O Que Cristo Pensa de Mim?

Élder Neil L. Andersen

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Se O amarem, confiarem Nele, acreditarem Nele e O seguirem, vocês sentirão Seu amor e Sua aprovação.

Um repórter de uma importante revista do Brasil pesquisou a Igreja a fim de preparar a publicação de um artigo de destaque.1 Ele analisou nossa doutrina e visitou o Centro de Treinamento Missionário e o centro de auxílio humanitário. Conversou com amigos da Igreja e com outros que não eram tão favoráveis a ela. Na entrevista que fez comigo, o repórter parecia sinceramente intrigado, ao perguntar: “Como é que alguém pode não considerá-los cristãos?” Eu sabia que ele estava se referindo à Igreja, mas minha mente formulou a pergunta de modo mais pessoal, e me questionei: “Será que minha vida reflete o amor e a devoção que sinto pelo Salvador?”

Jesus perguntou aos fariseus: “Que pensais vós do Cristo?”2 Na avaliação final, nosso discipulado pessoal não será julgado por amigos nem inimigos. Em vez disso, como Paulo disse: “Todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo”.3 Naquele dia, a pergunta importante para cada um de nós será: “O que Cristo pensa de mim?”

Mesmo com Seu amor por toda a humanidade, Jesus referiu-Se de modo reprovador a alguns a Seu redor, chamando-os de hipócritas,4 insensatos5 e praticantes da iniquidade.6 A outros, Ele chamou com aprovação de filhos do reino7 e luz do mundo.8 Com desaprovação, chamou alguns de cegos9 e infrutíferos;10 elogiou outros, chamando-os de limpos de coração11 e ávidos por retidão.12 Lamentou que alguns fossem incrédulos13 e do mundo,14 mas a outros considerou escolhidos,15 discípulos,16 amigos.17 Portanto, cada um de nós deve perguntar: “O que Cristo pensa de mim?”

O Presidente Thomas S. Monson disse que nossos dias estão se afastando “das coisas espirituais (…) [com] os ventos da mudança [soprando] a nosso redor e a fibra moral da sociedade [continuando] a se desintegrar diante de nossos olhos”.18 É uma época de crescente descrença em Cristo e desprezo em relação a Ele e Seus ensinamentos.

Nesse ambiente turbulento, regozijamo-nos por ser discípulos de Jesus Cristo. Vemos a mão do Senhor em toda a nossa volta. Nosso destino está lindamente traçado diante de nós. Jesus orou, dizendo: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.19 Ser um discípulo nestes dias decisivos será um distintivo de honra por todas as eternidades.

As mensagens que ouvimos nesta conferência são marcos sinalizadores do Senhor em nossa jornada do discipulado. Ao ouvirmos os discursos, nestes últimos dois dias, e enquanto orávamos por orientação espiritual, e ao estudarmos e orarmos a respeito das mensagens nos dias que virão, o Senhor vai abençoar-nos com uma orientação personalizada por meio do dom do Espírito Santo. Esses sentimentos nos dirigem cada vez mais a Deus, levando-nos a arrepender-nos, obedecer, crer e confiar. O Salvador responde a nossos atos de fé. “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.”20

O convite de Jesus “vem, e segue-me”21 não é apenas para os que estão preparados para competir em uma olimpíada espiritual. Na verdade, o discipulado não é de forma alguma uma competição, mas um convite para todos. Nossa jornada do discipulado não é uma corrida rápida na pista, nem se compara a uma longa maratona. Na verdade, é uma migração ao longo de toda uma vida para um mundo mais celestial.

Seu convite é uma conclamação a um dever diário. Jesus disse: “Se me amais, guardai os meus mandamentos”.22 “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.”23 Talvez não estejamos em nossa melhor forma todos os dias, mas se estivermos nos empenhando, o convite de Jesus está repleto de incentivo e esperança: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”.24

Onde quer que estejam na estrada do discipulado, estão no caminho certo: o caminho que conduz à vida eterna. Juntos podemos erguer e fortalecer uns aos outros nos grandes e importantes dias que estão para vir. Sejam quais forem as dificuldades que enfrentarmos, as fraquezas que nos restringirem ou as impossibilidades que nos rodearem, tenhamos fé no Filho de Deus, que declarou: “Tudo é possível ao que crê”.25

Quero compartilhar dois exemplos de discipulado em ação. O primeiro é da vida do Presidente Thomas S. Monson, demonstrando o poder da simples bondade e do ensinamento de Jesus: “O maior dentre vós será vosso servo”.26

Há quase vinte anos, o Presidente Monson falou em uma conferência geral sobre uma menina de doze anos que estava com câncer. Contou a respeito da coragem dela e da bondade de seus amigos que a carregaram até o alto do Monte Timpanogos, na região central de Utah.

Há poucos anos, conheci Jami Palmer Brinton e ouvi a história de uma perspectiva diferente — a perspectiva do que o Presidente Monson tinha feito por ela.

Jami conheceu o Presidente Monson em 1993, um dia depois de saber que um inchaço que surgira em seu joelho direito era um câncer ósseo de rápido crescimento. Com a ajuda do pai dela, o Presidente Monson deu-lhe uma bênção do sacerdócio, prometendo: “Jesus estará a sua direita e a sua esquerda para erguê-la”.

“Ao deixar a sala dele naquele dia”, contou Jami, “desatei um balão que estava amarrado a minha cadeira de rodas e o dei para ele. ‘Você É o Máximo’, estava escrito nele em letras brilhantes”.

Durante seu tratamento de quimioterapia e a cirurgia para salvar-lhe a perna, o Presidente Monson não se esqueceu dela. Jami disse: “O Presidente Monson foi um exemplo do que significa ser um verdadeiro discípulo de Cristo. [Ele] me ergueu da tristeza para uma grande e duradoura esperança”. Três anos após seu primeiro encontro, Jami foi novamente à sala do Presidente Monson. No final da reunião, ele fez algo que Jami jamais esqueceria. Da maneira prestativa que lhe é característica, o Presidente Monson a surpreendeu com o mesmo balão que ela lhe dera três anos antes. “Você É o Máximo!” proclamava o balão. Ele o guardara, sabendo que ela voltaria a sua sala quando ficasse curada do câncer. Quatorze anos depois de conhecer Jami, o Presidente Monson realizou o casamento dela com Jason Brinton, no Templo de Salt Lake.27

Podemos aprender muito com o discipulado do Presidente Monson. Com frequência, ele lembra as Autoridades Gerais a ter esta simples pergunta em mente: “O que Jesus faria?”

Jesus disse ao líder da sinagoga: “Não temas, crê somente”.28 O discipulado é acreditar Nele nos momentos de paz e nos momentos difíceis, quando nossa dor e temor somente são amenizados pela convicção de que Ele nos ama e cumpre Suas promessas.

Recentemente, conheci uma família que é um belo exemplo de como cremos Nele. Olgan e Soline Saintelus, de Porto Príncipe, Haiti, contaram-me sua história.

Em 12 de janeiro de 2010, Olgan estava no trabalho e Soline estava na Igreja, quando ocorreu um terremoto devastador no Haiti. Seus três filhos, Gancci, de cinco anos, Angie, de três anos, e Gansly, de um ano, estavam em seu apartamento com uma amiga.

A devastação foi terrível em toda parte. Como se lembram, dezenas de milhares perderam a vida naquele mês de janeiro, no Haiti. Olgan e Soline correram o mais rápido que puderam para seu apartamento a fim de procurar os filhos. O prédio de três andares onde a família Saintelus morava tinha desmoronado.

As crianças não puderam escapar. Nenhum trabalho de resgate seria efetuado em um edifício tão completamente destruído.

Tanto Olgan quanto Soline Saintelus tinham servido missão de tempo integral e tinham-se selado no templo. Eles acreditavam no Salvador e em Suas promessas para eles. Ainda assim, ficaram arrasados. Choraram incontrolavelmente.

Olgan me disse que em sua hora mais tenebrosa, ele começou a orar: “Pai Celestial, se for de Tua vontade e se houver apenas um de meus filhos vivo, por favor, ajuda-nos”. Caminhou diversas vezes ao redor do edifício, orando por inspiração. Os vizinhos tentaram consolá-lo e ajudá-lo a aceitar a perda de seus filhos. Olgan continuou a caminhar em volta das ruínas do prédio desabado, tendo esperança e orando. Então, algo extremamente milagroso aconteceu. Olgan ouviu o quase inaudível choro de um bebê. Era o choro de seu bebê.

Por horas, os vizinhos cavaram freneticamente os escombros, arriscando a própria vida. Na escuridão da noite, em meio aos estridentes ruídos de martelos e picaretas, a equipe de resgate ouviu outro som. Pararam de bater e escutaram. Mal conseguiam acreditar no que ouviam. Era o som de um menino — e ele estava cantando. Gancci, de cinco anos, contou mais tarde que sabia que o pai o ouviria se ele cantasse. Sob o peso do concreto esmagador que mais tarde resultaria na amputação de seu braço, Gancci estava cantando seu hino favorito: “Sou um Filho de Deus”.29

À medida que as horas passavam, em meio à escuridão, a morte e o desespero de tantos outros filhos e filhas preciosos de Deus no Haiti, a família Saintelus presenciou um milagre. Gancci, Angie e Gansly foram encontrados vivos sob o edifício em ruínas.30

Os milagres nem sempre são tão imediatos. Às vezes nos perguntamos por que o milagre pelo qual oramos tão fervorosamente não acontece aqui e agora. Mas, se confiarmos no Salvador, os milagres prometidos vão acontecer. Seja nesta vida ou na próxima, tudo será acertado. O Salvador declarou: “Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”.31 “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”32

Testifico que se O amarem, confiarem Nele, acreditarem Nele e O seguirem, vocês sentirão Seu amor e Sua aprovação. Ao perguntarem: “O que Cristo pensa de mim?” saberão que são Seus discípulos. Vocês são Seus amigos. Por Sua graça, Ele fará por vocês o que não podem fazer por si mesmos.

Aguardamos ansiosamente os comentários finais de nosso amado profeta. O Presidente Thomas S. Monson foi ordenado apóstolo do Senhor Jesus Cristo quando eu tinha doze anos de idade. Por mais de 48 anos, tivemos a bênção de ouvi-lo prestar testemunho de Jesus Cristo. Testifico que ele hoje é o apóstolo sênior do Salvador na Terra.

Com grande amor e admiração pelos muitos discípulos de Jesus Cristo, que não são membros desta Igreja, declaro humildemente que os anjos retornaram à Terra em nossos dias. A Igreja de Jesus Cristo como Ele a estabeleceu no passado foi restaurada, com o poder, as ordenanças e as bênçãos do céu. O Livro de Mórmon é outro testamento de Jesus Cristo.

Testifico que Jesus Cristo é o Salvador do mundo. Ele sofreu e morreu por nossos pecados e ressuscitou no terceiro dia. Ele ressuscitou. Em um dia futuro, todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Cristo.33 Naquele dia, nossa preocupação não há de ser: “Será que os outros me consideram cristão?” Naquele momento, nossos olhos estarão fitos Nele e nossa alma estará fixa na pergunta: “O que Cristo pensa de mim?” Ele vive. Presto testemunho disso em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Ver André Petry, “Entre a Fé e a Urna”, Veja, 2 de novembro de 2011, p. 96.

  2.  

    2.  Mateus 22:42.

  3.  

    3.  Romanos 14:10.

  4.  

    4. Ver Mateus 6:2.

  5.  

    5. Ver Mateus 23:17.

  6.  

    6. Ver Mateus 7:23.

  7.  

    7. Ver Mateus 13:38.

  8.  

    8. Ver Mateus 5:14.

  9.  

    9. Ver Mateus 15:14.

  10.  

    10. Ver Mateus 13:22.

  11.  

    11. Ver Mateus 5:8.

  12.  

    12. Ver Mateus 5:6.

  13.  

    13. Ver Mateus 17:17.

  14.  

    14. Ver João 8:23.

  15.  

    15. Ver João 6:70.

  16.  

    16. Ver João 13:35.

  17.  

    17. Ver João 15:13.

  18.  

    18. Thomas S. Monson, “Permanecer em Lugares Santos”, A Liahona, novembro de 2011, p. 82.

  19.  

    19.  João 17:3.

  20.  

    20.  João 14:23.

  21.  

    21.  Lucas 18:22.

  22.  

    22.  João 14:15.

  23.  

    23.  Lucas 9:23.

  24.  

    24.  Mateus 11:28.

  25.  

    25.  Marcos 9:23.

  26.  

    26.  Mateus 23:11.

  27.  

    27. Jami Brinton, carta para o autor, 27 de janeiro de 2012.

  28.  

    28.  Marcos 5:36.

  29.  

    29. “Sou um Filho de Deus”, Músicas para Crianças, pp. 2–3.

  30.  

    30. Extraído de uma conversa com Olgan e Soline Saintelus, em 10 de fevereiro de 2012; ver também Jennifer Samuels, “Family Reunited in Miami after Trauma in Haiti” [Família Reunida em Miami Após a Catástrofe no Haiti] , Church News, 30 de janeiro de 2010, p. 6.

  31.  

    31.  João 14:27.

  32.  

    32.  João 16:33.

  33.  

    33. Ver Romanos 14:11.