesus vai permanecer na mente e na alma dele. Lembram-se da história de Alma, que escolhera trilhar o caminho errado? Ao voltar ao caminho certo, ele disse:

“Lembrei também de ter ouvido meu pai [falar da] vinda de (…) Jesus Cristo (…) para expiar os pecados do mundo.

Tendo fixado a mente nesse pensamento, clamei em meu coração: Ó Jesus, tu que és Filho de Deus, tem misericórdia de mim.”37

Se um filho não ouvir, não se desesperem. O tempo e a verdade estão a seu lado. No momento certo, suas palavras vão voltar como se vindas do próprio céu. Seus filhos nunca esquecerão o testemunho que vocês prestaram.

Quando vocês falarem reverentemente do Salvador — no carro, no ônibus, na mesa de jantar, ao ajoelharem-se em oração, durante o estudo das escrituras ou nas conversas tarde da noite — o Espírito do Senhor vai acompanhar suas palavras.38

Se fizerem o melhor possível, o testemunho de Jesus vai destilar-se carinhosamente no coração de seus filhos. Eles procurarão o Pai Celestial em humilde oração e sentirão Sua influência pelo poder do Espírito Santo. Uma fé mais forte e pessoal em Jesus Cristo vai prepará-los para os desafios que sem dúvida enfrentarão.39

Conheci Bill Forrest e Debbie Hutchings quando éramos estudantes na Universidade Brigham Young. Bill havia retornado da missão. Ele e Debbie se apaixonaram e se casaram no Templo de Oakland Califórnia. Estabeleceram residência em Mesa, Arizona, e foram abençoados com cinco filhos e duas filhas. Bill e Debbie ensinaram seus filhos a amar o Senhor Jesus Cristo como eles O amavam. O Élder Daniel Forrest, filho deles que serve atualmente na Missão México Oaxaca, disse: “Todas as manhãs, sem falta, sentávamos à mesa, antes da escola, e líamos e discutíamos as escrituras”.

Sua filha Kara, hoje casada e com dois filhinhos, lembra-se claramente de quando seu pai a levava de carro para as atividades da escola, bem cedo pela manhã. Ela disse: “Meu pai gostava de decorar citações, escrituras e poemas, e naqueles momentos no carro, pela manhã, nós os recitávamos para praticar”. Uma de suas escrituras favoritas era “Lembrai-vos, lembrai-vos de que é sobre a rocha de nosso Redentor, que é Cristo, o Filho de Deus, que deveis construir os vossos alicerces; para que, quando o diabo lançar a fúria de seus ventos, (…) não tenha poder para vos arrastar ao abismo (…) por causa da rocha sobre a qual estais edificados.”40

Na sexta-feira que precedia o domingo de Páscoa, no ano 2000, há exatamente dez anos, Bill Forrest servia como bispo da Ala Estate Groves, no Arizona. Ao sair para o trabalho, que ficava a um quilômetro e meio de sua casa, seu carro foi atingido por um grande caminhão de areia. Debbie e os filhos saíram de casa pouco depois de Bill e inesperadamente se depararam com a trágica cena. Bill não sobreviveu ao acidente. O espírito imortal daquele amado pai e marido tinha sido subitamente levado de volta para Aquele que venceu a morte, o Filho de Deus, cuja gloriosa Ressurreição eles iriam comemorar juntos naquele domingo de Páscoa.

Como Debbie e seus sete filhos, o caçula com apenas cinco anos, encontraram as forças de que necessitavam? Kara, que tinha quinze anos na época do acidente do pai, contou-me recentemente: “Sinto-me grata [a meu pai e a minha mãe] pela maneira como eles me ensinaram a [respeito do Salvador]. Eles abriam as escrituras comigo, oravam comigo e foram um exemplo da caridade, do amor e da paciência do Salvador. (…) A Páscoa é uma época sensível em minha vida a cada ano, ao refletir sobre a vida, a missão e a Ressurreição de nosso Salvador e lembrar-me da vida de meu pai terreno”.

O Élder Daniel Forrest disse: “Eu tinha dez anos de idade quando meu pai morreu. Foi uma época difícil. (…) Minha mãe sempre foi um exemplo dos ensinamentos do Salvador. Trago comigo a plaqueta, com o nome de meu pai, de quando ele serviu missão na Espanha. Duas citações favoritas de meu pai são: ‘Dois homens podem fazer qualquer coisa, desde que um deles seja o Senhor’, e ‘Precisamos ter o Salvador como nosso alicerce. Sem isso fracassaremos’”.

A fé em Jesus Cristo encheu o coração dos filhos da família Forrest. Neste fim de semana de Páscoa, dez anos depois da morte do pai, eles ainda sentem muita saudade dele, mas a dor de sua morte foi desfeita em Cristo.41 Eles sabem que, graças à inestimável dádiva do Salvador, poderão estar com seu pai terreno e com o Pai Celestial novamente.

Conta-me histórias de Cristo.

Daqui a pouco, ouviremos o profeta de Deus falar. Referindo-se a Seu profeta, o Senhor disse: “Suas palavras recebereis como de minha própria boca”.42 Testifico que o Presidente Thomas S. Monson é o porta-voz do Senhor na Terra.

Testifico que Jesus é o Cristo, o Salvador de toda a humanidade. Sua vida, Sua Expiação, Sua Ressurreição e Seu aguardado retorno são tão certos e seguros quanto o nascer do Sol. Que Seu nome seja louvado para todo o sempre43, no sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Thomas S. Monson, “Verdades Constantes numa Época de Mudanças”, A Liahona, maio de 2005, p. 19.

  2.  

    2. Thomas S. Monson, “Tenham Coragem”, A Liahona, maio de 2009, p. 123.

  3.  

    3. Thomas S. Monson, “Exemplos de Retidão”, A Liahona, maio de 2008, p. 65.

  4.  

    4. Thomas S. Monson, “Comentários Finais”, A Liahona, novembro de 2009, p. 109.

  5.  

    5. Thomas S. Monson, “Até Voltarmos a Nos Encontrar”, A Liahona, maio de 2009, p. 112.

  6.  

    6. “Conta-me Histórias de Cristo”, Músicas para Crianças, p. 36.

  7.  

    7. Ver Alma 1:25.

  8.  

    8. João 14:6.

  9.  

    9. Ver Abraão 3:2–28.

  10.  

    10. Abraão 3:27.

  11.  

    11. Ver Lucas 2.

  12.  

    12. Ver Lucas 2:7.

  13.  

    13. 3 Néfi 27:29.

  14.  

    14. Ver Lucas 10:21.

  15.  

    15. Ver Lucas 11:2–4.

  16.  

    16. Ver 3 Néfi 17:11–24.

  17.  

    17. Mórmon 6:17.

  18.  

    18. Ver Lucas 4:1–13.

  19.  

    19. João 6:67. Falando aos jovens no ano passado, o Presidente Monson disse: “Vocês (…) terão que defender as coisas em que acreditam. A menos que as raízes de seu testemunho estejam firmemente plantadas, será difícil para vocês suportarem o escárnio das pessoas que desafiam sua fé” (A Liahona, maio de 2009, p. 123).

  20.  

    20. Ver Marcos 1:40–42.

  21.  

    21. Ver Lucas 18:35–43.

  22.  

    22. Ver Marcos 6:34–44.

  23.  

    23. Ver Marcos 4:35–41.

  24.  

    24. Ver João 11:8–53.

  25.  

    25. Morôni 7:37.

  26.  

    26. Marcos 5:36.

  27.  

    27. Ver I Pedro 2:21–25.

  28.  

    28. Ver Lucas 22:47–48; 23:32–46.

  29.  

    29. Ver João 20:11–23.

  30.  

    30. Ver 3 Néfi 11–26.

  31.  

    31. Ver Joseph Smith — História 1:17.

  32.  

    32. Ver Doutrina e Convênios 88:104.

  33.  

    33. “Conta-me Histórias de Cristo”, Hinos, nº 36.

  34.  

    34. Mosias 3:17.

  35.  

    35. O Élder Dallin H. Oaks, comentou certa vez: “Quando eu era pequeno, passava a maior parte das noites lendo livros. Um dos meus favoritos era Hurlbut’s Story of the Bible. Um livro com 168 histórias da Bíblia. Eu adorava essas histórias e as li muitas vezes” (“Bible Stories e Personal Protection”, Ensign, novembro de 1992, p. 37).

  36.  

    36. Stella Oaks “Thy Will Be Done”, Leon Hartshorn, comp., Remarkable Stories from the Lives of Latter-day Saint Women, 2 vols., (1973–1975), vol. 2, pp.183–184.

  37.  

    37. Alma 36:17–18.

  38.  

    38. Em nosso mundo hoje, precisamos mais do que nunca que as palavras de Enos a respeito de seu pai, sejam as palavras de nossos filhos a nosso respeito: “As palavras que frequentemente ouvira de meu pai sobre a vida eterna (…) penetraram-me profundamente o coração. E minha alma ficou faminta; e ajoelhei-me ante o meu Criador” (Enos 1:3–4).

  39.  

    39. O Presidente Monson prometeu aos jovens: “Se estiver firmemente plantado, seu testemunho do evangelho, do Salvador e de nosso Pai Celestial vai influenciar tudo o que fizerem na vida. (…) Seu testemunho, se for constantemente nutrido, vai [mantê-los] em segurança” (A Liahona, maio de 2009, p. 123).

  40.  

    40. Helamã 5:12.

  41.  

    41. Ver Mosias 16:8.

  42.  

    42. Doutrina e Convênios 21:5.

  43.  

    43. Ver Alma 26:12.