Coisas Pertinentes à Retidão

Francisco J. Viñas

Dos Setenta


Francisco J. Viñas
Como pais e líderes, precisamos zelar por nossos membros e nossa família, ajudando-os a permanecer longe das coisas que podem conduzir-nos à morte espiritual.

Lemos em Doutrina e Convênios que, depois do testemunho dos servos de Deus, virá o testemunho dos terremotos e de outros eventos que se seguirão. “E todas as coisas estarão tumultuadas; e certamente o coração dos homens lhes falhará; pois o temor tomará conta de todos” (D&C 88:91; ver também versículos 88–90).

Como membro da Presidência de Área do Caribe, testemunhei pessoalmente os santos fiéis substituírem o medo pela fé. As lições aprendidas no Haiti podem ser comparadas àquelas relatadas no Livro de Mórmon.

A visão daquela terrível destruição trouxe-me à mente as palavras contidas no capítulo 28 de Alma: “E eis que esse foi um tempo em que se ouviu grande pranto e lamentações (…) em toda a terra” (Alma 28:4).

Quarenta e dois membros também perderam a vida. Ainda que seus familiares e amigos “chorem sinceramente a perda de seus parentes, alegram-se e exultam na esperança e até sabem, segundo as promessas do Senhor, que eles serão elevados para habitar à mão direita de Deus, num estado de felicidade sem fim” (Alma 28:12).

A Igreja enviou auxílio imediato a membros e não membros, que foi distribuído sob a direção dos líderes locais do sacerdócio e da Sociedade de Socorro. As pessoas não apenas receberam auxílio médico, alimentos, água e outros suprimentos básicos, mas também conselhos, orientação e consolo de seus líderes locais. Contaram com o apoio dos membros da Igreja no mundo inteiro que “[choram] com os que choram; sim, e [consolam] os que necessitam de consolo” (Mosias 18:9).

Vários profetas em diversas épocas nos alertaram a respeito de outra tragédia que é menos perceptível, mas não menos importante, que é a da “horrível morte [que] sobrevém aos iníquos, pois morrem quanto às coisas pertinentes à retidão, porque eles são impuros e nenhuma coisa impura pode herdar o reino de Deus” (Alma 40:26).

Néfi ensinou esse princípio a seus irmãos declarando que aqueles que “morrerem (…) em iniquidade, serão também rejeitados quanto às coisas espirituais que se referem à retidão” (1 Néfi 15:33).

Samuel, o profeta lamanita, ensinou que “todo aquele que não se arrepende é cortado e atirado ao fogo; e recai sobre eles novamente uma morte espiritual; sim, uma segunda morte, porque novamente são separados das coisas concernentes à retidão” (Helamã 14:18).

A tragédia de morrer para as coisas que são espirituais tem uma repercussão maior para todo aquele que “[foi] iluminado uma vez pelo Espírito de Deus e [teve] grande conhecimento das coisas referentes à retidão, [e depois] cai em pecado e transgressão, torna-se ainda mais endurecido e assim seu estado se torna pior do que se nunca tivesse conhecido essas coisas” (Alma 24:30).

Como pais e líderes, precisamos zelar por nossos membros e nossa família, ajudando-os a permanecer longe das coisas que podem conduzir-nos à morte espiritual. Também procuramos resgatar os que hoje estão mortos para as coisas espirituais e ajudá-los a “nascer de novo; sim, nascer de Deus, serem mudados de seu estado carnal e decaído para um estado de retidão, sendo redimidos por Deus, tornando-se seus filhos e filhas” (Mosias 27:25).

A cura espiritual daqueles que estiveram mortos para as coisas pertinentes à retidão acontece por meio do poder da Expiação, da conversão à verdade e da aceitação e do cumprimento dos princípios de retidão.

É essencial ensinarmos aos membros e familiares a respeito das coisas pertinentes à retidão no processo de atingir uma conversão duradoura, porque isso pode fazer com que obtenham um conhecimento correto dos mandamentos do Senhor, dos princípios e das doutrinas do evangelho e dos requisitos e ordenanças que eles precisam cumprir para alcançar a salvação no reino do Senhor.

Há muitos exemplos nas escrituras que confirmam a importância de ensinar as “coisas pertinentes à retidão” para ajudar a proporcionar uma conversão duradoura. No relato feito a respeito de quando Amon e seus irmãos pregaram o evangelho entre os lamanitas, lemos: “E Amon pregou ao povo do rei Lamine; e aconteceu que lhes ensinou todas as coisas concernentes à retidão” (Alma 21:23).

Podemos ver o resultado do ensino diligente de todas as coisas pertinentes à retidão ao continuarmos a ler o relato contido no capítulo 23, que declara: “Assim também quantos acreditaram, ou seja, quantos foram levados a conhecer a verdade (…) foram convertidos ao Senhor [e] nunca apostataram” (Alma 23:6).

Quando Alma, o pai, estabeleceu a Igreja, ele consagrou homens dignos como seus sacerdotes e mestres que “zelavam por seu povo e edificavam-no com coisas pertinentes à retidão” (Mosias 23:18).

Os pais desempenham um papel essencial para ajudar os filhos a compreender as coisas pertinentes à retidão. No Livro de Mórmon lemos que Alma, filho de Alma, estando triste com as iniquidades, guerras e contendas que existiam e angustiado pela dureza de coração de seu povo, “fez, portanto, reunir seus filhos para dar a cada um, separadamente, sua incumbência quanto às coisas que diziam respeito à retidão” (Alma 35:16; grifo do autor).

É interessante notar que ele ensinou seus filhos e os incumbiu separadamente, adaptando as instruções a cada um deles, de acordo com as necessidades que possuíam. Testificou e ensinou-lhes doutrinas e princípios, preparando-os para que pregassem esses mesmos princípios a outras pessoas.

Numa época em que a família está sofrendo ataques das forças do mal e na qual as condições em que vivemos não diferem muito das que Alma vivenciou, a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze determinaram em “A Família: Proclamação ao Mundo” que “os pais têm o sagrado dever de criar os filhos com amor e retidão” (A Liahona, outubro de 2004, última contracapa).

Isso inclui edificar, sustentar e ensinar os filhos em todas as coisas pertinentes à retidão para que permaneçam firmes, com os lombos cingidos com a verdade, “tendo vestida a couraça da retidão e calçados os pés com a preparação do evangelho da paz” (D&C 27:16).

Assim como na época de Alma, nossos líderes também zelam pelos membros da Igreja e os edificam com coisas pertinentes à retidão. Essas coisas vão ajudar-nos a alcançar uma conversão duradoura. No documento “Ênfase no Treinamento da Liderança”, revisado em 10 de dezembro de 2009, a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze pediram tanto aos líderes do sacerdócio quanto das auxiliares para “[incentivarem] todo membro da família, tanto pais como filhos, a estudarem as escrituras, a orarem regularmente e a viverem o evangelho de Jesus Cristo” (Carta da Primeira Presidência, 15 de dezembro de 2009).

Estudar as escrituras, orar regularmente e viver o evangelho de Jesus Cristo são obras de retidão. O Senhor revelou esta maravilhosa promessa: “Aquele que pratica as obras da retidão receberá sua recompensa, sim, paz neste mundo e vida eterna no mundo vindouro” (D&C 59:23).

Para sermos mais eficazes no ensino das coisas pertinentes à retidão, é importante compreendermos que, além de transmitir informações, precisamos facilitar a revelação. Dessa maneira, a pessoa ensinada pode sentir o desejo de conhecer esses princípios por si mesma.

O Senhor revelou a Hyrum Smith, por meio de seu irmão, o Profeta Joseph Smith:

“Dar-te-ei do meu Espírito, o qual iluminará tua mente e encher-te-á a alma de alegria.

E então saberás (…) todas as coisas, relativas à retidão, que desejares de mim, com fé, acreditando em mim que receberás” (D&C 11:13–14).

Para concluir, as escrituras nos alertam do perigo de morrer para as coisas pertinentes à retidão e das sérias consequências que isso tem para os que foram iluminados pelo Espírito de Deus e caem em pecado e transgressão.

O ensino das coisas pertinentes à retidão é um elemento importante para ajudar as pessoas a terem um conhecimento da verdade, a serem convertidas e a permanecerem firmes na fé em Cristo até o fim.

Os pais têm o sagrado dever de ensinar aos filhos as coisas pertinentes à retidão. Os líderes e professores podem zelar pelos membros sob seus cuidados e edificá-los, ensinando-lhes diligentemente todas as coisas pertinentes à retidão.

Isso pode ser alcançado de modo mais eficaz se a revelação for facilitada durante o processo de ensino, criando nas pessoas o desejo de serem iluminadas pelo Espírito. Então, à medida que exercerem fé, o Espírito pode dar-lhes a conhecer as coisas pertinentes à retidão. Disso presto testemunho em nome de Jesus Cristo. Amém.