Amem a Mãe Dela

Elaine S. Dalton

Presidente Geral das Moças


Como um pai pode criar uma filha feliz e bem ajustada no mundo cada vez mais conturbado de hoje? A resposta foi dada pelos profetas do Senhor.

Não há palavras para descrever o momento sagrado em que um novo pai toma a filha nos braços pela primeira vez. Neste ano, três de nossos filhos tornaram-se pais de meninas. Enquanto eu observava Jon, nosso filho vigoroso e forte, jogador de rúgbi, segurar sua primeira filha nos braços, ele olhou para ela com reverente ternura e, em seguida, olhou para mim com uma expressão que parecia dizer: “Como faço para criar uma menina?”

Nesta manhã, gostaria de falar para nossos filhos e para todos os pais. Como um pai pode criar uma filha feliz e bem ajustada no mundo cada vez mais conturbado de hoje? A resposta foi dada pelos profetas do Senhor. É uma resposta simples e verdadeira: “A coisa mais importante que um pai pode fazer por sua [filha] é amar a mãe [dela]”.1 Pelo modo que ama a mãe dela, você vai ensinar a sua filha ternura, lealdade, respeito, compaixão e devoção. Ela vai aprender com seu exemplo o que esperar dos rapazes e quais qualidades procurar em um futuro cônjuge. Você pode mostrar a sua filha, pelo modo que você ama e honra sua esposa, que ela jamais deve se contentar com menos. Seu exemplo vai ensinar sua filha a valorizar a feminilidade. Você está mostrando que ela é uma filha de nosso Pai Celestial, que a ama.

Ame tanto a mãe dela de modo que seu casamento seja celestial. Um casamento no templo para esta vida e para toda a eternidade é algo digno de seus maiores esforços e da mais alta prioridade. Só depois de ter concluído o templo no deserto, foi que Néfi declarou: “E vivemos felizes”. 2 A felicidade é encontrada no templo. No cumprimento dos convênios. Não permita que em sua vida ou em sua casa entre qualquer influência que o faça comprometer seus convênios ou sua devoção à esposa e família.

Nas Moças, estamos ajudando sua filha a entender a identidade dela como filha de Deus e a importância de manter-se virtuosa e digna de receber as bênçãos do templo e de um casamento no templo. Estamos ensinando a sua filha a importância de fazer e guardar convênios sagrados. Estamos ensinando-a a comprometer-se agora a viver de modo que possa sempre ser digna de entrar no templo e a não permitir que nada a atrase, distraia ou a desqualifique em relação a esse objetivo. Seu exemplo, como pai dela, fala mais alto do que nossas mais importantes palavras. As moças se preocupam com seus pais. Muitas expressam que seu maior desejo é que estejam eternamente unidos como família. Elas querem que vocês estejam lá quando elas forem ao templo ou se casarem no templo. Fiquem perto de sua filha e ajudem-na a preparar-se e a permanecer digna de entrar no templo. Quando ela fizer doze anos de idade, levem-na com vocês ao templo muitas vezes para realizar batismos por seus antepassados e por outros. Ela vai guardar com carinho essas lembranças, para sempre.

A cultura popular de hoje procura minar e menosprezar seu papel eterno como patriarca e pai, e minimizar suas responsabilidades mais importantes. Elas lhes foram dadas “segundo o modelo divino” e, como pais, vocês devem “presidir a família com amor e retidão, tendo a responsabilidade de atender às necessidades de seus familiares e de protegê-los”.3

Pais: vocês são os guardiões de seu lar, de sua mulher e de seus filhos. Atualmente, “não é fácil proteger a família contra intrusões do mal na mente e no espírito [deles]. (…) Essas influências podem entrar livremente no lar, e o fazem. Satanás [é muito esperto]. Ele não precisa arrombar a porta”.4

Vocês precisam ser guardiões da virtude. “Um portador do sacerdócio é virtuoso. O comportamento virtuoso implica [ter] pensamentos e atos puros e limpos. (…) A virtude é (…) um atributo da divindade.” Ela se “assemelha à santidade”.5 Os valores das Moças são atributos cristãos que incluem o valor da virtude. Conclamamos vocês a unirem-se a nós para liderar o mundo em um retorno à virtude. Para fazê-lo, vocês devem “praticar a virtude e a santidade”,6 eliminando de sua vida tudo que seja maligno ou não condizente com um portador do santo sacerdócio de Deus. “Que a virtude adorne teus pensamentos incessantemente; então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus; (…) e o Espírito Santo será teu companheiro constante.”7 Portanto, tomem cuidado com o que veem na mídia de entretenimento visual ou impressa. Sua virtude pessoal será um modelo para suas filhas, e também para seus filhos, do que é a verdadeira força e coragem moral. Sendo um guardião da virtude em sua própria vida, em seu lar e na vida de seus filhos, vocês mostrarão a sua esposa e filhas o que é o verdadeiro amor. Sua pureza pessoal lhes dará poder.

Vocês são guardiões de suas filhas mais do que no sentido legal. Estejam presentes na vida de sua filha. Façam com que ela conheça seus padrões, suas expectativas, suas esperanças e seus sonhos em relação ao sucesso e à felicidade dela. Entrevistem-na, conheçam seus amigos e, quando chegar o momento, seus namorados. Ajudem-na a compreender a importância dos estudos. Ajudem-na a compreender que o princípio do recato é uma proteção. Ajudem-na a escolher músicas e mídias que propiciem a presença do Espírito e que sejam condizentes com a identidade divina dela. Façam parte ativa da vida dela. E, se na adolescência, ela não voltar para casa na hora marcada, após um encontro, não deixem de ir buscá-la. Ela vai resistir e dizer que vocês arruinaram a vida social dela, mas, por dentro, ela saberá que vocês a amam e que se importam o suficiente com ela para serem seus guardiões.

Vocês não são homens comuns. Devido a seu valor na esfera pré-mortal, vocês se qualificaram para ser líderes e para ter o poder do sacerdócio. Nessa esfera, vocês mostraram “grande fé e (…) boas obras”, e estão aqui agora para fazer o mesmo.8 Seu sacerdócio os separa do mundo.

Em poucas semanas, nossos três filhos darão a suas respectivas filhas um nome e uma bênção. Espero que seja a primeira de muitas bênçãos do sacerdócio que receberão de seus pais, porque no mundo em que irão crescer, precisarão dessas bênçãos. Sua filha vai valorizar o sacerdócio e decidir no coração que é isso que deseja em seu futuro lar e família. Sempre se lembrem de que “os direitos do sacerdócio são inseparavelmente ligados com os poderes do céu” e que eles só “podem ser controlados (…) de acordo com os princípios da retidão”.9

Pais: vocês são o herói de sua filha. Meu pai era meu herói. Toda noite eu costumava esperar ele voltar sentada nos degraus de nossa casa. Ele me pegava no colo e me girava no ar e depois me deixava colocar os pés sobre seus sapatos grandes e dançava comigo pela casa. Eu adorava o desafio de tentar seguir todos os seus passos. Ainda adoro.

Pais: vocês sabiam que seu testemunho tem uma influência vigorosa em suas filhas? Eu sabia que meu pai tinha um testemunho. Sabia que ele amava o Senhor. E como meu pai amava o Senhor, eu também O amava. Eu sabia que ele se importava com as viúvas porque ele usou suas férias para pintar a casa da viúva que era nossa vizinha. Eu achei que aquelas foram as melhores férias que nossa família já tivera porque ele me ensinou a pintar! Vocês vão abençoar a vida de sua filha nos anos vindouros, se procurarem maneiras de passar o tempo com ela e de compartilhar seu testemunho com ela.

No Livro de Mórmon, Abis foi convertida quando seu pai compartilhou com ela a extraordinária visão que ele teve. Por muitos anos, ela guardou seu testemunho no coração e viveu dignamente, em uma sociedade muito iníqua. Então, chegou um momento em que não pôde mais ficar quieta, e ela correu de casa em casa para compartilhar seu testemunho e os milagres que vira na corte do rei. A força da conversão e o testemunho de Abis ajudaram a mudar toda uma sociedade. As pessoas que a ouviram testificar tornaram-se “[convertidas] ao Senhor [e] nunca apostataram”, e seus filhos se tornaram os jovens guerreiros!10

Como diz a letra de um hino em inglês: “Erguei-vos, ó homens de Deus!”11 Essa é uma conclamação a vocês, homens que possuem o santo sacerdócio de Deus. Que seja dito de vocês como foi dito do capitão Morôni:

“[Ele] era um homem forte e poderoso; (…) um homem de perfeita compreensão; (…) um homem firme na fé em Cristo. (…)

Se todos os homens tivessem sido e fossem e pudessem sempre ser como Morôni, eis que os próprios poderes do inferno teriam sido abalados para sempre; (…) o diabo nunca teria poder sobre o coração dos filhos dos homens.”12

Irmãos, pais, rapazes: “Sejam leais ao que há de nobre em vocês”.13

Então, como vocês criam uma menina? Amem a mãe dela. Levem sua família ao templo, sejam guardiões da virtude e magnifiquem seu sacerdócio. Pais, a vocês foram confiadas filhas de nobre estirpe pelo Pai Celestial. Elas são virtuosas e eleitas. É minha oração que vocês zelem por elas, que as fortaleçam, que moldem um comportamento virtuoso e que as ensinem a seguir todos os passos do Salvador — porque Ele vive! Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Presidente David O. McKay mencionou essa declaração de Theodore Hesburgh, em “Quotable Quotes,” [Citações Citáveis] Reader’s Digest, janeiro de 1963, p. 25; ver também Richard Evans’ Quote Book [O Livro de Citações de Richard Evans], 1971, p. 11.

  2.  

    2.  2 Néfi 5:27.

  3.  

    3. “A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, novembro de 2010, última contracapa.

  4.  

    4. A. Theodore Tuttle, “The Role of Fathers”, [O Papel dos Pais], Ensign, janeiro de 1974, p. 67.

  5.  

    5. Ezra Taft Benson, “Godly Characteristics of the Master,” [Traços da Divindade do Mestre] Ensign, novembro de 1986, p. 46.

  6.  

    6.  Doutrina e Convênios 46:33.

  7.  

    7.  Doutrina e Convênios 121:45–46.

  8.  

    8.  Alma 13:3; ver também versículo 2.

  9.  

    9.  Doutrina e Convênios 121:36.

  10.  

    10.  Alma 23:6; ver também Alma 19:16–17; 53:10–22.

  11.  

    11. “Rise Up, O Men of God,” [Erguei-vos, Ó Homens de Deus] Hymns, nº 323.

  12.  

    12.  Alma 48:11, 13, 17.

  13.  

    13. Em Harold B. Lee, “Be Loyal to the Royal within You” [Seja Fiel ao Que Há de Real em Você], Discursos do Ano: Discursos de Devocionais e Serão de Dez Estacas da BYU de 1973 – 1974, p. 100.